Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

06
Fev18

16 - Mesas para jantar, lanchar, almoçar e pequenalmoçar


Mac

 

 

 

 E depois da casa seca e posta em ordem, o regresso à normalidade para o almoço de domingo na cozinha.

 

  

 

 

 

 

 

No outro dia fiquei a pensar no Dia dos Namorados, sei lá eu porquê, e na Primavera que está quase aí (está, não está?) e em cores mais leves e que me apetecia muito rosa à mesa e na vida, portanto quando vi estas Gerberas no mercado, resolvi que sim, e (mais uma vez) conjuguei-as com loiças azuis, uma das combinações de que mais gosto. 

 

 

 

 

 

 

 E foi este o resultado. 

  

 

 

 

 

 

Se fizer alguma coisa para o Dia dos Namorados, é bem capaz de ficar bem parecida com isto.

 

  

 

 

 

22
Jan18

197 - As nossas refeições, a vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

Em Janeiro, depois da época de Natal, em que é tão fácil ter ideias para inovar nas decorações de mesas e casa, falta-me sempre inspiração para tudo, é um mês em que não me apetece nada, não tenho ideias, nem as procuro e nada me dá grande motivação,  por isso fico pelo mais básico e o básico chega-me.

 

 

 

 

 

 

 Este fim-de-semana não fugiu à regra, precisava de flores para dar um ar à casa e gostei imenso destas que encontrei no Mercado de Cascais. 

 

 

 

 

 

 

Gosto muito deste tipo de flores e de Proteas, que nem precisam de muitas verduras, nem sequer de arranjos complicados e se bastam.  

 

 

 

 

 

 

As últimas refeições têm-se mantido nos pratos já habituais nesta casa e não têm tido grandes inovações, a não ser um creme de espinafres com natas que estive na dúvida se faria, mas afinal os miúdos adoraram, apesar de acharem estranho ter as natas a boiar.

 

 

 

 

 

 

 

 

- Creme de Espinafres com Natas -  

 

. 200 ml de natas
. 3 molhos de espinafres (tenho usado os já preparados e congelados)
. 2 c sopa de manteiga
. 3 c sopa de farinha
. 1 c sopa de queijo ralado
. 1 litro de caldo de carne
. 2 gemas de ovos
. sal q.b.

Arranje e coza os espinafres em água temperada com um pouco de sal. Escorra e passe por um passador. Reserve. De seguida, leve 1 colher de manteiga ao lume a derreter, junte-lhe de uma só vez a farinha. Envolva muito bem e mexendo sempre, regue com a Nata e junte o queijo ralado, deixe cozer até obter um preparado bem espesso. Misture os espinafres e o caldo de carne. Rectifique o tempero, mexa bem, retire do calor e reduza a puré com a varinha mágica. Por fim, coloque numa terrina de serviço, a restante manteiga e as gemas de ovos. Mexa bem e junte aos poucos, o creme de espinafres. Sirva em seguida.

 

[se quiser decore cada prato com um pouco de natas. Corte o pacote de natas de forma a ficar com uma abertura pequena. Deixe cair algumas gotas na sopa e com um palito passe pelas pintas de natas de forma a formar uma espiral de folhas]

 

 

 

 

 

 

De resto tenho feito os pratos seguros habituais cá em casa e que sei que os miúdos adoram, como os mini hambúrgueres com molho de mostarda.

 

 

 

 

 

 

 

- Mini Hambúrgueres com Molho de Mostarda - (para 16 hambúrgueres)

 

. 800 gr de carne de vaca picada

. 1 sopa de cebola

. margarina para fritar

 

para o molho

. 200 ml de natas

, 1 c chá de mostarda

. sal q.b.

 

 

Misture a sopa de cebola com a carne picada e faça os hambúrgueres com metade do tamanho de um hambúrguer normal. Frite-os num pouco de margarina. Deixe a margarina da fritura na frigideira, deite as natas e assim que começarem a engrossar, deite a mostarda, envolva bem, tempere com sal e deite o molho sobre os hambúrgueres.

