Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

05
Abr13

42 - O MEU (LONGO) PÓS PARTO, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES E COISAS ASSIM


Mac

 

 

  

E claro que a conversa sobre o pós-parto é outra. Logo para começar fico desconsolada. Desconsolada por ficar com uma barriga descomunal, mas já sem o bebé lá dentro. Uma barriga que mexe em contracções estranhas e já não é o meu bebé em movimentos artísticos. Uma barriga sem bolhinhas a quem já não faço festas. Nem lhe falo. Mas insulto-a. E choro. Nós estávamos tão bem assim, a minha barriga com o meu bebé e eu, mas pronto, tem que ser. Depois sofro dores horríveis, porque faço sempre cesariana, não para me armar em fina, mas porque tem que ser. Diz que os meus bebés não se põem em posição, mais não sei o quê da minha configuração e isso, em suma, noutros tempos, era das que me ficava no parto, e viva o séc. XXI. E também fico com um caminhar estranho. E aquela cena do soro nos primeiros dias na maternidade, também é chata para conseguir mudar as fraldas do bebé e dar-lhe miminho. E não gosto de estar na maternidade e choro porque quero ir para casa. E quando chego a casa, choro porque quero os enfermeiros e os médicos a vigiar o meu bebé. E dá-me sempre para verificar tudo quanto se passou na minha ausência e se a roupa foi lavada, as refeições servidas, confirmar existências no frigorífico e despensa, e depois fico arrasada. E choro. E se se mostram condescendentes comigo, fico raivosa. Se se mostram normais, fico revoltada porque ninguém olha para o meu estado lamentável. E depois quero comprar roupa e fica-me tudo mal. E choro nos provadores. Também não acho muita piada à coisa da super produção de leite, bomba extractora e isso, reduz-me a mera produtora de alimento, mas enfim. E aquilo dos bebés chegarem aos intervalos de duas horas entre cada mamada também me reduz intelectualmente. E artisticamente.

 

Mas a verdade é que, por mim, repetia até à inconsciência. Tudo passa e o que fica é, tão, mas tão bom.

 

 

[o que ajuda muito em tudo é ter um marido espectacular que não foge ao primeiro choro do bebé e meu, muda fraldas, dá colo, banho e só não dá de mamar porque não pode]

17
Jan12

28 - O MEU PÓS PARTO, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

 

O meu bebé dá-me muito boas noites, se pensar no que ouço falar em recém-nascidos e bebés por estas idades, mas já me deu algumas assim assim, daquelas de ficar no berço de olhos lindos muito abertos e sorriso escancarado, à espera de grandes interacções com a sua progenitora, eu, que nos entretantos entra em estados hipnóticos, enquanto faz tentativas vãs para o convencer que dormir é uma cena muito boa. Também já me trocou as voltas às horas de mamar e já me estafou, quando resolveu que a coisa não se iria processar de três em três horas, mas de duas em duas, o que vale é que de vez em quando faz destas, mas depois volta aos horários de três em três. Já desatou a berrar e não era fome, nem sono, nem cólicas, era só neura. Já teve dias em que só queria colo, como se o berço estivesse habitado por ouriços e eu com os braços a doer, adormecidos e cansados.

 

E às vezes fico irritada, um bebé a chorar por mais de vinte minutos, consegue atirar com um adulto para estados de desespero puro. Às vezes fico cansada, afinal noites até às cinco da manhã, ou de três em três horas, deixam-nos meias azamboadas. Às vezes fico zangada, de tão longe que estou (outra vez) de mim. Pois é, se pensamos que eles são bonecos mecânicos, pois que nos enganamos e muito.

 

Estes primeiros meses não são fáceis para nenhuma mãe, mas com o segundo filho já sabemos ao que vamos, lembramos-nos bem de como foi com o primeiro, bom, lembrar, lembrar, não nos lembramos assim tanto, dizem que se nos lembrássemos bem, só tínhamos um filho e era o fim da espécie, se não o fim, a solução para a sobrepopulação do planeta, deve ser a natureza a defender-se. 

 

Mas depois ele sorri-me, mostra-me aquelas gengivas carecas, e se ele sorri, com aqueles olhos lindos, diz-me árru e eu acho que as noites trifásicas, o berço de faquir, o estado de vaca leiteira e a falta de tempo para mim, não são assim tão importantes. 

 

Os bebés são pessoas, e claro que são todos diferentes, até entre irmãos o são, também têm dias bons e dias maus, têm os seus humores e os seus maus humores. A verdade é que se quisesse exercitar o meu instinto, só por exercitar, tinha comprado um Nenuco e a coisa estava feita, mas quis ter filhos. 

 

E isto é só o começo, sei-o bem, afinal já cá tenho outro.

