Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

20
Mai20

294 - A mãe perfeita(mente desesperada)


Mac

 

 

fui desconfinar os meus cabelos e foi o melhor que fiz nos últimos tempos . o mais velho queria ir comigo a lisboa porque assim aproveitava para ver uns amigos, mas eu queria ir, e fui, sozinha . mais do que a ida ao cabeleireiro, ficar vinte minutos sozinha na a5 surgiu-me como o programão dos últimos tempos . vinte minutos a ouvir a minha música e não dos miúdos, vinte minutos a cantar sem ouvir, ó mãaaaaaiiiiiiiiiiiiii, vinte minutos só meus, sem a miragem de um supermercado a abarrotar de gente, sem filas intermináveis, procura de sucedâneos e cinquenta pufes de álcool nas mãos . foram setenta dias sem estar só comigo e eu gosto muito da minha companhia . aprecio-me, sou silenciosa, não ponho música que me desagrade, não me perco de mim nas lojas, nunca me critico por falar alto demais, nem demasiado com os outros, não me aborreço por andar depressa demais ou devagar, sou realmente a minha melhor companhia . gosto muito dos meus filhos e do meu marido, mas a verdade é que desde que isto tudo começou nunca mais tive tempo para mim, setenta dias, foram setenta dias sem um bocadão só meu . nunca mais tive bocados sozinha, a não ser aquelas saídas para ir buscar coisas essenciais à sobrevivência desta gente, diga-se que foram sempre saídas carregadas de nervos, ora pela novidade e a falta de hábito naquela coisa das desinfecções, ora já habituada mas a saber muito bem o que me esperava . tudo junto nunca resultou em saídas pacíficas, muito menos que me dessem algum gozo . gosto muito deles, já disse? mas gosto também porque cada um tem o seu tempo de qualidade, não estamos vinte e quatro sobre vinte e quatro horas juntos, cada um tem uma vida e o que trazemos para casa dessa vida é o que faz a nossa família . com o confinamento perdemos uma grande parte da nossa identidade e eu precisava de a recuperar nem que fosse só por um bocado, apesar de saber que os miúdos vão continuar em homeschooling e o meu marido em teletrabalho . e recuperei . hoje era dia de ir tratar de mim e até o percurso de 20 minutos na a5 me estava a apetecer .

juro que imaginei escrever qualquer coisa sobre o horror que é estar 3 horas com a máscara posta enquanto levamos com tinta, água e calor na cabeça, até imaginei que teria de ir à rua com as pratas na cabeça para tirar a máscara por bocados e respirar, imaginei até que era pessoa para quando o secador se aproximasse de mim, pedir para sair com os cabelos molhados . não aconteceu . preferia a vida sem máscara, sem qualquer dúvida, mas com máscara não é assim tão insuportável, é temporária . faz-se .

e no fim o bónus do alívio de tirar a máscara e mais vinte minutos só comigo

 

19
Mai20

293 - A desconfinada perfeita(mente desesperada)


Mac

 

 

durante o almoço falámos outra vez sobre as férias, o meu marido está quase a optar por as desmarcar, mas como havia pimentos padrón, não me apeteceu desenvolver muito o tema . estou mesmo sem saber o que decidir e fiz o que faço sempre, deixo-o decidir, depois logo vejo se fico ou não chateada . 

sodona trouxe uns ramos de salsa e eu achei que ficavam bonitos numa jarra . não têm assim um cheiro como a hortelã, mas dão um ar giro à cozinha . há bocado antes de sair disse que amanhã me traz flores .

 

comecei a pintar a cómoda, a tinta é bastante brilhante, mas até gostei . vai trazer um certo brilho las vegas ao corredor onde está, se gostar muito até lhe ponho um flamingo de cada lado e um espelho dourado em cima . não ponho, porque sou uma mariquinhas pé de salsa .

precisei de ir novamente  à superfície do bricolage, mas nem saí do carro, a fila cá fora dava a volta à esquina do barracão . já deu para perceber que agora temos de planear muito bem tudo e não falhar nada numa lista . saudades do tempo em que confiava na minha memória e deixava a lista em casa, depois trazia só coisas fora da lista . isto veio acabar até com os pequenos prazeres da vida . nada é natural e nada pode ser de improviso .

 

 

andava meio coisa com os meus frascos de álcool gel e álcool puro, nada práticos para trazer comigo, então resolvi a coisa com dois frascos pequenos que cabem numa mala pequena, ou no bolso, vá, se o bolso for grande . 