  

 

 

 

 

 

 Ficam óptimos acompanhados com salada de alface e arroz branco.

 

 


 

 

 

Também fiz um Bacalhau com Grão, que não é dos pratos preferidos da ala infantil, mas é dos adultos desta casa.

 

 

 

 - Bacalhau com Grão -

 

. 2 postas de lombo de bacalhau

. 5 batatas

. 1 lata de grão cozido (850 gr)

. 4 ovos

. 1 cebola

. 1 ramo de salsa

. azeite

. sal q. b.

 

Coza o bacalhau, as batas descascadas e em cubos, e os ovos. Desfie o bacalhau, descasque os ovos e corte-os em cubos. Junte tudo num prato de forno, assim como o grão. Descasque e pique a cebola e junte ao anterior. Regue com bastante azeite, junte a salsa picada e tempere com sal. Leve ao forno por 20 mn a 180º C. 

  

 

 

 

 

 

 

  

 

Por isso quando os miúdos não gostam, mas nós gostamos, ou nos dias em que não me apetece cozinhar e nos apetece comer qualquer coisa fácil de encomendar, mas que já sei que os miúdos também não gostam, por exemplo Sushi, resolvo as refeições com barrinhas de pescada, nuggets congelados, bôlas de carne, quiches ou pizzas e eles adoram, claro.

 

 


 

 

 

Já o Risotto é sempre um valor seguro aqui em casa e como  não pudemos dar grandes voltas, porque anda tudo constipado e engripado por aqui, fiz um Risotto de Bacalhau.

 

[muito bons Risottos: de camarão nos Prazeres da Carne, de Salmão no Maresias e de espargos no Atlântico

 

 

 

 

 

 

 

- Risotto de Bacalhau -

 

. 3 chávenas de café de arroz arbóreo

. 1 dl de vinho branco

. o triplo da medida de arroz, de água

. 1 dente de alho

. 1 cebola

. 750 gr de bacalhau

. 2 colheres de sopa de parmesão ralado

. 1,5 colher de sopa de manteiga

. pimenta

. 1/2 colher de café de noz moscada

. 2 folhas de louro

. 2 colheres de café de açafrão

 

 

Coza o bacalhau em bastante água, com o louro, a pimenta e a noz moscada. Piques a cebola e leve a alourar com o alho em metade da manteiga. Junte o vinho e logo que ferva, junte o arroz e mexa sempre até absorver completamente o líquido. Junte a água e deixe cozer. Desfie o bacalhau e a meio da cozedura, junte-o ao risotto com o açafrão. Quando estiver pronto, deite o parmesão, o resto da manteiga e tempere com sal. 

 

 

 

Para sobremesa e lanches destes dias, fiz uma tarte de maçã. 

 

 

 

 

 

 

- Tarte de Maçã -

 

Base para a tarte (massa quebrada)
. 300 g farinha
. 130 g manteiga dura
. 70 g água
. ½ c chá de sal
. ½ c chá açúcar

Coloque no copo todos os ingredientes pela ordem indicada e programe 15s/vel 6. Estenda a massa com a ajuda de um rolo e forre a tarteira.

 

Do modo tradicional: numa taça, ligue todos os ingredientes, sem amassar.

 

[em alternativa, há massas já feitas muito boas, como a do Pingo Doce, por exemplo]


Para o puré de maçã:

. 6 maçãs

. ½ chávena de água

. 4 colheres de sopa de açúcar amarelo

. 8 gotas de essência de baunilha

 

Para a cobertura:

. 2 maçãs

. 2 gemas bem batidas (para pincelar a maçã)

 

 

Leve as maçãs ao lume, cortadas e sem caroços, com a água e o açúcar [na Bimby, 15 mn, 100º C, v1]. Deixe cozer bem, até estarem no ponto de esmagar e transformar em puré [na Bimby, 15s, turbo]. Junte a essência de baunilha.

