Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

03
Jul17

145 - Croché, colagens, tricô, filet, bricolage e coisas assim


Mac

 

 

 

Estes arranjos não têm qualquer ciência, mas de qualquer forma deixo aqui como os fiz. 

 

 

 

 

 

 

Materiais:

. 1 alface frisada roxa

. 1 alface frisada verde

. formas de pudim (fica mais giro com formas antigas, mas eu só tenho uma, portanto usei também a de Pudim Flan)

. velas largas

. tesoura

 

 

 

 

 

 

 

  

Fazemos grupos de 3 folhas e cortamos de forma a ficarem um pouco maiores do que a altura da forma, e enrolamos.

 

 

 

 

 

 

Vamos dispondo na forma, já com a vela posta. No caso das formas com buraco, usamos velas mais baixas, que pomos em cima do buraco (como é a de Pudim Flan).

 

E já está.

 

 

 

 

 

 

[aqui para os meus lados é boa ideia pôr as velas dentro de copos, porque se for para usar ao ar livre, com o vento que faz quase sempre, se não usarmos copos, não conseguimos ter as velas acesas]

03
Jul17

03 - Vi no pinterest e fiz


Mac

 

  

 

 

 

 

Nunca aproveito as folhas de fora das alfaces para as saladas, porque acho que já foram demasiado mexidas, mas como trouxe duas alfaces enormes para casa, resolvi fazer uns arranjos que vi no Pinterest (depois explico) e aproveitar estas folhas que vão sempre para o lixo.

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 Depois foi só pôr o resto da mesa em tons de verde e voltei a misturar serviços de loiça, para quebrar o tom neutro da base. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Reforcei o verde com estes copos e espalhei mais uns apontamentos na mesa, umas taças em forma de folha e umas suculentas em mini vasos brancos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E esteve-se muito bem no primeiro fim-de-semana de Julho.

 

 

»»» • «««

 

 

. Individuais, copos e vasos pequenos para suculentas .. Area

. Velas .. IKEA

. Pratos em creme .. Cerâmicas da Linha

. Pratos em verde .. Bordallo Pinheiro

. Redomas e mesa .. Horto do Campo Grande

16
Jun17

144 - Croché, colagens, tricô, filet, bricolage e coisas assim


Mac

 

 

 

Ora então a forma de fazer estes suportes para velas, que vi numa decoração de Natal escandinava, mas que achei que tinham muito mais a ver com o nosso Verão.  Não têm ciência nenhuma, como é evidente. 

 

 

Materiais:

- Garrafas à escolha

- Restos de velas (daquelas que se põem em castiçais)

- Ramos pequenos

- X-acto

 

Escolhi estas garrafas dos concentrados da IKEA, porque gosto da forma e achei que tinham mais a ver com o que queria fazer.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O único senão é que  as etiquetas são dificílimas de tirar. Para um outro trabalho já tinha experimentado tira-las com esfregão verde, depois de molho em água bem quente para ver se amoleciam e derretia a cola, e nada. A única forma de saírem é assim, raspando com um X-acto.

 

 


 

 

 

 

 

Depois de remover todas as etiquetas, escolhemos as ervas que queremos. Optei por aquilo que tenho no jardim e que tem ar de aguentar dentro de água. As folhagens de árvores de fruto não me pareceram boa opção, assim como de algumas flores, como Hortenses, por isso escolhi Alecrim, Fetos, Alfazema, Eucalipto, Oliveira e um raminho de umas sebes que não sei o nome.

 

Finalmente é só encher as garrafas com água, pôr cada raminho lá dentro e tapar o bocal com uma vela.

 

 

 

04
Mai17

74 - Eu gosto é da Primavera


Mac

 

 

 

 

Cada vez gosto mais de ver as flores em frascos de vidro, jarras ou até copos e estou a gostar imenso de usar frascos grandes com poucas flores, por isso tenho abusado desta forma de decorar a casa com flores. 

 

 

 

 

 

 

 

 

Já tinha experimentado com Gerberas e gostei imenso do efeito, portanto quando o meu marido me trouxe estas rosas, resolvi testar o efeito com estas flores. É uma flor que adoro, mas tenho muita dificuldade em fazer arranjos que me agradem, ainda mais para pôr numa mesa, mas parece-me que resultou. 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 Depois aproveitei e pus a mesa a condizer com as cores das flores, uma desculpa tão válida como outra qualquer.

