Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

20
Mar17

34 - Eu gosto é do fim-de-semana


Mac

 

 

 

 

 

 

dois dias de céu azul e muito sol, com temperaturas tão boas . e nós aproveitámos tão bem . fomos cortar o cabelo ao mais novo, fomos à praia (apanhar vento no guincho) e no dia do pai, tivemos bolo de chocolate, presentes queridos para o pai desta família e almoçámos com os avós num dos nossos sítios (marina sushi), e juntámos dois pais à mesa e dois em projecto . a vida deu-me bons pais, para mim, para os meus filhos e para o meu marido . não posso pedir mais à vida .

21
Mar16

25 - JÁ NÃO S'AGUENTA


Mac

Às vezes acho que os exageros podem ser dispensados. Os exageros incomodam-me e incomoda-me que estejamos num ponto em que o nosso feminismo, direitos, deveres, ou aquilo que lhes quiserem chamar, se está a tornar desproporcionado. Mais do que desproporcionado, se está a tornar qualquer coisa com falta de nexo. Agora pelo Dia do Pai, vi uma série de publicações em que se desejava feliz dia aos pais e às mães que também são pais. Eu sei, todos sabemos, que há mães que fazem, ou tentam fazer, o papel do pai, independentemente das causas da ausência. Ninguém nega, muito menos eu, o enorme trabalho de presença, segurança, amor e carinho diário que estas mulheres proporcionam aos filhos que criam sozinhas.

 

Mas daí até estarmos a tomar como nosso um dia que é dos Pais, em publicações que não levam a “causa”, nem as razões, a lado nenhum, é desnecessário. Qualquer dia celebramos o Dia dos Bons Pais, o Dia das Boas Mães, o Dia das Más Mães (porque as há), o Dia das Mães Assim-Assim (porque as há), o Dia das Que Não Deviam Ser Mães.

 

As mães têm o Dia da Mãe. Os pais têm o Dia do Pai. Celebra-se em cada um dos dias, o dia das mães que são mães e o dos pais que são pais. O Dia do Pai não é para as mães que também são pais, assim como o Dia da Mãe não é para os pais que também são mães (e que os há).

 

Nem sempre é boa ideia chamar a nós, aquilo que não é nosso.

 

Ou é. No Dia da Criança não me vou esquecer de desejar um feliz Dia da Criança a todas as crianças e aos adultos que também são crianças. Não me vou esquecer.

 

‪#‎a_apanhar_pancada_em_3_2_1‬

21
Mar16

08 - DIA DO PAI


Mac

 

 

 

 

 

 

 

  

Esta mãe pôs uma mesa de Primavera para o pequeno-almoço do Dia do Pai, o filho pequenino compenetrado da sua missão, ofereceu o presente que fez no colégio, o filho grande deu os livros que os dois gostam e a mãe uma t-shirt por todos. Almoçámos com os avós e juntámos dois pais à mesa e dois em projecto. É muito raro almoçarmos ali em dias cinzentos, para ali guardamos os dias de céu azul, seja com frio ou com calor, mas dias azuis de céu limpo e sol a brilhar amarelo lá no alto, mas era o Dia dos nossos Pais e a nossa Primavera já tinha começado. 

 

 

 

-------------- - ♥ - --------------

. Tapa bolos em palhinha e cake stand . Area

. Velas e guardanapos de papel . Zara Home

. Frapé, que usei como jarra . Atlantis VA

19
Mar15

07 - DIA DO PAI


Mac

 

 

 

  

E por aqui o Dia do Pai começou ao pequeno-almoço, com os filhos a oferecerem o seu presente, a t-shirt com os três peixes. Este ano também houve prenda (deles) para eles, uma t-shirt com um peixinho para cada um, a fazer conjunto com a do pai, uma surpresa da BeBau, que eles adoraram.