 

balanço: eu sei lá

 

 

18
Mai20

18 - Here comes the sun, lailailai


Mac

 

a desconfinar mais um bocadinho - 2ª parte

 

 

vesti um vestido, mas desta vez com uns ténis e fui ali a uma grande superfície do bricolage e jardim para tratar de cenas diversas da vida lá fora e de uma cómoda que vai passar a branco giz . entrei sem filas, circulei sem me cruzar demasiado perto das pessoas e fui dar com prateleiras vazias de tudo . como se já não bastasse isso, estava tudo assim para o desarrumado, latas deitadas, latas com a tampa para baixo . aquela desarrumação arreliou-me um bocado, lá por estarmos em estado de calamidade, não quer dizer que as prateleiras possam estar uma calamidade . à vontade não é à vontadinha . adiante . não havia exactamente a tinta que queria, então trouxe a versão com brilho do branco giz que gosto, depois dou-lhe a camada final com um resto que ainda tenho . não havia o cloro 5 elementos, trouxe o de 4 elementos, tenho a certeza que ninguém vai sentir a falta do 5º elemento . não havia armadilhas para as formigas da marca coisa, havia de outra, hão-de funcionar . 

para sair foi mais complicado, uma fila interminável para as caixas, mas ali tudo a manter as distâncias de segurança, foi civilizado . noto que em filas tenho o hábito de bufar, como se isso fizesse a fila desaparecer da minha frente . com máscara é como se estivesse numa estufa, aquele ar quente produzido pela própria sufoca-me de calor . imaginei isto no verão e  fiz logo ali um filme, mas em bom, com desmaios e isso . depois passei para outros pensamentos como apresentar à minha própria pessoa uma razão válida para continuar a arranjar o cabelo, se já o trago sempre amarrado . não me lembro de ter arranjado uma razão, até porque logo a seguir reparei  que andava uma pessoa sem máscara na zona do mobiliário de jardim e os funcionários que estavam perto não lhe disseram nada . espero não precisar de aguarrás tão cedo na minha vida .

 

está-me a custar imenso a adaptar a esta nova realidade . não posso dizer nova normalidade, não  quero achar que isto é normal, nem sequer a quero encarar como definitiva . a normalidade será sempre o que tínhamos, isto agora de normal não tem nada . novo normal não é, não quero . não estou a conseguir encarar a vida lá fora como a vejo nas fotos espalhadas pelas redes sociais . parece que me falta um botão para desligar e ligar o modo "vida normal", como se o vírus tivesse desaparecido e como se já não houvesse perigo de contágio . ainda não consigo pôr em fotografias o que para já não é real . lá chegarei . sol já tenho, o resto há-de vir também .

 

lição do dia: devo ser uma pessoa que suspira imenso, mas vai deixar de suspirar . também sou dada a bufar e vou deixar de bufar . com máscara é só um inferno . a partir de agora serei a pessoa que respira devagarinho, normalinho e com educação, não me suporto dentro da máscara, sou muito quente . tenho de treinar até ao dia do cabeleireiro . serão 3 horas ali dentro da máscara comigo mesma .

 

 

18
Mai20

292 - A dona-de-casa perfeita(mente desesperada)


Mac

 

69º dia disto, a desconfinar um bocadinho aqui, outro ali

(vou deixar de contar os dias)

 

sodona regressou ao serviço, tinha um caminho de flores perfumadas à sua espera e sorrisos mil . o caminho de flores é imaginário, era mais um corredor de pó para limpar, mas o que interessa é a intenção . já os sorrisos foram reais . santa, santa, santa .

 

por causa disto do covid tenho conta em tudo quanto é loja online . não estou muito longe de afirmar com segurança que sou a pessoa mais badalada no online deste país . também activei o meu spam ao máximo, porque lá por precisar de comprar coisas, não quer dizer que precise de ser aliciada a comprar mais, sei-o fazer perfeitamente, sem ajudas e ideias . a verdade é que não gosto de e-mails . são uma seca .

 

já sonhei por duas vezes que estava no meio de uma multidão sem máscara e isso pôs-me bastante aflita . na primeira vez não me lembro onde estava, na segunda estava numa repartição de finanças ou num cartório, não percebi bem , sei que toda a gente tinha prioridade e eu não, mas logo a seguir já estava num cinema que era uma rampa sem saída de emergência cheia de gente sem máscaras . continuo muito boa a arranjar-me angustias e medos . nisto ninguém me bate . ou então sou só uma versão do david lynch à escala do meu bairro .