 

Forre uma tarteira com a massa quebrada, previamente estendida e deixe os rebordos da tarteira forrados com a massa que sobra.

 

Deite o puré de maçã e cubra com os gomos de maçã. Pincele com o ovo e leve ao forno pré-aquecido a 180º durante cerca de 30 minutos.

 

Sugestão, sirva ainda quente com uma bola de gelado de natas.

 

 

 

 

 

 

E como sobra sempre um bocadinho de massa, faço umas bolachas que os miúdos adoram. Estendo a massa e faço as bolachas com um cortador, vão ao forno até estarem cozidas e depois de frias, polvilho com icing sugar. Ficam óptimas.

 

 

 

 

 

 

E claro, que além da tarte, muita fruta. Este Inverno os miúdos estão viciados em clementinas e tangerinas e têm esquecido um bocadinho as maçãs e peras do costume. 

 

 

 

 

 

27
Dez17

193 - O Natal, as nossas refeições, a vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

 

Este ano só tive de pensar no jantar de dia 24 e depois no de dia 25, que foi basicamente de restos. O almoço de dia 25 não foi aqui em casa e não tive de tratar de nada. Para a consoada regressei aos encarnados, deixei as simplicidades escandinavas para os escandinavos e voltei a pôr uma mesa à portuguesa com encarnados, dourados e bordeaux.

 

 

 

 

 

 

  

Fiz um centro para a mesa no mesmo género de um outro que já tinha feito para um jantar aqui em casa, mas um pouco maior.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

e pus em cada prato um ramo, também parecido com um outro que já tinha feito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este ano para a ceia fiz o peru, um rosbife e o bacalhau cozido, que depois deu a Roupa Velha para o jantar de dia 25. Os doces andaram no habitual em qualquer casa, por isso só deixo as receitas do meu doce preferido, os Formigos que é aquele doce que fez sempre parte dos meus Natais no Porto em casa da minha avó.

 

 

-  Formigos -

. 250 g de açúcar mascavado

. 8 fatias de pão de forma

. leite

. 8 gemas

. 150 g de amêndoas

. 100 g de corintos

. 2 cálices de vinho do Porto

. canela

 

 

Leve o açúcar ao lume com 1/3 do seu peso de água e deixe ferver até obter ponto de pasta (28º baumé ou 101º C). Parta as fatias de pão em bocados, embeba-as em leite e escorra. Junte o açúcar e leve ao lume mais 5 mn. Adicione 100 g de amêndoas raladas e os corintos e deixe levantar fervura. retire do calor e junte as gemas desfeitas no vinho do Porto. Leve rapidamente a lume brando só para engrossar um pouco. Se ficar muito doce e espesso, junte um pouco de água a ferver. Deite os Formigos numa travessa ou taça e polvilhe com canela. Espalhe por cima as restantes amêndoas em falhas e corintos .

 

(os Formigos também podem ser feitos com Pão de Ló)

 

 

 

 

 

 

E da Roupa Velha que é de longe o meu prato preferido de Natal

 

. Restos do bacalhau, couve e batatas da ceia

. Azeite

. Alhos picados (calculo dois dentes por dose individual)

. Sal

 

Corte a couve, desfie o bacalhau e corte as batatas em cubos, Numa frigideira (ou wok) ponha bastante azeite e o alho picado. Deixe fritar um pouco, junte o bacalhau, a batata e as couves. Envolva bem e deixe-o no azeite até ficar quente. Rectifique o sal. Retire do lume, passe para uma taça ou travessa e sirva.

 

 

 

 

 

 

 

 

Para o jantar de dia 25 alterei o centro de mesa, tirei as frutas verdadeiras e falsas, as velas e as pinhas, deixei as ramagens e as bagas encarnadas e só acrescentei velas redondas e em estrela.