 

Sou completamente fã das t-shirts da BeBau e ainda por cima para o Dia do Pai têm sempre ideias giríssimas. Este ano, o tema era "filho de peixe sabe nadar", que tem tudo a ver com estes meus peixinhos e com o pai. Muito obrigada, Bárbara, são fantásticas. 

 

[se ainda não trataram da prenda do pai, mais vale tarde e gira do que nunca, é o que esta aqui vos diz]

19
Mar15

06 - DIA DO PAI


Mac

O pai acorda todos os dias o mais velho, prepara-lhe o pequeno-almoço, confirma se a mochila está completa e leva-o à escola. Regressa para ajudar no jantar do mais pequeno e fazer um ou outro trabalho de casa com o mais velho. E estudar matemática. É ele que os leva a cortar o cabelo, ao dentista e à natação, joga ténis com o mais velho e à bola com o pequenino, ensinou o mais velho a andar de bicicleta e o pequenino a andar de triciclo, corre na praia e joga raquetes com eles, toma com eles os milhares de banhos de mar de que eles gostam e ensina-os a mergulhar daquela maneira estranha nas ondas do Guincho, leva-os às cavalitas, arrasta-os na areia, deixa-os andar na lama e inventa explorações, safáris e ralis onde eu apenas veria um jardim com flores para admirar ou um bosque com árvores. O pai é que percebe dos super-heróis, histórias fantásticas, reinos de fantasia, cavaleiros com cinco cabeças e seres estranhos, escolhe os livros, mostra as BD e descobre os melhores filmes. O pai percebe os jogos, sabe o truque para superar aquele nível e ajuda com o computador. O pai é que tem uma paciência infinita para as mil e uma perguntas do mais velho e para as birras do mais novo. Bom, as mil e uma perguntas ficam só quase para a mãe e as birras também. O pai sabe falar a linguagem deles. A mãe fala a linguagem das mães. O pai ralha menos do que a mãe, mas quando ralha é porque a coisa é séria. Somos uma boa equipa. E todos os dias são dias deste Pai.

 

(19.03.2014)

19
Mar14

05 - DIA DO PAI


Mac

O pai acorda todos os dias o mais velho, prepara-lhe o pequeno-almoço, confirma se a mochila está completa e leva-o à escola. Regressa para ajudar no jantar do mais pequeno e fazer um ou outro trabalho de casa com o mais velho. E estudar matemática. É ele que os leva a cortar o cabelo, ao dentista e à natação, joga ténis com o mais velho e à bola com o pequenino, ensinou o mais velho a andar de bicicleta e o pequenino a andar de triciclo, corre na praia e joga raquetes com eles, toma com eles os milhares de banhos de mar de que eles gostam e ensina-os a mergulhar daquela maneira estranha nas ondas do Guincho, leva-os às cavalitas, arrasta-os na areia, deixa-os andar na lama e inventa explorações, safáris e ralis onde eu apenas veria um jardim com flores para admirar ou um bosque com árvores. O pai é que percebe dos super-heróis, histórias fantásticas, reinos de fantasia, cavaleiros com cinco cabeças e seres estranhos, escolhe os livros, mostra as BD e descobre os melhores filmes. O pai percebe os jogos, sabe o truque para superar aquele nível e ajuda com o computador. O pai é que tem uma paciência infinita para as mil e uma perguntas do mais velho e para as birras do mais novo. Bom, as mil e uma perguntas ficam só quase para a mãe e as birras também. O pai sabe falar a linguagem deles. A mãe fala a linguagem das mães. O pai ralha menos do que a mãe, mas quando ralha é porque a coisa é séria. Somos uma boa equipa. E todos os dias são dias deste Pai.

19
Mar14

04 - DIA DO PAI


Mac

Dia do meu Pai que a vida me levou, e de todos os pais. Nunca direi que já não tenho Pai, não é verdade, mesmo já não o tendo nesta vida, eu terei sempre Pai. Todos temos um Pai e uma Mãe, sempre. Podem ser ausentes, estar ausentes, presentes, até não nos cuidarem, nem quererem saber. Podem já não estar cá. Podem tudo, mas todos temos um Pai. O meu foi sempre presente. Foi a minha parede mestra. O afecto. A referência. Foi um Pai. Mas acharei sempre que a vida mo levou cedo demais. E o modelo perfeito que vejo no meu marido, também ele Pai.