30
Nov11

28 - A MINHA BARRIGA, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES E COISAS ASSIM


Mac

 
 

 

 

 

 

Aos oito anos quando não queria ir à escola, queixava-me amiúde da barriga, que me doía muito, mas ia, que mãe querida nunca foi em tangas e também ela conhecia a importância de uma barriga na vida de uma mulher. Aos dezasseis, os namorados, os nervos à flor da pele e elas, as dores de barriga. Na faculdade, as temíveis orais, um nó na garganta e lá está, outra vez aquele aperto numa barriga que era plana, tão linda, a velhaca que me deixa saudades eternas, nada a fazer, não há nada como a barriga dos vintes, ali com o umbigo a enfeitar, tão bonito, foi-se. Depois grávida, o orgulho naquela enorme barriga, que carregou os meus bebés. Agora, e após dois filhos, ela, a mastafona que já não tem bebés, mas que existe demais e como existe, credo, toma-me mais uma vez conta da existência.

 

Por isto, por tudo e por uma vida a olhar para ela [e a senti-la], se houvesse algum top ten de importância corporal, ela, a barriga, estaria sempre no meu topo. 'Cais cérebro, 'cais carapuça. 

21
Nov11

09 - COISAS QUE ME FAZEM EXTREMAMENTE FELIZ


Mac

 

 

 

 

 

Um mês do meu bebé, a pessoinha mais amada, nesta família que construímos todos os dias. Não sei se pensámos muito, se planeámos o suficiente, se calculámos ou pesámos prós e contras. Acho que não. Pelo menos calculámos o que queríamos e isso basta. Sem surpresas, sem imponderáveis. Também acontece. Gosto desta família. Gosto das nossas rotinas boas. Também há rotinas boas, as nossas são. A rotina não mata um casamento, nem uma família, a rotina também é um porto seguro. O tédio, sim, dizem. Eu não o conheço. O abandono. Mas desse não sei, nem quero. Gosto dos pequenos almoços em família, todos os dias. Gosto de pensar nas refeições e de cuidar. Gosto desta casa para onde regressam todos, todos os dias. Gosto das tardes de fim-de-semana entre filmes, lanches e os bolos que faço. Gosto do cheiro que fica na cozinha. Gosto do calor. Gosto dos teus olhos. Gosto dos olhos dos nossos filhos. Gosto disto.

10
Nov11

11 - O MEU PÓS PARTO, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

 

Isto de não poder beber café, mata-me. Bom, não mata, mas mói. Já não basta ter a tensão arterial baixa, para a coisa me fazer muita falta, para ainda ser acometida dos sintomas de privação, tipo dores de cabeça e tal.

 

Ontem, na loucura, atrevi-me a beber meio café a seguir ao almoço, só para não andar com a língua ao lado, a babar-me e o coiso, e coincidência, ou não, meu Mac Baby, que é um bebé a pilhas, dorme bem, dá-me noites completas, desde a meia-noite até às oito da manhã, não tem cólicas, quase nunca chora, a não ser no banho e quando lhe mudo a fralda, pois que entrou em modo baby rave. Ele esteve acordadíssimo toda a tarde, vá, com alguns períodos de sono e terminou o dia com uma espertina até às duas da manhã, comigo deitada ao lado dele, berço ao lado da cama, claro está, a tentar convence-lo de que a chupeta é o nirvana, a terra prometida e a coisa que ele mais ama neste momento, mas ele nada, olhos lindos abertíssimos e 'cais chupeta, 'cais quê, se queres chupeta, usa-a tu. Ainda pensei em meter-me no carro com ele e irmos dar um giro, tipo para lhe apresentar o bairro. Diz que é infalível, e eu sei que é, afinal todos os bebés adormecem em carros em andamento, mas pronto, a cama estava tão quentinha e eu tão podrinha, que insisti no conforto sem sono, enquanto me chibatava pelo café do pecado.

 

Maneiras que estou para aqui a pensar devagarinho, acompanhada de uns belos chumbos dançarinos no cérebro, mas a resistir estoicamente à cafeína. Parece-me bem.

09
Nov11

112 - A DONA DE CASA PERFEITA


Mac

 

 

 

 

 

A Bimby é uma máquina vingativa e com fricotes.

 

Resolvi fazer o bolo de chocolate deles, seguindo a receita também deles. Bati as claras com a dita borboleta, mas esqueci-me de as reservar, segundo o léxico deles, que é como quem diz, pôr de parte. Atirei com as gemas lá para dentro, o açúcar e a manteiga. Pus a 70º C, como eles mandam, mas a meio do processo achei estranho que se pusessem claras em castelo a quente. Voltei a ler e pronto, resolvi que era melhor recomeçar, voltei a pôr umas claras para ficarem em castelo, só que me esqueci que a máquina estava a 70º C, mas achei que não havia problema. Depois de batidas, ainda lhes juntei o açúcar, quer dizer, elas ficaram um bocado estranhas, mas como não quis trecomeçar e gastar mais seis ovos, fui com a mistela para a frente. Reservei as supostas claras em castelo e fiz o resto. Por acaso aquilo cru dá uma bela de uma mousse de chocolate e eu em vez de me ficar por aqui, ainda a pus no forno, mas como me esqueci de ver as horas a que a forma lá entrou, calculei que já tinham passado os dez minutos que eles me mandam, maneiras que vai de desenformar, sem recurso ao avançado método do palito, nem nada.

