Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

20
Abr15

32 - NOTAS SOLTAS DE PENSAMENTOS MUITO ELEVADOS, MAS QUE NÃO ME APETECE EXPLICAR, JUSTIFICAR, DESENVOLVER E ISSO


Mac

 

  

 

 

 

dos domingos de manhã . tão bom . com sol, sem sol, não interessa . se há bocado na semana de que gosto mais, é este . é bom ficar a olhar para o dia lá fora, sem pressas e sem horários . quer dizer, dentro daquilo que é não ter horários com uma criança pequena, mas faz de conta . é bom olhar para este céu infinito, quase todo azul . e gosto ainda mais destes, os domingos de manhã de abril . até com estas nuvens de abril . em abril perdoo-lhe a ausência do azul infinito . gosto destes começos de semanas . uma nova folha por escrever . planear a semana . fazer listas . como se estivesse com uma nova agenda a começar o ano . começar a semana nestes domingos de manhã é como começar o ano . só que em pequenino . cinquenta e dois começos . cinquenta e duas folhas em branco . e cinquenta e dois domingos de manhã . às vezes eles saem e eu fico com a casa para mim . e fico com todo o tempo do mundo . tempo sem interrupções . tempo para os meus planos, para um duche mais demorado, para beber o meu chá de limão, para recuperar a ausência de hidratante, e prometer que sim, que afinal não custa nada e o vou fazer todos os dias . não vou . é como as resoluções de dietas do início do ano, e aquela paciência com os que nasceram só para chatear, que também decido, e todas as resoluções de início de ano . essas já nem faço . se não consigo cumprir para uma semana, vou lá eu prometer-me para um ano . ainda não percebi se as faço só pelo prazer de as quebrar, ou para sentir as minhas imperfeições . não sei . sei que gosto destas manhãs com tempo e silêncio . onde fico por minha conta . sem tomar conta de nada . nem de ninguém . depois . depois farto-me do silêncio . quero-o muitas vezes . mas é só aos bocadinhos . não o quero para a minha vida . quero-os a eles aqui . sempre . em todos os bocados . e vou ter com eles . ver o mar . almoçar . falar . às vezes não dizer nada . gosto é deste silêncio . onde eles estão [sempre] ao alcance dos meus olhos .

17
Abr15

33 - OS FILHOS, A VIDA, O NIRVANA E EU


Mac

Estou a ficar igual a mãe querida, o que bem visto, não é necessariamente mau, só na parte das frases que não gostava. Às vezes olho para mim e lembro-me da minha mãe, e depois ouço-me e soo igual a ela, e depois revejo os meus movimentos e parecem-me os mesmos, e as posturas e a forma de vida. Não sei se a coisa é genética, se é mimetismo, ou o quê. Não sei e nem pretendo saber, mas sei que cheguei ao ponto em que repito ao meu filho mais velho, aquilo que ouvi a minha mãe dizer. Ainda por cima aquelas frases que em plena adolescência me faziam revirar os olhos, sem que a minha mãe visse, claro, bom, a maior parte dos meus revirares de olhos era cerebral e daí não passava. Ontem repeti mais uma vez um 'olhe para mim, quando falo consigo' [*], o 'olhe para mim, quando falo consigo' que me fazia espetar as pupilas para o infinito e mais além, e no outro dia 'quem não tem barriga para a sopa, também não tem para o doce', esta é repetida ad nauseam, a mesma que quase me fazia entrar em greve de fome, e só não entrei, porque só era adolescente, o que não queria dizer que era completamente parva, e no outro 'por acaso eu falo laponês?', a que me fazia articular respostas sem som muito engraçadas, tão engraçadas que à minha gargalhada a coisa não melhorava. Mas a minha pior é 'e o que faz o pai e a mãe do não sei quantos?' Oh pah, isso interessa mesmo? 'E como se chamam?' Oh meu Deus, os miúdos nunca sabem o nome dos pais dos amigos. É que são daquelas perguntas que mãe querida me fazia e me deixava os nervos em colapso. Também uso o mimoso 'isto não é um hotel', credo, mas a melhor de todas, o argumento arrematador de qualquer contenda, 'porque eu sou a mãe', há lá melhor do que este intransponível 'porque eu sou a mãe'.

 

 

E há mais, oh se há, agora é que não me lembro. Ou não me quero cobrir de vergonha, mais por aí.

 

___________________________________

[*] Sobre o tratamento por você, ou tu, ou excelenciazinha, já aqui desenvolvi a minha ideia da coisa, e não me apetece voltar ao tema, vale? Cada um sabe de si e eu não me meto nos tratamentos por tu dos outros, portanto estamos conversados.