 

E se há os que por já não terem um pai aqui ao lado, à frente, atrás, e do Dia guardam tristezas, eu não. Agora tenho o Pai dos meus filhos. E por eles, por mim, por ele, será sempre o Dia do Pai, do Pai deles, aquele que escolhi para os guiar pela vida e para fazer deles Pais assim, se eles assim o quiserem. Também é isso que quero para os meus filhos, que sejam tão bons pais como é o Pai, como é o avô paterno e como foi o avô materno.

 

Acho que tenho muita sorte, a vida deu-me bons Pais, para mim, para o meu marido, para os meus filhos e há-de dar para os meus netos, eu sei que sim.

 

 

Do meu Pai lembrar-me-ei sempre do que me ensinou a dançar, ainda com uns pés minúsculos e desajeitados em cima dos dele. Era tão bom. Vou lembrar-me que me ensinou a andar de bicicleta. Da vertigem quando muito pequena me levava no ar para o colo. De me fazer pensar que voava. Da mão dele na minha cabeça. Das minhas mãos pequenas dentro das mãos dele. Da cara que fez quando reparou que eu já fazia risco preto nos olhos. Do orgulho que teve quando resolvi que sim, que era boa ideia trabalhar com ele. Do outro orgulho, quando resolvi que não, que queria saber como era a vida sem ele. Isto são coisas de Pai, para as mães ficam outras. E de todos os orgulhos que se lhe estampavam nos olhos pelas minhas escolhas. Vou sempre ter saudades daqueles enormes olhos. Dizem os especialistas da genética familiar, que tenho os olhos dele. E qualquer coisa do feitio. Vou lembrar-me.

 

 

 

[escrito noutro Dia do Pai]

20
Mar13

04 - PUBLICIDADE GRATUITA DO QUE GOSTO, PORQUE ME APETECE E PORQUE SIM


Mac

 

 

 

E foi assim, além do bolo, os filhos ofereceram esta T-shirt ao pai. É da BeBau, mais uma das minhas óptimas descobertas ali no FB. Escolhi as cores, tamanho, fiz o pagamento e chegou num ápice, a Bárbara é uma querida, que perante as centenas de encomendas com que estavam, ainda se deu ao trabalho de me enviar e-mails a dar conta das fases da expedição. E o melhor de tudo, o pai adorou.

19
Mar13

141 - A DONA DE CASA PERFEITA


Mac

 

 

 

 

Não sei se ria, se chore do raio do bolo. Nem sei porque ainda tento, mas tento e tento e faço e e isso. A ideia era fazer um bolo em forma de bigode. Não é que o meu marido tenha bigode, que não o tem, muito menos grisalho, mas pronto, achei que a ideia era tão fácil, que até eu era capaz de a concretizar, quer dizer, a parte do recorte do bolo até correu bem, já a colocação do fondant ficou uma bela porcaria, vai daí, para disfarçar a coisa, fiz-lhe uns riscos com um garfo à laia de pêlos de bigode. Depois tirei-lhe o fondant e acabou num bolo deformado. Mas sabe bem, que é o que interessa. E não implodiu (pudera, é a receita infalível). E tem as bandeirolas.

 

Não há nada pior para uma artista do que o visado ficar a olhar para a arte, sem perceber o que ali está. Foi o caso. Não se vê logo que é a Guernica dos bolos? A frieza com a minha arte é cortante. Magoa-me. Fere-me. E gabar as bandeirolas que é bom? Nada. Nadinha. Devia ter dito que foram os filhos que fizeram, aí sim, ia ser o máximo, os meus prodígios pasteleiros, mas pronto.

 

 

[acho que o vou cobrir de chocolate. é isso. ou desistir]

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D