Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

a vida em azul cueca

05
Abr13

42 - O MEU (LONGO) PÓS PARTO, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES E COISAS ASSIM


Mac

 

 

  

E claro que a conversa sobre o pós-parto é outra. Logo para começar fico desconsolada. Desconsolada por ficar com uma barriga descomunal, mas já sem o bebé lá dentro. Uma barriga que mexe em contracções estranhas e já não é o meu bebé em movimentos artísticos. Uma barriga sem bolhinhas a quem já não faço festas. Nem lhe falo. Mas insulto-a. E choro. Nós estávamos tão bem assim, a minha barriga com o meu bebé e eu, mas pronto, tem que ser. Depois sofro dores horríveis, porque faço sempre cesariana, não para me armar em fina, mas porque tem que ser. Diz que os meus bebés não se põem em posição, mais não sei o quê da minha configuração e isso, em suma, noutros tempos, era das que me ficava no parto, e viva o séc. XXI. E também fico com um caminhar estranho. E aquela cena do soro nos primeiros dias na maternidade, também é chata para conseguir mudar as fraldas do bebé e dar-lhe miminho. E não gosto de estar na maternidade e choro porque quero ir para casa. E quando chego a casa, choro porque quero os enfermeiros e os médicos a vigiar o meu bebé. E dá-me sempre para verificar tudo quanto se passou na minha ausência e se a roupa foi lavada, as refeições servidas, confirmar existências no frigorífico e despensa, e depois fico arrasada. E choro. E se se mostram condescendentes comigo, fico raivosa. Se se mostram normais, fico revoltada porque ninguém olha para o meu estado lamentável. E depois quero comprar roupa e fica-me tudo mal. E choro nos provadores. Também não acho muita piada à coisa da super produção de leite, bomba extractora e isso, reduz-me a mera produtora de alimento, mas enfim. E aquilo dos bebés chegarem aos intervalos de duas horas entre cada mamada também me reduz intelectualmente. E artisticamente.

 

Mas a verdade é que, por mim, repetia até à inconsciência. Tudo passa e o que fica é, tão, mas tão bom.

 

 

[o que ajuda muito em tudo é ter um marido espectacular que não foge ao primeiro choro do bebé e meu, muda fraldas, dá colo, banho e só não dá de mamar porque não pode]

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D