16
Abr15

98 - A MINHA BARRIGA, O MEU UMBIGO, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES, BIRRAS E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

 

 

não consigo adequar as roupas ao clima, ando nisto há tantos anos e todos os anos por esta altura é a mesma coisa . chega-se a abril, águas mil, e eu careca de saber que em abril chove e está um tempo chato e todos os anos acho que chegou a primavera e o tempo espectacular, para depois andar a reclamar das chuvas de abril . se calhar isto também é envelhecer . mas consegui chorinas de quatro cores . pois foi . tenho as vulgares rosa, depois encarnadas, amarelas e laranja . gosto disto . gosto da minha entrada tão colorida . faltam-me as brancas, que estão encomendadas, mas que não há meio de me virem aqui parar . também quero glicínias . adoro glicínias . não gosto de sair fresca e rapar frio, de sair com roupa quente e rapar calor . portanto, a mesma coisa todos os anos por esta altura . acho que já disse . já disse, já . os meus filhos já descartaram as meias . meias não é com eles . com a mãe deles também não . também já disse . e já pus uma cadeira lá fora e depois choveu, recolhi a cadeira e resolvi que era boa ideia esperar por dias melhores . houve anos em que na pressa do verão, espetei com os sofás de jardim lá fora . depois passei a primavera a recolher almofadas e nos intervalos a teimar pôr . não foi bonito . agora já concluí que o verão não vem mais depressa, lá porque eu monto o outdoor de verão . era bom que assim fosse . não faz mal,  há aquele hidratante que adoro o cheiro e a textura, que até tenho vontade de comer, mas não como . isto não disse . e há os perfumes a cheirar a verão . e morangos . e os filhos . digo-o muitas vezes . não faz mal .

15
Abr15

201 - COISINHA MAI LINDA, RIQUEZAS DE SUA MÃE


Mac

 

 

 

 

 

o meu marido disse-me assim ah e tal, não temos fotos nos álbuns desde 2012 . é verdade somos pessoas daquelas muito antigas que gostam de álbuns de fotos . ali tudo em papel, físico e palpável .  mandamos imprimir as fotos, guardamos bilhetes, contas de restaurantes, pousa copos e cenas diversas e compomos os álbuns das nossas memórias . gostamos da coisa em papel . alguns deles são daqueles que se mandam fazer, muito giros, mas a maior parte não, a maior parte é feita por nós . então a culpa disto estar tudo atrasado é minha . eu fotografo muito os filhos . muito . mas depois esqueço-me de organizar as coisas . então fiquei com a tarefa de fazer uma selecção das fotos que ocuparão o seu lugar no olimpo das fotos . pois . eu faço a selecção e o meu marido compõe os álbuns, depois eu dou uns toques na cena estética e assim temos a tarefa muito bem organizada . sou aquela mãe que fotografa compulsivamente, porque entre outras razões que o coração conhece muito bem, sei que para se conseguir uma foto boa com uma criança, é preciso tirar quinhentas, só que eu sou aquela mãe que gosta de todas as fotos dos filhos . todas, menos algumas tremidas . algumas . pois . e porque nesta ele estava a babar-se, lembras-te da fase dos babetes e dos mares de baba, ai tão fofo, e naquela ele fazia burrinhas velhas, ai que não aguento esta cara tão fofa, e na outra ele estava a desfazer-nos uma bolacha maria em cima do sofá, ai que saudades de ter o sofá todo empastado e lembras-te do bordel de brinquedos que tínhamos na sala? e as almofadas à frente dos móveis e olha-me estas pernocas e os refegos dos braços e este que me está tão giro, ai como cresceu depressa, tão giro e olha aqui a mergulhar e nesta na praia e aqui com oito anos e ali e acolá . e . e . e . pois . do filho mais velho temos cinco álbuns de fotos do primeiro ano . isto parece a torre do tombo das fotos familiares . vou seleccionar fotos . 

