Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

31
Out14

86 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

Como já tinha dito, dei uma aparência nova a dois cestos que não tinham um aspecto por aí além, aliás quando os comprei estavam destinados à despensa, mas acabaram por não servir para o que inicialmente tinha pensado. Então tornaram-se daqueles objectos sem função específica, mas que serviam para quase tudo, desde transportar brinquedos do quarto para a sala, e depois acabavam estacionados na sala, a arrumar brinquedos que não tinham lugar exacto, valeu-lhes de tudo, principalmente valeu-lhes muito a função de tabuleiro. Só que eu acabei a não gostar deles, mas não os queria deitar fora e como ando em pinturas, resolvi pinta-los com uma espécie de auto compromisso, se ficassem piores, iam para o lixo. Não achei que ficassem e com uma nova cara até os achei necessários para o quarto do mais novo, só que apesar de mais apresentáveis, todos em branco, continuavam sem grande graça. Lembrei-me de lhes aplicar uma fita com pompons e fazer uma aplicação em tecido para cada um, de acordo com a decoração do quarto.

 

Tenho imensa pena de não ter tirado fotos aos cestos antes da pintura, afinal sempre dava para se ver um antes e depois e comparar as diferenças, mas nem me passou pela cabeça que ia gostar do resultado, foi muito aquela coisa do deixa cá ver no que isto vai dar, mas sem qualquer tipo de expectativa.

 

Materiais para os cestos:

. tinta branca

. rolo com esponja, ou pincel

. fita com pompons

. pistola de cola quente, ou cola comum

 

Materiais para as aplicações de tecido:

. restos de tecidos

. enchimento de almofadas (à venda nas grandes superfícies de bricolage), ou algodão comum. 

. botão

. linha encarnada e linha branca

. fio de pasteleiro (na secção de papelaria das grandes superfícies ou Staples)

. 2 molas (secção de papelaria das grandes superfícies)

. agulha de tecelagem

 

Execução:

 

Pintamos o cesto com tinta branca e damos cerca de três camadas, deixando secar bem entre cada camada. Quando a última camada estiver seca, aplicamos a fita de pompons, que colamos com silicone quente ou com cola tudo, tipo UHU.

 

 

Quanto às aplicações de tecido,


 

Fazemos um molde em papel com o desenho do que pretendemos, recortamos e prendemos com alfinetes a dois tecidos sobrepostos. Desenhamos com caneta própria (tinta que sai com água ou que desaparece em uma hora) ou giz, o contorno do nosso molde. Cortamos o tecido, deixando a mais uma margem com cerca de 1 cm, que servirá para as bainhas. 

 


 Cosemos, deixando uma abertura para o enchimento.

 

 

 

Fazemos uns recortes em todas as zonas que não sejam rectas, porque ao virar para o lado de fora e ficando as costuras para dentro, se não fizermos isto, o tecido repuxa. Viramos a nossa aplicação para o direito e pomos o cordel com a ajuda de uma agulha de tecelagem. Finalmente pomos o enchimento. Eu prefiro este tipo de enchimento, que se vê na foto, que deixa as almofadas e este tipo de aplicações muito macias e não faz altos, nem grumos.

 

 

 

 Cosemos à mão a abertura e depois decoramos, ou não. No coração resolvi coser um botão, mas a letra achei que ficava bem, sem nada. 

 

 

 

 

 

E finalmente, prendemos com uma mola a aplicação ao cesto.

 

 

31
Out14

19 - DEPOIS DE SER MÃE, UMA MULHER NUNCA MAIS ESTÁ SÓ


Mac

Eu, Mac Maria Beatriz Hermengarda Sara Constança, nunca, jamais, em tempo algum, alinharei no Halloween, não, nunca. Eu sou pelo Pão-por-Deus, pelas nossas tradições e ai de quem me venha cá com modernices. Nego-me.

 

Mas isto foi antes de ser mãe.

 

Depois de ser mãe, fiz a máscara de feiticeiro mais gira de que fui capaz, com um chapéu comprado ali, mais uma capa feita acolá, mais um caldeirão encomendado. Fui todos os dias, durante uma semana, à abertura de uma loja xpto, à espera que chegasse aquela máscara para os seis anos do meu filho, porque eles nunca atendem o telefone e quando atendem, não sabem, não viram, nunca ouviram falar. Fui ao chinês a trinta quilómetros, porque aquele é que tinha aquele fato tão igual, tão giro, tão tudo e não, o que me fica ao fundo da rua, nem para naftalina serve. Participei em desfiles e gostei, fotografei e filmei. Fui com o mais velho pela mão pregar sustos e dar doces. Encomendei abóboras, passei tardes a escava-las e fiz lanternas, para depois ter o congelador com abóbora para sopas até à Páscoa.

 

E ontem à noite, quase à hora de deitar, os meus filhos quiseram as máscaras para hoje, porque mais logo querem ir pedir doces e pregar sustos, ou lá o que é, e eu fui enfiar-me no sótão e lá trouxe comigo as máscaras de vampiro, conde coiso, feiticeiro e tudo quanto é feio e isso.

 

Não me orgulho por aí além, mas não me envergonho com toda a certeza, a verdade é que até já gosto disto do Halloween. Nada como os filhos para nos atirar com as teorias, dogmas, paradigmas e quejandos para a sarjeta.   

 

[amanhã pedem Pão-por-Deus]

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D