Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

18
Abr17

99 - Já fui feliz aqui [e serei sempre]


Mac

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

fim-de-semana grande com sabor a alentejo, páscoa e raízes . a primavera no alentejo é tão bonita . o alentejo, esse, é sempre bonito . verde na primavera, amarelo a perder de vista no verão e castanho no inverno . nós aproveitamos tudo . eu há muitos anos, desde que me lembro de mim . eles depois de mim . as rotinas com o meu pai, o almoço da chegada no afonso, ainda o afonso era só metade do que é hoje, o café de sábado no águias d'ouro naquele tempo em que estava longe de beber café, e as voltas na feira para comprar as cestas que sempre gostei, o torrão doce e os livros ali ao lado, a visita ao ferreiro que já não está lá e a tudo, porque eu não me canso de matar as imensas saudades que tenho sempre de tudo e de todos . e agora também as coisas novas que fazem parte da infância deles, as tardes junto à ribeira, o pedro a atirar pedrinhas, no verão todos a nadar, no outono só a olhar para aquele sítio tão bom . as noites a contar as histórias da avó que nasceu naquela casa, da bisavó que fez aquelas mantas para eles e olhar aquele céu imenso tão cheio de estrelas . o céu do alentejo tem mais estrelas do que os outros, acredita a infância dos meus filhos, como a minha acreditou . e eu a saber tão bem o que é aquela felicidade tão plena de quem vai precisar sempre do alentejo . tanto quanto eu . é ali o meu lugar feliz, já o disse . onde a felicidade é fácil .

23
Nov16

98 - JÁ FUI FELIZ AQUI [E SEREI SEMPRE]


Mac

 

 

 

  

 

Houve um tempo em que me fartei do peru do Natal, do bacalhau com batatas cozidas e couve portuguesa, e de todas as iguarias da ceia de Natal, quer dizer, todas menos os doces. Ai que já não se aguenta, todos os anos a mesma coisa e ninguém gosta e é um sacrifício e até tenho vontade de meter os dedos nas amígdalas. Esta última parte não é verdade, é só um desejo (mas para continuar a comer). Foram tempos em que quis pato com recheio de alheira, leitão, arroz de pato, bacalhau com natas, bacalhau com broa e outros substitutos. Já não quero. No passado Natal tive saudades da Roupa Velha de bacalhau, que se fazia para o almoço de dia 25 em casa da minha avó e como não tivemos bacalhau cozido no dia 24 - porque o resto da família acha que já não se aguenta, mas este ano eu vou mostrar-lhes que aguenta sim - e sem o bacalhau e acompanhantes, também não houve os seus restos para fazer a Roupa Velha, então fiz Roupa Velha com o que deveriam ser as sobras, mas que não eram. Nem eu imaginava as saudades que já tinha.

 

Este ano para o dia 24 vou querer o peru com recheio para trinchar, o bacalhau cozido com batatas e couve portuguesa e os doces todos, que esses nunca falhei. Tenho saudades daquela ceia de dia 24. Voltar àquele jantar é a forma que tenho de regressar ao tempo em que tinha aquele Natal, àquela casa e aos cheiros que me ficaram gravados. Só por um bocado de tempo, o suficiente. Àquele tempo.

 

[agora tenho de descobrir onde se compram os reis dos perus para fazer em casa, como se recheiam e cenas]

07
Nov16

97 - JÁ FUI FELIZ AQUI [E SEREI SEMPRE]


Mac

 

 

 

 

  

 

 

vinte e tal coisas que gosto nos fins-de-semana . o cheiro dos lençóis acabados de mudar . experimentar vários tons de verniz e perder tempo com isto . o spa caseiro das manhãs de domingo e usar todos os cremes que apanho a jeito . perfumar-me com tudo o que me apetece . e saber que estes tratamentos não resultam em grande coisa, para além de um consumo exagerado de cremes, máscaras e esfoliantes, não é que a pele fique mais macia, o cabelo mais hidratado e a cara mais esticada, não fica, mas fica este tempo que me sabe pela vida . os almoços fora, aqui e ali . e descobrir novos restaurantes para incluir nos lugares seguros para ir sempre . ler ao entardecer com as pernas levantadas . a "minha" mistura de legumes . os jantares para comemorar nada com amigos, ou com família, ou sem amigos e sem família . o tempo no jardim depois de chover e o cheiro que fica no ar e na terra . o nosso café a dois com os jornais que ficam sempre para ler depois . as "minhas" revistas . as manhãs em cascais para comprar pão, andar no carrossel e cortar o cabelo dos miúdos . e nos dias de chuva incessante, ficar em casa a vê-la cair . os lanches com chá e clichés . os filmes pela tarde fora . vinte ou cinquenta coisas que gosto nos fins-de-semana .