14
Abr15

97 - A MINHA BARRIGA, O MEU UMBIGO, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES, BIRRAS E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

A pessoa que vos escreve adquiriu umas calças dessas à boca de sino, ou lá como se chamam, apesar de não saber bem se vou aderir à moda anos 70 ou lá o que é, mas achei por bem estar prevenida e vai que um dia me apetece ir a um churrasco, ou uma coisa assim igualmente catita, e também me apetece plantar-me em cima das plataformas e ficar extremamente grande e moderna, olha, já tenho a coisa toda, mulher prevenida vale por duas, ou lá como se diz, e eu valho, fico 'praí com 2.50 m e é muito giro ver toda a gente lá ao fundo da minha pessoa enorme em cima das plataformas. Já fiz uns treinos e então vesti a 'calça e as plataformas, ou lá como se chama, mas senti-me dividida, por um lado gosto imenso das minhas calças pops, por outro a sensação de que estou mascarada não me larga, mas pronto. Também passei pelo arrependimento da compra, o que denota qualquer coisa em mim, acho que juízo, mas não sei bem e não tenho tempo para analisar, nem pachorra, sobretudo pachorra, não interessa, então dizia eu que até me arrependi, mas como na pressa de sabe-se lá o quê, o arrependimento agarrou-se à minha pessoa, quando já tinha mandado arranjar as bainhas, olha, e já não dava para trocar. Não faz mal, se a coisa não pegar, mando-as transformar em skinnies, assim: vá transformem-se, se fosse ao contrário é que não dava, portanto até estou com sorte, posso ser moderna sem grandes riscos.

10
Abr15

14 - EU É MAIS COZINHAS, TACHOS E PANELAS. RAPAR TAÇAS TAMBÉM


Mac

 

 

 

 

E depois de testar mais umas alterações ao merengue para a Pavlova, desta feita, uma com framboesas e morangos, já posso dizer coisas: está encontrada a fórmula de merengue ideal.

 

Fácil, fácil, nos segundos finais, quando as claras já estão em merengue, portanto depois de juntarmos o açúcar às claras, juntamos 1 c de sopa de vinagre e uma de chá de Maizena. 

 

E é só isso . Isso e um bom fim-de-semana.

 

______________________________________________________

 

Fica então a receita da Pavlova com as alterações.

 

. merengue

 

   . 4 claras de ovo

   . 280 gr de açúcar semi ice

   . 1 c de chá de Maizena

   . 1 c de sopa de vinagre

   . uma pitada de sal

 

Batemos as claras em castelo, às quais juntámos uma pitada de sal, e nos 50 s finais, juntamos o açúcar. Nos 30 s finais juntamos o vinagre e a Maizena. Na Bimby, pomos a borboleta e deitamos as claras e o sal no copo, programamos 6 mn/vel 3 (não esquecer de tirar a medida do copo) 

Num tabuleiro forrado com papel vegetal, deitamos o merengue em círculo e levamos ao forno a 140º C, durante uma hora e meia

 

. creme

 

   . 300 ml de natas para bater (bem frias)

   . 20 gr de açúcar

   . sementes de uma vagem de baunilha (ou umas gotas de essência de baunilha)

 

 

Bater tudo até ter consistência de chantilly. Na Bimby, pomos a borboleta no copo e deitamos as natas, programamos 2 mn/vel 3 1/2 e nos 20 s finais, deitamos o açúcar e a baunilha. 

 

Deixar arrefecer o merengue no forno com a porta entreaberta. Quando estiver frio, retirar do tabuleiro e passar para o prato de servir. Deitar por cima o creme e depois os frutos, que podem ser morangos, mistura de frutos do bosque, peras cozidas, enfim, o que nos apetecer.

10
Abr15

29 - AI VALHA-ME MINHA NOSSA SENHORA DA QUINTA DA MARINHA QUE JÁ É SEXTA-FEIRA [EM FINO, TGIF]


Mac

 

 

 

 

 

    

 

 

 por estes dias

 

uma camisola de uma cor inenarrável, que um dia trouxe comigo, porque me pareceu que sim, que era uma oportunidade . as oportunidades crio eu . está visto . e a meu belo prazer . acho que nesse dia o céu não estava bom para escolher tons . não é cinzenta, nem creme, nem rosa, mas uma mistura de todas, mas não chega a ser rosa velho . não interessa . finalmente consegui combinar a camisola de tom inenarrável com qualquer coisa que me agradou . estou numa de lenços . lenços ao pescoço, lenços para segurar o cabelo . lenços . gosto deles, mas tenho fases . e humores . muitos humores .

 

os bolbos faleceram-me com as chuvadas, mas as outras que eu não sei o nome estão lindas . as que eu chamava de sardinheiras, mas que não o são . e a trepadeira, que parece que não é trepadeira e que eu chamava de hera . ai pah, a hera é tão diferente . olha, não interessa, o que interessa é que estão bonitas . não são daquelas que vá buscar para encher jarras, mas compõem e dão cor ao verde . a verdade é que quase nunca vou cortar flores . minhas ricas meninas, até se me parte o coração . quero sardinheiras . hera não, diz que só atrai bichos daqueles que ninguém gosta . 