 

no sábado levámos o pedro à praia, só para ele correr e apanhar ar bom . já não me lembrava da última vez que ele saiu, acho que foi aí há um mês quando demos uma volta de carro sem sair dele . estive o tempo todo incomodadíssima com tudo,  borrifei as mãos da criança com álcool umas 500 vezes, não me sentei na areia (também ajudou ter visto uma ratazana de papo para o ar com ar de quem tinha morrido) e controlei o tempo todo a distância para as outras pessoas . saí de lá stressadíssima . tenho aprendido a estragar tudo quanto era um enorme prazer .

 

chegou uma encomenda do continente e quando o entregador começou a pousar os meus sacos no passeio tive vontade de lhe bater . não lhe bati mas chamei-lhe porco de uma forma gentil, mostrando-lhe pela lógica que o que estava a fazer era um perfeito nojo e nem era preciso estarmos na era covid, na antes do covid já era uma coisa porca . parece-me que ele me achou uma pessoa algo perturbada . se calhar não ajudou desatar a borrifar com álcool os sacos com o meu spray das plantas, quero lá saber, sou bem capaz de estar .

 

já disse que sodona regressou? é a felicidade em forma de tempo . já fiz duas fichas com o pedro, ele já assistiu a uma aula e fiz ginástica, tudo a esta hora do dia . até estou enervada, não sei bem o que fazer a tanto tempo livre, se calhar vou apanhar sol sem pensar nos milhares de tarefas que teria para fazer .  talvez até arranje mais uma fobia, ou um medo, ou um stress . santa .

 

projecto da semana: vou desconfinar os meus cabelos e deixarei de ser loira para todo o sempre, quer dizer, até mudar de ideias

 

 

15
Mai20

150 - Andei na net [e por casa] e trouxe para aqui (*)


Mac

esta semana trago o que mais quero e desejo no momento: liberdade para os meus filhos, para mim, para a minha família, para todos . esse talvez seja o meu maior desejo . esse e saúde . acima de tudo podermos respirar daquela maneira, sem máscaras, sem filtros e sem medo . sair à rua e inspirar até sentir o peito cheio e depois expirar, ir ao pé do mar e fazer o mesmo, e no meio de nada e no meio de uma multidão, e nunca mais ter de confirmar se o podemos fazer . só isso, inspirar até ter os pulmões cheios, só respirar . e respirar de alívio .

 

o resto são coisas, mais ou menos dispensáveis, mas coisas apenas

 

 

e chegaram os solares da lancaster (1) que há muitos anos que deixaram de ser novidade por aqui . aos meus olhos são os melhores, garantem um excelente bronzeado, sem queimaduras, e os after sun prolongadores de bronzeado são realmente fantásticos . dito isto, a novidade deste ano é o serum facial, que já comecei a usar, mesmo só tendo feito dois dias de exposição solar, vá um par de horas há 15 dias, quando estiveram aqueles dias fantásticos . como fiquei sem serum e este chegou entretanto, achei por bem começar a usa-lo e adorei, dá um extra de luminosidade e dá-nos um ar bem saudável . não sei como funciona com maquilhagem, porque não me tenho maquilhado, só faço o risco preto de vez em quando e mais nada . mas mesmo que esta fosse uma época normal, nunca o usaria com maquilhagem, porque é um serum após sol que promete prolongar o bronzeado, ora a partir do momento em que estou bronzeada também já não me maquilho e aproveito para libertar um bocado a minha pele. 

também já cá estão os óculos da ace & tate (1) para fazer deste verão uma coisa minimamente normal e os vestidos da h&m, (2) pensados para a vida na praia, mas reconvertidos à vida em casa

 

(1) entregas em 2 dias basicamente

(2) entregas em 3 semanas 

 

na minha mesa de cabeceira o cisne negro de nassim nicholas taleb (1), talvez o livro mais apropriado para a época que estamos a atravessar, e mon paris da ines de la fressange (2),  talvez o livro mais desapropriado para a época que estamos a atravessar, mas como há muitos sítios em paris que quero ver da próxima vez, um guia com sítios giros é sempre uma boa forma de sonhar  

 

 

para o fim-de-semana quero sopas e descanso e dar uma vista de olhos nas minhas plantas em vasos e no livro das melhores receitas de 2019 da bimby

 

 

entretanto, quero uma primavera colorida nas roupas

 

 

(*) post escrito ao abrigo da minha liberdade de opção,
opinião, experiência, aquisição e isso

 

15
Mai20

291 - A dona-de-casa perfeita(mente desesperada)


Mac

 

65º dia de confinamento

 

 

ah que isto vão ser dezenas de dias alapada ao sofá a mamar séries e a enfardar amendoins torrados no forno banhados a mel . então não, coração?

ora como isto já foi provado que era um mito urbano, vamos lá fazer um ponto da situação: hoje ainda não parei e acho que só consigo parar lá para o final da tarde, quando começar a fazer o jantar, reformulando, paro depois do jantar, a seguir a arrumar a cozinha.

