Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

04
Fev16

122 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

Como já disse, na praia gosto muito de apanhar seixos, restos de madeira e conchas, para depois fazer trabalhos com os miúdos e dar outros fins ao que encontramos, enfim, de uma certa forma eternizar as nossas férias. No passado Verão, também apanhámos bocados de madeira e agora fiz uns barcos à vela com eles. 

 

A ideia era que ficassem bem rústicos, tanto no aspecto, como nos acabamentos, por isso para a vela usei restos de tecido, sem passar a ferro e cosi com cordão de algodão. Acho que o primeiro barco ficou exactamente como queria.

 

 

 

 

Materiais:

. bocados de madeira desgastados pelo mar

. restos de tecidos

. fio de algodão, ou corda . Leroy Merlin

. paus para espetada . Continente

. tesoura

. cola universal UHU 

 

 

 

. na parte de cima do bocado de madeira fazemos um furo e com cola, fixamos o pau de espetada, que será o mastro.

. fazemos um furo em cada ponta e colamos em cada furo um bocado pequeno de pau de espetada 

 

  

 

 

. cortamos um rectângulo de tecido, com as dimensões com que queremos que a vela fique. dobramos a meio e cortamos um triângulo.

 

 

 

 . com o fio de algodão, cosemos um dos lados da vela

. pomos um pouco de cola no pau de espetada e fixamos a vela

. passamos um fio que une o mastro a cada ponta do bocado de madeira

. fazemos a bandeira com um bocado de tecido, colamos ao mastro

. e já está.

 

 

 

 

 

[acho mais piada ao lado mais irregular do bocado de madeira, portanto, aos meus olhos, quanto mais estragado estiver, mais giro fica]

 

29
Set15

102 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

Cheguei a um ponto da minha vida em que faço listas para tudo, porque, ou me esqueço do que tenho de fazer, ou carrego aquela sensação de que me estou a esquecer de fazer qualquer coisa importante, e se umas vezes não passou da sensação, já as houve em que me esqueci mesmo. Bom, dizia eu que tenho de fazer listas para tudo e tudo. Listas para o supermercado, listas de tarefas, listas de compras de roupa para os miúdos, lista da farmácia, lista do que quero fazer, das obras que imagino para a casa, do mobiliário, livros que quero, filmes que estão na calha. Enfim. E se há listas que terei em papel, outras já passei para o telemóvel, no entanto a das tarefas da casa, além de se repetir até à náusea, há dias em que parece interminável, só que tenho mesmo de escrever o que quero fazer e o que tenho de lembrar aos outros que têm de fazer. A verdade é que além de gastar imenso papel, pareceu-me sempre confusa, coisas riscadas, coisas para fazer, folhas aqui e ali, foi então que resolvi que o melhor seria fazer um quadro, com os dias da semana e escrever com a caneta de quadros de metal no vidro as diversas tarefas pelos dias da semana. Assim à medida que se vão fazendo as coisas, é só apagar e não olho para uma interminável lista de tarefas a executar. Resultou lindamente, está sempre à vista e é bastante prático. 

 

 

 

 

Materiais:

. 1 moldura ribba 50X23, na IKEA 

. papel branco

. papel quadriculado

. cordão de pasteleiro, na Staples

. cola UHU em bisnaga

. cola UHU em stick

. fita cola com desenhos, da FNAC

 

 

Cortamos uma folha com a dimensão da moldura. Dividimos o espaço em seis secções e fazemos com a cola de bisnaga os traços, onde vamos colar o cordão. Resolvi fazer assim, mas também fica bem, apenas com uns traços feitos com um marcador. 

 

 

 

Imprimimos os dias da semana numa folha quadriculada, recortamos e colamos os pedaços de papel no topo de cada coluna (que desalinhei propositadamente). Depois e só para dar um ar giro, colei nos cantos bocadinhos de fita cola às riscas e aos quadrados.

 

 

 

Colocamos o vidro na moldura, depois o quadro e penduramos. E está pronto a usar com os tais marcadores, que se apagam com um pano seco.

 

 

09
Out14

82 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 [para aumentar, clicar nas imagens]

 

 

Normalmente temos em casa n materiais que podem ser aproveitados, dando-lhes utilizações e fins diversos. Quanto a mim, tenho a mania de guardar as caixas dos ambientadores, dos posters que compro e o que mais me aparece. Sempre as achei ideais para guardar os desenhos dos filhos. Também tenho a mania de guardar os sacos das lojas, que se desmancharmos e usarmos o lado inverso ao do logótipo, normalmente servem perfeitamente para forrar diversas coisas, como cadernos, caixas, etc.

 

Precisava de umas caixas para as agulhas, que eram as mal amadas por aqui. Já as tive numa gaveta, completamente soltas, depois passei-as para um estojo e também estiveram num copo, como se de lápis se tratassem. Mas ontem quando estava a forrar mais umas caixas para guardar os desenhos dos filhos, lembrei-me que eram ideais para as agulhas de croché e tricô e assim foi.

 

É fácil, fácil.

 

. Cortamos o tubo à medida do que ali queremos guardar.

. Forramos com um papel ao nosso gosto.

. Colamos uma etiqueta com o conteúdo e, se nos apetecer, enfeitamos. Eu resolvi usar lacre, mas em vez do tradicional, que se parte, optei pelo silicone cor de lacre para pistola, que tem quase o mesmo aspecto e é mais resistente.

. E já está.

01
Fev13

19 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

 

Gosto de frascos, mas não gosto de plásticos. Já me chegam as caixas para alimentos, os taparueres e isso, de resto tento não os ter. Bom, não me safo nos brinquedos, mas nos brinquedos é giro, já na cozinha, não gosto. Vai daí que como sou frasqueira e acho tudo quanto é de vidro muito giro, muito útil, muito clean e quejandos, resolvi forrar as tampas de plástico de uns frascos que acho giros, mas lá está, aquelas tampas em plástico atentavam-me as vistas, os coisos estéticos e isso. E como gosto muito de coisas em corda, olha, foi com corda que os cobri.

 

É facílimo. Usei a pistola de silicone e fui colando a corda, mais um bocado de silicone, mais cola, até ter a tampa coberta.

 

 

________________________________________

 

O princípio é o mesmo que fiz para estes frutos, que já aqui pus, mas não me lembro quando. Só que estes frutos de plástico foram cobertos com arroz, milho, ráfia e mais umas cenas que desconheço a natureza, mas que me pareceram que sim, é mesmo isto. Por acaso, agora reparo, vou-lhes arrancar as folhas sobreviventes do estado plástico, aqui a olhar para a foto, não gostei nada.

 

 

 

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D