Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

a vida em azul cueca

04
Abr17

148 - As dietas, a vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

 

Para mim a comida é um enorme prazer e as porcarias são o céu. Perco-me por refrigerantes a abarrotar de gás, gomas, chocolates, todos e todos os snacks, bolos, sobremesas, gelados, pão (branco) com manteiga, enfim, tudo quanto me engorda. Bastante. No meio disto tudo, a meu favor tive sempre uma boa alimentação, que inclui fruta diária, saladas, sopas e peixe, que sempre vai equilibrando a coisa, mas não faz tudo.

 

A acrescentar a isto,  minha especialidade é fazer dieta e depois furar a dieta. Aquilo de me ver cheia de proibições e regimes, tabelas, escalas, número de calorias diárias e isso, é logo meio caminho andado para o insucesso. Gosto de furar dietas, é assim um super poder que tenho. Também me faz sentir irreverente. E gorda. Às vezes acho que sou a minha maior inimiga. 

 

Então encontrei um equilíbrio que funciona muito bem comigo: não faço dieta, só substituo os alimentos que me fazem mal, ou seja reverti a situação a meu favor e substituí os alimentos que são nocivos, por alimentos amigos, mas que não me tiram o prazer daqueles sabores que amo e principalmente não me fazem morrer de saudades daquilo que adoro.

 

Entre outros, por exemplo, às refeições substituí os refrigerantes por água, ou águas aromatizadas, e deixei de ter refrigerantes em casa (longe da vista, longe do coração); o pão branco pelo pão integral (no meu caso tem de ser o da Sacolinha), os snacks e gomas pelas tiras de fruta seca da Fruut (1 pacote corresponde  a 1 peça de fruta, adoro. tem um bocadinho de açúcar, mas não é crítico), os lanches e sobremesas pela granola (depois conto coisas) com iogurte natural sem açúcar.

 

Em suma, substituí tudo quanto me engorda. Comigo resulta muito bem assim, não sinto que estou numa tarefa que um dia termino (conto os dias para acabar e quando acabar, volto a engordar), não me dá a sensação de desespero (isto vai ser assim para sempre), não me retira o prazer do que gosto, porque encontrei substitutos de que gosto, e não me sinto pressionada. No meu caso a pressão estraga sempre tudo. Sempre. Acima de tudo vejo resultados na balança e não me sinto infeliz. Esses sim, dois factores de peso.

 

 

[calhando substituo o resto dos alimentos por papel]

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D