 

13
Mai20

289 - A vida, o nirvana e eu


Mac

 

63º dia de confinamento

 

hoje tive de deitar fora os cestos da roupa para passar a ferro e da roupa passada, que tinha há 20 anos . pareceu-me um sinal . apareceram-me cheios de bicho da madeira e não me pareceu que tivessem salvação . foi um momento triste, mesmo triste, ainda por cima chovia a cântaros quando resolvi que nem lá fora podiam ficar e fui pô-los no caixote do lixo da rua . estive quase para deitar fora a tábua de engomar e o ferro, mas lamentavelmente não tinham bicho de qualquer espécie .  

não fiz ginástica e comi 5 bolachas daquelas tostadas que compro para os meus filhos, daquelas que vêm em packs de 4 pacotes e são a melhor coisa do mundo . quase que ia comendo 6, mas depois desafiei-me a fazer meia-hora de treino por cada 2 bolachas, fiz contas ao meu dia e decidi que não tinha tempo . também podia ter aldrabado o desafio, mas temi que isso me trouxesse azar, tipo acordar com mais 20 quilos e depois não seria só uma hora e meia de treino . fiquei bastante preocupada . treino amanhã .

durante o almoço conversámos sobre as férias de verão . não conseguimos decidir se desmarcamos . o mais velho ficou chateado e eu até pensei por nano segundos que queria ir de férias connosco . afinal não, primeiro quer a casa livre e mais não sei quê para fazer não sei o quê, e depois quer ir para fora, quando nós regressarmos . ficou ainda mais chateado quando lhe disse que nos dava imenso jeito, caso fossemos de férias, para ficar a tomar conta de uma obra . não percebi, dei-lhe uma responsabilidade adulta, não está sempre a reclamar que é tratado como uma criança? vá-se lá perceber estes millennials . 

a unha do indicador esquerdo continua lascada, abandalhei-me, mas estou demasiado deprimida para arranjar uma unha . não tenho forças emocionais para trivialidades .

 

desejo: logo à noite como uma bolacha, mereço-a

 

 

12
Mai20

290 - A dona-de-casa perfeita(mente desesperada)


Mac

01 2023.JPG

 

62º dia de confinamento

 

tenho saído pouquíssimo, mas de todas as vezes notei que está tudo a conduzir à doida . desculpem lá ter saído, parece que as ruas já não são minhas também . juro, isto agora é o salve-se quem puder . aposto que da próxima vez que sair já se conduz à esquerda . há bocado fui ao talho e ia jurar que mudei de terra . também não ajudou o funcionário que me veio entregar a carne à porta, estar com um lenço preto a tapar a boca e o nariz, mas desde que vi uma folha de couve a fazer de máscara, estou por tudo . no verão vou aproveitar as cascas de melancia, agora ainda não estou preparada para inovar e vou ficar-me pelas máscaras brancas sem piada  . 

 

olho para os meus filhos em homeschooling e espero que tenham noção da sorte que têm . na idade deles, mais do pedro, sonhava em ter as aulas em casa . na época não havia computadores, nem sequer telemóveis, mas isso não interessava nada no meu sonho, o que interessava é que tinha aulas em casa . mas eu também andava à procura dos glutões no presto, por isso tudo bem .

 

hoje trouxeram a nova máquina de lavar roupa, acabei por optar por uma com tambor para 12 kg de roupa . tem um programa para esterilizar roupa, outro para lavagens mega rápidas de roupa diária, tipo a de treino, e mais não sei quê a vapor . para o resto do mundo isto não traz qualquer novidade, para mim que estava parada no tempo das máquinas de rolos - a minha tinha 20 anos - é todo um novo mundo na lavagem da roupa . senti borboletas na barriga quando lhe enfiei o edredon de inverno no tambor e fechei a porta sem empurrar . 

 

passei a manhã toda com as actividades escolares do pedro, depois pus o avental para fazer um bolo e nem para começarmos um trabalho sobre animais o tirei, se calhar já era altura de pensar no regresso de sodona para a próxima semana . é só ver os números bonzinhos no final do primeiro desconfinamento e acabaram-se as férias grandes . as minhas unhas continuam a aguentar o essie couture e vamos no 7º dia, apesar da unha do indicador esquerdo ter lascado há bocado quando arranquei um autocolante da máquina . devia ter chamado o meu marido, mas não, aqui é tudo eu, tudo eu .