 

E pronto, consegui fazer o Pior Bolo de Chocolate do Mundo. Não sou lovely? Eu cá acho.

 

___________________________________________________

O mérito disto tudo é da máquina, claro está, é que se fosse pelo método antigo, não ficava atacada dos nervus, gastava uma bateria de loiça e tal. Não está lindo o meu bolinho, hein? 

 

 

09
Nov11

196 - A SÉRIO!!??


Mac

 

 

 

 

 

Ora então, vamos lá saber quanto custa uma gravidez e respectivo parto, neste cantinho à beira mar plantado, esquivo a ajudas à natalidade, mas muito espantado com as estatísticas de decréscimo da mesma natalidade,

[Uma boa solução, é fazer um Seguro de Saúde, que inclua partos e bem antes de engravidar]

 

. Consultas: € 570.00, sabendo que de cada ida, se deixa lá € 80.00 e se incluir CTG, vamos para € 100.00

. Análises: € 94.52

. Ecografias: € 560.00

. Farmácia: € 249.40

. E não menos, a cereja no topo do bolo, a cesariana: € 5.500.00

 

Dando um total de € 6.973.92

 

 

E não incluo as despesas directas com o bebé, desde vestuário, produtos de puericultura, higiene, como gel de banho, cremes,  puericultura pesada, desde cadeira auto, carrinho, espreguiçadeira, banheira, berço, roupas para o berço, etc., etc., etc., que por alto, rondam na boa os € 3.000.00.

 

E isto é só o começo, depois é sempre a subir até acabarem a faculdade.

 

 

________________________________________________________

Ah e tal o nosso serviço publico de saúde é tão bom, até quando me dói um dente, deixo-os arrancar aquilo tudo, quais tratar, 'cais carapuça e nem se morre nos corredores, nem à porta do hospital, nem nada, e os profissionais são tão humanos, nem nos tratam como animais que só nascemos para lhes empatar a vidinha e quem te mandou a ti ires para o privado e o coiso. Pois, pois, é que descobri que os profissionais nacionais, competentes, simpáticos, com boa vontade e que nos tratam bem, assim de repente, estão todos no privado [e cada vez mais], e como não estou para aturar cavalgaduras que acham que isto é Santiago do Chile e que somos todos carne para canhão, pronto, fui-me ao privado.

 

Ah e tal fui sempre bem tratado e o coiso. Ainda bem, folgo em saber, mas eu já por lá passei e não fui nada bem tratada. 

 

[quase nada contra os nossos serviços públicos, no caso do ensino até tenho melhor impressão do que do privado, mas lamentavelmente no que toca  a saúde, pois que não tenho. É a minha opinião e vale o que vale, ou seja, nada]. 

09
Nov11

10 - COM ESFORÇO, A COISA VAI LÁ, AH POIS VAI [ACHO EU]


Mac

 

 

 

 

 

Dão-se alvíssaras a quem me indicar uma manicura que faça domicílios, espectacular, barata, trabalhadeira e rápida, porque não tenho tempo para converseta, encontros sociais e tal, se tivesse, iria ao cabeleireiro. Ora portantos, pede-se gentilmente alguém que saiba cuidar destas mãos e pés [e cérebro] com a qualidade a que estão habituados.

 

Se fizer unhas de gel, tanto melhor, é que no ponto de lavagem e desinfecção a que estão sujeitas, não há verniz que aguente mais do que dois dias e eu já estou por tudo, só para manter os padrões, mas nada de profissionais criativas com manias de designs industriais, pop art e que tais, tudo na base da simplicidade.

 

Não me apetece tornar uma chonca só porque pari uma criança, é mais isso.

28
Out11

04 - O MEU PÓS PARTO, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

  

Era pessoa para viver muito bem nesta vida da contemplação aos filhos, e pouco mais fazer do que olhar muito, mudar fraldas, alimentar e dar beijinhos, mais tarde acrescentar brincar e continuar a olhar, dar beijinhos e alimentar. Depois, mais beijinhos, alimentar, cuidar, até eles me ordenarem para parar. Sim, era pessoa para fazer isso em exclusivo, na boa.

 

As mães deveriam ter licença de maternidade até aos dezoito anos dos filhos.

 

 

[digo eu agora, em pleno estado de paixão]

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D