 

 

 

 

 

 

 

»»» • «««

 

. Pratos . IKEA

. Individuais, saleiro peixe . Area

. Copos . VA e Area

. Copos que usei para as flores e guardanapos . Zara Home

. Toalha . Teresa Alecrim

. Arranjos . Rosas - Monceau Fleurs .. Gipsófilas e Cravinas - Mercado da Vila de Cascais .. Folhagens do meu jardim 

 

 

{a maior parte dos artigos não são deste ano,

mas algumas coisas (ou parecidas) ainda existem nestas lojas}

27
Abr17

73 - Eu gosto é da Primavera


Mac

 

 

 

 

Esta mesa foi pensada para um almoço lá fora, mas como estava muito vento, acabei por passa-la cá para dentro e manter o espírito e a ideia inicial, porque gostei do resultado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não é novidade, gosto muito de porcelana branca e azul, desde a mais clássica e tradicional à mais rústica e informal. Mais uma vez misturei dois serviços, uns pratos básicos em branco com outros com flores azuis, e como também gosto de misturar padrões com a mesma cor, usei uma toalha também azul e branca como um dos serviços. 

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois foi só fazer uns arranjos de flores (Gipsófilas e Cravinas), e desta vez optei por encarnado, para dar algum contraste ao azul e branco da restante decoração.

 

 

 

 

 

 

»»» • «««

 

. Pratos brancos . IKEA

. Pratos com flores azuis . Kasa

. Individuais . Area

. Copos . VA e Kasa

. Copos que usei para as flores . Zara Home

. Toalha . Fui eu que fiz [forma de fazer aqui e aqui]

. Argolas para guardanapos . Casa da Bli

. Flores . Mercado da Vila de Cascais

20
Abr17

748 - Lai lai lai [os títulos não são o meu forte]


Mac

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

Esta deve ser a época do ano em que é mais fácil fazer arranjos de flores e eu aproveito todas as ocasiões para encher a mesa e a casa de flores. Os arranjos de que mais gosto são os que têm um ar rústico, que parece que foram colhidos ao acaso, sem grande simetria, com várias espécies misturadas, alguma harmonia nas cores, mas sem verduras ou ramagens, além daquelas que vêm com as flores, aliás, quase nunca uso ramos, por nada, só por uma questão de gosto pessoal. 

 

 

 

 

 

 

 

Qualquer suporte serve, mas como desta vez queria usar estas taças, que não têm base para aguentar um arranjo, recorri mais uma vez às esponjas de florista (têm de ser as que levam água). Cortei-as de forma a que para entrar nas taças fosse preciso fazer alguma pressão e assim não caírem com o peso das flores. 

 

 

 

 

 

 

 

A seguir ensopei-as com água e depois pus as flores. Comecei por dispor as flores com caule maior numa linha, pelo comprimento da esponja e depois fui diminuindo o tamanho dos caules e dispondo à volta desta linha, até preencher a esponja, mas sem a sobrecarregar. 

 

 

 

 

 

 

 

»»» • «««

 

 

Já agora uma dica, para variarmos o aspecto e cor de uma mesa, basta ter um serviço de base numa cor neutra e comprar meia dúzia de pratos diferentes, mas que combinem entre si. Neste caso, arranjei um serviço em branco (da Cerâmicas da Linha) e comprei uns pratos verdes e outros amarelos (Bordallo Pinheiro), que combinam com o serviço de base. Depois é só desatar a misturar.

 

 

 

 

 

 

 

20
Mar17

145 - As flores, a vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

Entretanto passei as Yuccas para vasos grandes. Prefiro sempre vasos em barro, por tudo. Porque os acho mais bonitos, porque parecem matéria viva que ganha verdete com a humidade e ficam esbranquiçados com o sol, e porque são intemporais.

 

Depois de passar as Yuccas para os novos vasos, enchi-os com substrato (prefiro o que tem mistura de estrume de cavalo).

 

 

 

 

  

 

E para preencher a superfície, fui ao jardim buscar dois tipos de suculentas, uma que cresce em altura (verde com pontas bordeaux, Aeonium arboreum), outra que preenche os vasos em comprimento (a verde, Echeveria setosa). Escolho sempre pés que não se vejam, ou estejam mais escondidos, para não prejudicar visualmente as plantas que já estão bem desenvolvidas e bonitas. As suculentas são facílimas de propagar (ver aqui), além de ser uma actividade que compensa imenso, porque pegam com facilidade, crescem muito e não precisam praticamente de manutenção.

 

 

 

  

 

 

 

Sei que daqui a uns meses já estão assim, como este vaso em que fiz exactamente o mesmo, destaquei três pés e passei para ali,

 

 

 

 

 

E ficaram prontos os vasos com Yuccas e suculentas para uma das varandas.