 

desejo: posso hibernar e acordar no verão de 2023? e já agora, bronzeada e rica? obrigada 

 

 

12
Mai20

288 - Os crepes, o nirvana e eu


Mac

IMG_4663.JPG

 

 

 

Ora então cá vai tudo sobre os crepes, desde a receita, congelação e deglutição, que é como quem diz, da sua concepção até ao seu desaparecimento.

 

A receita original é do livro da Bimby, mas reduzi a quantidade de farinha. Depois passei a fazer o dobro da quantidade, porque prefiro fazer logo muitos crepes e congelar, portanto esta receita dá para cerca de 18 crepes:

. 400 g de farinha

. 1200 g de leite

. 4 ovos

. 2 c sopa de azeite

. 1 pitada de sal

. óleo para untar a frigideira.

 

Deite todos os ingredientes na liquidificadora e misture, ou no copo da Bimby e programe 15 s/vel 6. Unte uma frigideira anti-aderente com óleo e frite os crepes um a um, deitando cerca de 1 concha de sopa de massa na frigideira de forma a que os crepes fiquem bem finos.

 

Como congelo a maior parte, à medida que vou tirando da frigideira, vou pondo cada um num prato com uma folha de papel vegetal a separa-los. Quando já estão frios, ponho num saco no congelador.

 

Depois é só tirar um crepe, espalhar um quadradinho de chocolate cortado em bocadinhos e aquecer 1 m 15 s no microondas, espalhar o chocolate derretido e enrolar o crepe.

 

 

IMG_4667.JPG

 

 

Dica: há dois chocolates que resultam muito bem, ambos da Lindt: o chocolate com sal e o chocolate com bocadinhos de caramelo. Fazem um recheio delicioso com qualquer coisa de crocante.

 

10
Mai20

36 - Por Estes Dias


Mac

02.JPG

 

60 dias de confinamento, a caminho da 9ª semana

 
 
 
e de repente são 60 dias disto . não posso dizer que não dei por eles passarem, dei muito bem e por cada um sem excepção, mas também não posso dizer que foram 60 dias insuportáveis . houve dias bons e dias assim-assim . mas a maior parte foi boa . passei pela fase de adoração das tarefas da casa, depois a de saturação, ainda a de nem saturação nem adoração: faz-se . passei a fase de nem sequer querer sair daqui, a de não aguentar mais não sair de casa . a fase de beber as notícias e as estatísticas, e a fase de não querer ouvir mais . também houve a fase de jurar que estava infectada com sintomas e tudo, e a outra com sintomas, mas só dia sim dia não, ou quando tinha de passar a ferro .
60 dias a cozinhar, a limpar a casa, a dar aulas ao mais novo, a acompanhar isto aquilo, a fazer ginástica, a organizar e a ocupar os dias, ou os dias a ocuparem me . a instituir uma rotina que me distingue os dias da semana dos de fim-de-semana . são 60 dias de confinamento, álcool gel, máscaras, desinfecção, lixívia, distanciamento social e todo um novo palavreado que não fazia parte do nosso léxico .
de uma realidade que num passado só imaginei em filmes . talvez por isso passei a achar os filmes apocalípticos de um mau gosto extremo . aquilo que era ficção passou a uma realidade que quero ver no passado . têm sido 60 dias de muitas variantes de humor, estado e esperança . vou acabar isto a não poder dizer que detestei o confinamento, mas não o repetia . acho que nos adaptamos a tudo . acho que se um dia me dissessem que ia estar 60 dias sem sair, ou com saídas precárias, diria que não aguentava . aguentamos tudo . e surpreendemo-nos com muito . os miúdos surpreenderam-me e estão neste barco com uma postura que nunca imaginei . 
 
 

tudo espremido, é isso, não é assim tão mau como seria num exercício mental de possibilidades, se algum dia isto me tivesse passado pela cabeça . nunca passou, mas se passasse, na minha projecção, nunca aguentaria o que aguentei até agora, é que não é assim tão difícil estar 60 dias numa casa confortável e com saúde . difícil é outra coisa . apesar do meu maior medo continuar a persistir, o mesmo desde o início, adoecer e não lhes poder valer, maior ainda é adoecermos os dois e os miúdos ficarem desamparados . isto é o que me empurra a nunca relaxar nesta luta, é esta a minha força maior que me move e ao mesmo tempo me mantém a cabeça sã no meio disto tudo .

 

podem vir mais uns tantos dias, mas já agora, não muitos, s.f.f.

 

 

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D