 

 

 

 

 

 

 

 

18
Dez17

191 - As nossas refeições, a vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

 

 

Resolvi fazer um centro de Natal, ou um arranjo para a mesa, ou um desarranjo - como se queira chamar - sem base, prato, nada, pus as coisas - ramos de abeto, gilbardeira (dizem que se chama o azevinho que não pica, mas pica, é melhor usar luvas), pinhas, maçãs e romãs douradas, laranjas secas e velas - em cima da mesa e assim foi, gostei do que vi e desconfio que será este o eleito para a mesa de Natal. 

 

 

 

 

 

 

Para uma outra refeição espalhei estrelas douradas pela mesa, velas e usei as bases para cupcakes como castiçais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nas últimas refeições a única novidade foi um creme de alho francês, de resto foi bis à carne de porco assada em leite, bis ao rolo de carne, bis e mais bis, e bis à pizzas congeladas e às refeições fora, amigas da dona de casa com a máquina da loiça providencialmente avariada desde sexta-feira.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Creme de Alho Francês (4 litros de sopa):

 

. 4 batatas

. 4 cenouras

. 3 alhos franceses

. 2 courgettes

. 1 dente de alho

. 2 c sopa de azeite
. sal


Descasque e corte todos os legumes. Faça um refogado com o azeite, o alho e os alhos franceses. Preencha com água, junte as courgettes, as cenouras e o sal. Deixe em lume médio durante 25 mn. Desligue o lume e reduza a puré com a varinha mágica.

 

 

 

 

 

 

13
Dez17

190 - As nossas refeições, a vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

 

 

 

Mais uma mesa decorada a pensar no Natal, portanto continuo em treinos para o grande dia.

 

Desta vez usei um conjunto de Árvores de Natal em porcelana da Flying Tiger, e umas velas em forma de pinha e estrelas, também de lá. Depois fui variando em cada refeição, acrescentei as velas pinheiro (da Zara Home), tirei Árvores de porcelana, misturei e voltei a pôr. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para uma das refeições fiz um creme de tomate, que já aqui pus a receita, assim como do Rosbife, para  acompanhar fiz um arroz com pinhões, batatas fritas e uma salada de alface com nozes. Garanto que a mistura do Rosbife com este arroz, as batatas e a alface fica divina.

 

 

 

 

 

 

- Salada de Alface com Noz -

 

. 1 pacote de alface já preparada

. 100 g de nozes picadas

. azeite, vinagre e sal q. b.

 

Numa taça deite as folhas de alface, espalhe as nozes e tempere com azeite, vinagre e sal. Envolva bem. 

 

 

 

 

 

 

- Arroz de pinhões e passas -

 

. 3 chávenas de arroz agulha
. 6 chávenas de água ou caldo de carne
. 1,5 chávena de pinhões
. 1,5 chávena de passas
. 1 cálice de vinho do porto
. Azeite q.b.
. 1 cebola picada


Ponha as passas de molho no vinho do porto e reserve. Num tacho refogue a cebola picada num pouco de azeite até que fique transparente, acrescente os pinhões e deixe refogar até ficarem com um tom dourado. Acrescente o arroz e mexa até que comece a mudar de cor. Junte a água, ou caldo, e tape o tacho. Assim que a água evaporar coloque as passas, previamente escorridas, envolva bem, tape o tacho e retire do lume. Sirva o arroz passado dez minutos, desta forma ele fica bem solto.

 

 

 

 

 

 

Para uma outra refeição fiz uma perna de borrego no forno com batatas assadas e cenoura cozida. Muito honestamente não me pelo por borrego, mas como eles gostam imenso, de vez em quando faço esta perna no forno, ou costeletas de borrego. Nestes dias aproveito e faço uma refeição sem carne para mim.

 

 

 

 

 

 

- Perna de Borrego no forno -

 

. 1 perna de borrego

. 3 dentes de alho

. 4 c sopa de óleo

. 2 c sopa de margarina

. 1 folha de louro

. alecrim

. sal

 

Depois de tirar todas as gorduras, ponha a perna de borrego num tabuleiro de forno. Faça-lhe umas incisões e ponha aí o alho picado. Regue-as com o óleo e espalhe a margarina. Polvilhe com aecrim, tempere com sal e ponha a folha de louro no tabuleiro. Leve a forno bem quente durante 30 mn.