 

o meu filho pequenino está na fase das histórias iguais a si mesmas, contadas vezes sem conta exactamente da mesma forma, pela mesma ordem . e esta mãe que é uma contadora incapaz de contar a mesma história exactamente como a inventou da primeira vez, é corrigida a cada frase . o irmão também era assim . e a mesma mãe também . já devia ter aprendido que quantos mais pormenores tem a história, mais me tramo e mais sou corrigida . não faz mal . só já não consigo acabar a história . vitória, vitória, acabou-se a história . 

 

09
Abr15

33 - OS FILHOS, A ESCOLA, O NIRVANA E EU


Mac

[*]

 

 

Uma das coisas que nos fez repensar a escolha do colégio para o mais novo, foi saber que ali as crianças chegavam ao primeiro ano a saber ler. Claro que ninguém faz por isso, mas é extraordinária a quantidade de crianças que, sem que nada seja feito para isso, aparece a saber ler no pré-escolar. Oh que espanto. Seja como for, o conceito não me agrada, não apenas pelo que é, mas pelo que significa chegar até ele. Bom, não vou estar com rodriguinhos, para mim é mesmo uma questão importante e que me faz arrepiar caminho, sempre que me começam com o orgulho do despropósito. Aos meus olhos o pré-escolar serve para as crianças socializarem, aprenderem regras, adquirirem mais rotinas, desenharem, pintarem, adquirirem destreza manual e brincarem. Brincarem muito. Para os três anos dos meus filhos só quis sempre que ainda se sentassem em cima da mesa, fizessem birras e dissessem não a tudo, porque sim, porque faz parte. Sempre quis que aos quatro me perguntassem tudo e tudo, e porquê, mãe? E porquê, mãe? E que desenhem nas paredes, amuem e desenhem a família, porque sim, porque faz parte. Mas nunca os quis a saber ler aos quatro anos, nem a fazer cálculo diferencial e integral aos nove, porque não, porque não faz parte, porque não quero fases atropeladas, idades disfuncionais e pessoas baralhadas, porque não os quero amestrados, nem a fazer gracinhas para gáudio de meia dúzia de adultos. E não quero míni adultos. Quero crianças no tempo de serem crianças, adolescentes no seu tempo e adultos felizes e realizados.

 

Os comportamentos e aquisições têm uma idade própria e adequada, trocar a ordem seja do que for, não me parece boa ideia. Tudo a seu tempo, no seu tempo, com tempo. É o que eu quero.

 

 

[as escolas muito preocupadas com o ranking nacional, também me começam a preocupar. eu pensava que isso era um resultado e não uma meta, mas acho que me enganei]

 

[*] esta conversa toda é da que está sentada ali em cima da mesa.

08
Abr15

96 - A MINHA BARRIGA, O MEU UMBIGO, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES, BIRRAS E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

 

por estes dias

 

esta a querer usar calções e roupas leves, mas as minhas pernas a discordar da minha pessoa que tem cérebro de verão, mas corpo de inverno, pernas de inverno e uma ausência de cor muito acentuada . o tempo também não ajuda . e o meu termómetro corporal também discorda do meu cérebro sonhador de temperaturas quentes, dias tórridos e miragens de águas cristalinas e refrescantes . há qualquer coisa de bipolar entre a pessoa que está acima do meu pescoço e a outra que fica abaixo deste . mas não faz mal . misturam-se as coisas, substituem-se os calções e sandálias por calças e botins e faz de conta que sim, que é quase verão . 

 

antes de ontem achámos que sim, vestimos coisas frescas, descartámos as meias e isso, e apanhámos um frio do demo . ontem vestimos coisas quentes, fomos ali beber um café, quer dizer eu bebi um café, o meu filho pequenino ataviou-se em bolachinhas, e rapámos calor . quer dizer não foi bem calor, abafámos . hoje calçámos galochas .

 

a chuva arruinou-me os bolbos todos . foram-se-me os jacintos, narcisos, túlipas, foi-se tudo, ali escarranchados pelas bátegas de água . diz que a jardinagem é coisa zen para nos pôr apardaladas e tudo . não é nada . a jardinagem é uma carrada de nervos . ele é as pragas de formigas, piolhos das coisas e mais toda a fauna que apareça, o gato a fazer-me necessidades para cima das minhas meninas, feio, ele é as intempéries . olha zen é que não é .