03
Out16

96 - JÁ FUI FELIZ AQUI [E SEREI SEMPRE]


Mac

  

  

 

 

 

  

 

 

 

comecei outubro no alentejo . vi aquele céu imenso . vi as cores dos campos já quase sem verde e o rio de outro azul . a luz já é outra,  o meio-dia ainda é quente, mas com luz de quatro da tarde, os fins de tarde já pedem cheiro a madeiras queimadas e mantas, as noites estão geladas e respira-se o frio da casa ao pequeno-almoço . os mergulhos no rio em dias estupidamente quentes, são substituídos por passeios, tardes de pinturas e lanches no sofá à frente do fogo, até se pôr o sol naquele céu tão rosado que se vê das janelas . é outro outono o do lá . e é o mais bonito de todos os outonos . 

22
Ago16

95 - JÁ FUI FELIZ AQUI


Mac

 

 

 

 

gosto de agosto . foi em agosto que fui mãe a primeira vez (1) . foi em agosto que estive muito grávida a segunda vez (2) . foi em agosto que ainda pequena soube o que é o vento suão (3) . é em agosto que vivo de chinelos e não quero outra coisa . é em agosto que à areia e mar se seguem os campos de trigo ceifado e o maior céu estrelado do mundo (4) . é em agosto que vou sempre de férias . gosto das noites de agosto e das estrelas no alentejo . gosto de agosto .

 

 

(1) e que o meu filho me culpa, porque só tem festa de anos em setembro. e que agradecerei eternamente às velhacas das minhas amigas, os convites para a praia que eu não podia fazer, porque estava a feliz proprietária de um recém-nascido e de um humor bastante peculiar.

 

(2) também agradeço ideias tão boas, como passeios de barco com esta pessoa grávida de sete meses. ser 'chaculada é mesmo o que apetece a uma mulher grávida.

 

(3) basicamente é o mesmo que abrir a porta do forno, após o ter pré-aquecido a 220º C durante 4 horas e não tirar dali a cara. é uma sensação do género "vou liofilizar-me em nano segundos".

 

(4) já não há mais chamadas, que isto cansa mais do que escrever um texto a eito.

16
Ago16

87 - AS FÉRIAS, A VIDA, O NIRVANA E EU


Mac

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 . chegámos à nossa casa, à nossa praia e à nossa vida . e eu gosto tanto dela .

(e chegámos com uns dias fantásticos, sem vento, com o mar tão bom - bandeira verde! bandeira verde no guincho!! - a praia cheia e tanto sal na pele)

 

 

 

já o disse, se não for para mais nada, que o é, as férias servem para ganhar saudades daquilo a que já não ligava, coisas tão parvas como o duche . não há melhor duche que o meu . nem cama melhor do que a minha . o regresso ao nosso parque . onde as correrias são as melhores de todas . e os escorregas e baloiços . e os patos e patinhos, e os galos e galinhas, também são os melhores de todos . e ainda há a praia . a nossa praia . que também é a melhor de todas as praias . mesmo com muito vento . todos os anos as mesmas caras . todos os anos às minhas perguntas se vai estar um bom dia, a resposta, sim, vai estar um bom dia de guincho . um bom dia de guincho é uma tempestade no deserto . os dias de vento, quase todos, e as alfinetadas de areia nas pernas, os pára-ventos e os dias em que só de camisola . e gorro . e tapa-orelhas . e cobertor . e depois há os outros, os dias fantásticos e não há nada melhor do que os dias fantásticos de guincho . em cada época balnear, contam-se pelos dedos de uma mão . se calhar é por isso que são inesquecíveis . amo de paixão o cheiro daquele mar, a areia agarrada à pele e os fins de tarde quando a praia fica mais vazia e a luz é mais laranja, o sol está mais baixo e o mar mais calmo . adoro aquele cheiro . e gosto das rotinas desta praia . as revistas que compro para levar . os almoços naquele bar . os seixos que apanho, para depois pintar, ou não . as conchas que levo para casa e ponho em frascos . as madeiras gastas pelo mar . no ano passado fiz barcos à vela . e no outro, pintei peixinhos nos seixos . este ano não sei . este ano não quero saber de muitas coisas . gosto tanto de todos os bocados de praia que consigo trazer para casa . todos os anos

 

 

. já o disse há um ano, há dois, há três e há sempre .