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 »»» • «««

 

 

 

  

 

 

. Vasos . Flores da Quinta (Estrada da Malveira da Serra 228 Qta Casal Queimado 2750-782 Cascais)

16
Mar17

190 - A dona de casa perfeita(mente desesperada)


Mac

 

 

 

 

 

A minha casa tem duas boas varandas, que além de lhe conferirem um ar austero, não são usadas. Adoro varandas e como não me passa pela cabeça fecha-las, porque marquises não são a minha praia, tenho andado às voltas para mudar o aspecto da coisa. Ainda me passou pela cabeça pôr numa delas uma mesa e cadeiras, para fazer um espaço exterior de pequenos-almoços, ou leitura, mas logo que começa o bom tempo, os pequenos almoços fazem-se no jardim, por isso afastei essa hipótese. Depois pensei em pôr uns puffs, mas iam ter o mesmo destino que a mesa, portanto resolvi que o melhor era pôr-lhes plantas.

 

Apesar de gostar imenso de ver em varandas, Sardinheiras, Petúnias e n variedades que dão flor, são plantas que requerem rega regular, se não diária, o que no caso destas varandas com pouco uso, seria crítico, então optei por plantas de rega mensal. E como vi estas Yuccas, já com um bom tamanho, achei que eram as plantas ideais. Também são boa opção para pessoas que queiram decorar as varandas com plantas, mas não têm tempo nem paciência para cuidar delas, porque são plantas que além de quase não precisarem de água, são de baixíssima manutenção.

 

Foi uma boa opção, aqueles bocados de verde deram logo outro aspecto à casa, "cortaram" de alguma foram aquela visão de paredes nuas e o aspecto austero desapareceu. Agora vou pensar nos vasos para onde as vou passar, que quero bem grandes para dar dimensão à coisa e que vou preencher com suculentas, ou Chorinas. Parece-me bem.

 

 

 

 

07
Mar17

140 - AS FLORES, A VIDA, O NIRVANA E EU


Mac

 

 

  

Na sexta-feira estive a mudar o substrato a algumas Orquídeas. Esta operação é pouco frequente, aliás só é necessária a cada quatro anos, ou quando as folhas apresentam pintas (quer dizer que os substrato está azedo) mas como estas Orquídeas já tinham demasiadas raízes fora do vaso, resolvi dar-lhes um jeito e já agora mudar o substrato. 

 

Nunca devemos mudar de vaso ou mudar o substrato a uma Orquídea em flor. A altura ideal é após ter dado flor e quando começa a brotar novo caule e novas raízes.

 

 

 

 

 

 

Tiramos a planta do vaso e sacudimos com cuidado os bocados de substrato que estão agarrados às raízes. Sem fazer força, puxamos ligeiramente as raízes, para tirar as que estão secas, mas sem danificar as que estão boas e verdes. Depois passamos as raízes por água, de maneira a que fiquem limpas. Pomos um pouco de substrato no vaso e colocamos a planta. Sempre a segurar na planta com um mão, preenchemos o vaso até tapar as raízes, mas deixando de fora as que estão mais perto das folhas.

 

 

 

 

 

 

Se a Orquídea já tiver um caule, colocamos uma vara própria para Orquídeas com ganchos que não apertem o caule das futuras flores.   

 

Já agora, quanto ao tamanho do vaso, as Orquídeas não precisam de vasos grandes e gostam de ter as raízes apertadas, portanto aquele vaso em que vêm, é o vaso onde ficam. Quanto muito podemos muda-las para vasos com buracos, em barro ou plástico, mas com as mesmas dimensões dos vasos de origem. 

03
Mar17

743 - LAI LAI LAI [OS TÍTULOS NÃO SÃO O MEU FORTE]


Mac

 

 

 

 

 

 

 

 dez coisas para dar cores mil aos dias cinzentos . pôr flores nas jarras . tratar das orquídeas . pintar as unhas . usar os anéis que um dia se imaginou (*) . dar duas borrifadelas de perfume para o ar e deixar cair-nos em cima . depois dar mais cinco borrifadelas e repetir . fazer um bolo de noz e decora-lo como se fosse para um aniversário . preparar um mega lanche para os miúdos . pendurar quadros . mudar a disposição dos quadros . voltar a pendurar . vestir uma camisola cor-de-rosa . prender o cabelo . usar uns brincos . passar creme nas mãos . ter um ataque de preguiça e decidir começar o fim-de-semana duas horas mais cedo . fazer gazeta ao ténis de um e à natação de outro . preparar para o jantar o rolo de carne que eles adoram . vinte e tal coisas coisas que dão cor às sextas-feiras cinzentas .

 

 

 

(*) há algumas ourivesarias na Baixa que através de um desenho, fazem as peças. 

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D