 

lembro-me do dia em que comprei aquela túnica encarnada . aprendi muito sobre a minha pessoa hospitaleira nesse dia . nesse dia entre o mesmo modelo em branco e em encarnado, resolvi sair da minha zona de conforto e em vez da túnica branca, sempre as túnicas brancas, optar pela encarnada . ainda ponderei trazer as duas, mas não, naquele dia forcei-me a optar pelo que não era habitual em mim . parva . olha, não te falta nada para parva . arrependo-me até hoje . e quando voltei atrás para ir buscar a branca, já não havia . não sei porque meia dúzia de iluminados nos dizem para sair da zona de conforto e cenas no género . saiam eles, é boa . saiam e vão para muito longe . ide . eu cá não volto a sair . não nas roupas .

 

ando doente dos nervos com aquela cena dos açúcares . juro . e não sei bem o que pensar, mas acredito que pensarei coisas acertadas em breve . ando aqui indecisa entre achar que é mais um estudo sério que gerou uma onda histérica . ou um estudo alarmante que se calhar não é assim tão sério, mas vá-se lá saber porquê, para nos infernizar a alma . e o corpo . o meu coração balança . começo a achar que há demasiadas ondas alimentares . o que hoje é bom, amanhã é veneno . o que hoje é veneno, amanhã afinal é o melhor que há, porque afinal faz falta a não sei o quê e coiso . olha, peso, conta e medida, se calhar é só isso . em tudo .

 

e depois eu tenho andado a ver colégios para o meu filho pequenino . já estava escolhido, seria aquele, mas depois deu-me uma coisa . dão-me muitas coisas . sou pessoa dada a coisas . pois é . e resolvi ver mais uns e sim fiz bem . gosto do meu instinto . deu-me sempre muitas alegrias . ah mas dizia eu que andei a ver colégios, portanto vi muitas crianças e não vi essa quantidade de obesos de que se fala para aí . então onde estão eles? claro que há crianças gordas com o futuro comprometido, se nada se fizer por elas, mas não são aquela invasão alienígena de que se fala . gente doida . falta-me a paciência . falta muito . 

 

também fiz uma obra esperta . depois de cortar o cabelo no cabeleireiro, já em casa resolvi acertar a franja recorrendo a esse objecto profissional, que é a tesoura das unhas dos meus filhos . correu muito bem . acabei por voltar ao cabeleireiro e parece-me que apesar de ter dito que usei a tesoura da costura e tropecei enquanto fazia o trabalho, porque o meu filho me empurrou - eu sou muito boa a inventar mentiras, do melhor que há, até estou a pensar em abrir uma linha, um daqueles 800 ou 500 qualquer coisa para as pessoas que precisam de petas a metro, começarem a arranjar coisas credíveis, é que por exemplo, ninguém acredita na peta do dentista, está muito gasta, então as pessoas que precisam de boas petas telefonam-me e a pedido eu invento uma . adiante - então as cabeleireiras disseram qualquer coisa da tesoura do peixe, mas eu não lhes dei confiança .

 

e é isto

07
Abr15

21 - DEPOIS DE SER MÃE, UMA MULHER NUNCA MAIS ESTÁ SÓ


Mac

 

 

 

 

 

Esqueci-me completamente de contar que para os mais novos fazerem uma boa escovagem dos dentes, não há nada melhor do que as escovas a pilhas. Bom, para os mais velhos também. Confesso que não tenho paciência nenhuma para contar número de escovagens em baixo do lado esquerdo, depois do direito, depois em cima do lado esquerdo, depois à direita, depois os dentes da frente, depois o tempo total, ainda pôr aplicações não sei quê no iCoiso para a criança se entusiasmar e tal, não tenho, para mim a escovagem dos dentes tem de ser frequente, ora não há paciência para estar quatro ou cinco vezes por dia com joguinhos e ceninhas. O importante é que a criança goste de lavar os dentes e o faça correctamente, porque tenho pânicos de que tenham maus dentes, cáries e cenas, portanto desde que gostem da pasta de dentes (*), é deixa-los com a escova uns minutos, instituir que a passa em cima, em baixo e à frente, e os dentes ficam bem lavados.

 

[também me acontece deixar o mais novo com a escova e depois ir dar com ele a lavar as torneiras, o lavatório, os pés, o que calhar, mas pronto, muda-se a escova e não vem mal ao mundo]

 

(*) convém seguir as indicações do pediatra e ter muita atenção quais são indicadas para cada idade.

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D