 

 

- Batatas Assadas -

 

. 1 kg de batatas para assar

. 4 c sopa de azeite

. ervas aromáticas secas (tomilho, alecrim, manjericão)

. sal

 

Sem descascar, lave bem as batatas. Leve-as ao lume numa panela com água e sal e coza-as durante 15 mn, mas sem as deixar ficar moles. Escorra a água, pele as batatas e ponha-as num tabuleiro de forno, regue-as com azeite e espalhe as ervas aromáticas. Leve a forno bem quente até ficarem douradas.

 

 

 

 

 

 

Esta forma de cozinhar a cenoura é bem simples e como se serve fria, dá para fazer uma quantidade grande para duas refeições ou petiscar.

 

 

 

- Cenoura Cozida com Alho -

 

. Cenouras na quantidade que se quiser (geralmente calculo 2 cenouras por pessoa, por refeição)

. Alho a gosto (ponho bastante, cerca de 1 dente de alho por cenoura, ou seja metade da quantidade de cenouras)

. Salsa

. Azeite

. Sal

 

Descasque e corte as cenouras em rodelas finas. Leve a cozer em água temperada com sal. Escorra e deite numa taça, junte-lhe o azeite, o alho bem picado e a salsa. Rectifique o sal. Misture bem. Sirva em tacinhas.

 

 

 

 

 

 

Para uma outra refeição, que começou com um creme de espinafres e grão, fiz umas Lulas com Castanhas, acompanhadas de um arroz branco.

 

  

 

 

 

 

Há duas versões desta receita, uma mais completa e esta que fiz agora. A mais completa, além dos ingrediente que usei, ainda leva salsichas frescas cortadas em bocados e amêijoas, mas muito honestamente, acho-a um pouco de mais.

 

 

- Lulas com Castanhas -

 

. 900 g de lulas limpas

. 300 g de castanhas (usei congeladas)

. 200 g de bacon fumado em fatias

. salsa q.b. 

. sal q. b. 

. pimenta

. 2 dentes de alho

. óleo de amendoim

. 1 c sopa de margarina

 

Corte as lulas em argolas e o bacon em tiras. Tempere as lulas com o alho bem picado, sal e pimenta. Coza as castanhas em água a ferver, durante 5 mn. Ponha um pouco de óleo na wok e quando estiver quente, ponha as lulas e o bacon. Quando estiverem fritas, tire a água que apareceu e junte a margarina, depois da margarina derreter, junte as castanhas, mexa bem, junte a salsa, rectifique o sal e sirva.

 

 

 

 

 

  

Para sobremesa fiz um abacaxi com hortelã. Já aqui tinha posto a receita, mas na versão com lima, desta vez fiz com limão e gostei mais.

 

 

- Carpaccio de Abacaxi -

 

. 1 abacaxi maduro

. 100 g de açúcar mascavado

. 1 limão

. 1 molho de hortelã

 

Descasque o abacaxi e sem retirar o centro do abacaxi, corte-o em quatro quartos. Corte cada quarto em fatias muito finas, de modo a que fiquem transparentes. Deite numa taça. Coloque o açúcar e as folhas de hortelã no almofariz e esmague tudo até obter um açúcar verde. Deite este açúcar sobre o abacaxi cortado. Raspe a casca do limão e deite também sobre o abacaxi. Envolva e disponha esta mistura numa travessa de servir. Leve ao frigorífico durante uma hora. Antes de servir decore com mais um pouco de raspas de limão e folhas de hortelã.