05
Ago16

97 - EU GOSTO É DO VERÃO


Mac

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

. e tem sido isto .

 

. quando era miúda pedia coisas aos céus . coisas importantes, claro está . que me deixem ir à festa, que me deixem ir à festa, por favoooor . e repetia muitas vezes a mesma frase, como se isso desse força à realização do meu pedido . depois cresci e deixei-me disso . não devia . ainda estou convencida que se pedir muitas vezes a mesma coisa, com os olhos bem fechados e os punhos cerrados para lhe dar força, que tudo se realiza . que o verão dure para sempre, que o verão dure para sempre .

 

. agora vou voltar para mais disto, até já .

16
Mai16

66 - EU GOSTO É DA PRIMAVERA


Mac

  

 

 

 

  

 

 

 

  

foi um fim-de-semana de regressos . tão bom . regresso ao horto para escolher flores, destinar árvores e aprender muitas coisas . regresso aos livros de jardinagem para aprender mais coisas, reunir dúvidas e perguntar a quem sabe muito disto . e plantei que me fartei, renovei e rearranjei . vou criar couves decorativas . lá fora tenho as flores tão bonitas . e cá dentro rearranjei as flores do dia do aniversário do pai cá de casa, que ainda duram e duram, lindas como tudo e fiz um novo arranjo (depois conto) . regressei aos mocassins mega confortáveis e a uma carteira muito vintage, que pedi à minha mãe há muitos anos . tantos . namorei-a desde os dezasseis anos, aos vinte pedia-a dia sim dia sim e aos trinta, mãe querida cansada do meu namoro desenfreado, deu-ma . há amores assim . regressei à arrumação do quarto de brinquedos e acho que finalmente está bem organizado, se partirmos do princípio que o "finalmente" é coisa para uns três a quatro dias . e houve o regresso do céu azul no domingo, connosco a almoçar no sítio do costume, com as pessoas do costume, com o mar pela frente e o horizonte de azul a azul . tão bom . 

11
Mai16

70 - AS PESSOAS, A VIDA, O NIRVANA E EU


Mac

 

 

  

 

 

 

 

| Por estes dias |

  

Blazers brancos, azuis claros, ou em tons claros, com t-shirts e jeans brancos ou de ganga, deve ser das minhas conjugações preferidas para a Primavera que teima em não aparecer. Às vezes lá aparece o sol, mas isto tem sido uma aguada pegada. E depois há peças que uso e uso e uso, por ondas, como aquele cordão. Usei-o muito há quatro anos, depois deixei-o e agora voltei a usa-lo. São ondas.

 

 

 | Um dia |

 

Ontem, estava eu na bicha [*] do supermercado e pôs-se atrás de mim uma pessoa aí dos seus setenta anos e com uma muleta. Quis dar a prioridade, mas não, a pessoa não quis a prioridade para nada. Disse-me que com a ajuda da canadiana estava muito bem e tal. A sério? Mas ninguém aceita a minha vez nas bichas? Se a próxima pessoa a quem quiser dar prioridade, for uma mãe com uma criança de dezoito anos ao colo e negar a minha pretensão a cidadã como deve ser, juro que berro "e se fosse consigoooo, e se fosse contigoooo". 

 

#‎asfilasdosupermercadosãoumsítiolindo‬

 

 [*] não adoptei ao acordo ortográfico, como todos sabeis

 

 

| Outro dia |

 

Ando novamente metida em arrumações. Às vezes acho que isto nunca terminará, não senhora. isto é uma tarefa para a vida e quando acho que já está, não é verdade, a vida vem provar-me que há uma solução melhor, que já acumulámos mais não sei quanta tralha que precisa de destino e armário e estante. Agora ando a mudar os livros dos miúdos, livros de estudo incluídos. Parece-me que com a nova solução, não teremos livros na horizontal, livros na diagonal e livros com livros dentro, a grande especialidade dos meus filhos. O tempo provará se é uma boa solução, ou não.

 

‪#‎quemtemumadolescentetemtudo‬

 

 

| E o outro |

 

Ainda tenho alguns brinquedos da minha infância, mas não me lembro de brincar com eles. E não tenho aqueles com que me lembro de brincar. Também há pessoas assim. Não é importante.  

  

 

 

 

 

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D