 

 

  

 

 

  

E como o fim-de-semana foi de 3 dias, com 3 lanches e a família toda em casa, fiz o bolo de noz que eles adoram. Como já disse muitas e muitas vezes, não sou nenhuma boleira, só sei fazer (e só me saem bem) dois bolos, o de iogurte e o de chocolate, depois junto ao de iogurte o que quero e transformo-o num bolo de amêndoa, noz, laranja, limão, etc. E assim os bolos saem-me bem e saborosos. Por isso o meu bolo de noz é só um bolo de iogurte com nozes, mas fica óptimo e é um sucesso aqui em casa.

 

 

- Bolo de Noz -


. 6 ovos
. 300 g de açúcar mascavado
. 1 iogurte grego sem açúcar
. 150 g  nozes
. 110 g de óleo
. 150 g de farinha sem fermento, tipo 55
. 1 c sopa de fermento para bolos (passei a usar este fermento, que me deixa os bolos mais fofos e ainda por cima não tem glúten)

 

Modo tradicional:
Pré-aqueça o forno a 170º. Pese a farinha, o açúcar, o óleo, a amêndoa e a farinha. Deite os ovos, o açúcar, as nozes, o iogurte e o óleo numa taça e bata até obter um creme macio. Junte a farinha e o fermento e misture. Unte uma forma com margarina e polvilhe com farinha. Deite o preparado na forma, cubra a forma com uma folha de alumínio e leve ao forno, durante 35 mn.


Na Bimby:
Pré-aqueça o forno a 170º. Deite os ovos no copo. Junte e pese o açúcar, as nozes, o iogurte e o óleo e programe 5 mn/ v4. Junte a farinha e o fermento e programe 15 s /v 3. Unte uma forma com margarina e polvilhe com farinha. Deite o preparado na forma, cubra a forma com uma folha de alumínio e leve ao forno, durante 35 mn.

 

 

 

No fim para lhe dar um ar de Natal, cobri-o com claras em castelo com açúcar e decorei-o com cerejas cristalizadas.

 

 

 

 

 

29
Nov17

188 - As nossas refeições, a vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

 

No passado fim-de-semana fiz mais duas experiências de mesas de Natal. Uma só com um centro de flores do Natal, a outra com uma redoma (do Horto do Campo Grande) onde pus uma colecção de corças miniatura em madeira. Depois foi só variar as cores dos copos, mudar uma ou outra loiça e juntar velas (da Flying Tiger) e luzes. 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para uma das refeições fiz uma sopa de feijão com nabiças e para outra um creme de cenoura e abóbora.

 

 

 

 

 

 

Sopa de feijão com nabiças (4 litros de sopa):

 

 . 4 batatas 

. 1 molho de nabiças (só as folhas - geralmente compro já arranjadas)

. 1 lata de 800 g de feijão encarnado cozido 

. 1 cebola grande

. 1 dente de alho

. 2 c sopa de azeite
. sal


Descasque e corte todos os legumes. Ponha na panela e preencha com água, junte o azeite e o sal. Deixe em lume médio durante 25 mn. Escorra o feijão e deite na panela. Deixe 5 mn. Desligue o lume e reduza a puré com a varinha mágica.

 

 

 


 

 

  

Creme de Cenoura (4 litros de sopa):

 

. 3 batatas doce

. 6 cenouras

. 200 g de abóbora

. 1 cebola grande

. 1 dente de alho

. 2 c sopa de azeite
. sal



Descasque e corte todos os legumes. Ponha na panela e preencha com água, junte o azeite e o sal. Deixe em lume médio durante 25 mn. Desligue o lume e reduza a puré com a varinha mágica.

 

 

 

 

 

 

Para a refeição que começou com a sopa de feijão, fiz uma Massada de Peixe, que os miúdos adoram. Às vezes vario e além da pescada junto-lhe também tamboril. 

 

 

Massada de Peixe:

 

. 6 lombos de pescada

. 1,5 chávena de pequeno almoço de massa cotovelos

. 1 folha de louro

. 2 c sopa de azeite

. 1 caldo de marisco

. 1 cebola picada

. 200 g de polpa de tomate

. 2 tomates cortados em cubos e sem grainhas

 

Coza a pescada em água temperada com sal e reserve. Faça um refogado com o azeite e a cebola, junte-lhe a polpa de tomate, o tomate em cubos e o caldo. Deixe cozer durante 5 mn. Acrescente água e quando ferver, junte-lhe a massa e  afolha de louro. Quando a massa estiver cozida junte à pecada que pôs numa terrina cortada em cubos pequenos. Misture e sirva.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para a refeição que começou com o creme de cenoura fiz uma pie de queijo e fiambre com uns motivos de Natal, só porque sim. O acompanhamento foi uma salada de tomate e pepino.

 

 

 


 

 

 

Pie de Fiambre:

 

. 2 bases de Massa quebrada (pode ser de compra, prefiro fazer em casa esta receita)

. 1 gema + 2 ovos

. 250 g de queijo fresco

. 250 g de requeijão

. 50 g de queijo parmesão ralado (uso Emmental ralado em vez de Parmesão)

. 250 g de fiambre cortado em quadradinhos

. 2 c de chá de oregãos secos

. 1/2 c de chá de sal

. 1 pitada de pimenta

 

 

Prepare a massa e estenda-a de forma a formar um circulo de 25 cm de diâmetro e 3 mm de espessura. Forre com ela  uma forma de aro amovível de cerca de 20 cm. Apare a massa e pincele-a com um pouco de gema de ovo batida. Misture os queijos, os ovos, o fiambre, os oregãos, o sal e a pimenta. Deite o preparado sobre a massa e dobre a massa que forrava os lados sobre o recheio. Pincele essa parte da massa com gema batida. Ligue o forno a 190º C. Estenda a restante massa num circulo e se quiser recorte um desenho. Coloque este circulo sobre o recheio, pressionando ligeiramente a toda a volta para colar à massa inferior. Pincele a superfície com a restante gema batida.

 

Leve a pie ao forno até que, ao introduzir uma faca no centro, esta saia limpa (cerca de 1 hora). espere 10 mn antes de cortar a pie ou deixe arrefecer completamente se quiser servi-la fria.

 

 

 

 

 

 

 

Como ainda sobrou creme de cenoura, esta também foi a sopa para a refeição com os bifes de fiambre acompanhados de arroz branco e batatas fritas.

 

 

 

Bifes de Fiambre com Alcaparras:

 

. 4 bifes de fiampre da pá

. 200 ml de natas

. margarina

. pimenta qb

. 1 frasco de alcaparras 

 

Numa frigideira larga, frite os bifes de fiambre em margarina. Disponha-os numa travessa. Deixe a margarina qe soubrou na frigideira e junte-lhe as natas, assim que ferverem, tempere-as com um pouco de pimenta. Desligue o lume e deite-as sobre os bifes. Junte-lhes as alcaparras. Não é preciso sal.

 

 

 


 

 

 

 E para terminar, além da habitual fruta para quase todas as refeições, desta vez houve Aletria sem canela, porque os meus filhos não gostam de canela.

 

 

 

Aletria: 

. 100 g de aletria;

. 4 dl de leite;

. 100 g de açúcar mascavado 

. 50 gr de manteiga

. 3 gemas

. casca de meio limão

. canela

 

Coza a aletria em água durante 5 minutos e escorra. Deite o leite, o açúcar, a casca do limão e a aletria numa panela e leve ao lume durante 10 mn. Junte a manteiga. Desligue o lume e junte as gemas previamente batidas em fio, mexendo sempre. Leve de novo ao lume, para que as gemas cozam ligeiramente. Deite num prato, deixe arrefecer e polvilhe com canela.

 

 

 

 

 

 

O jantar de domingo foi restos, um dos que os miúdos gostam mais, porque cada um come o que mais lhe apetece.

 

 

 

21
Nov17

186 - As nossas refeições, a vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

 

 

Chegámos àquela época do ano em que todos os motivos são válidos para pôr uma mesa de Natal. O meu geralmente é que ando a ensaiar a mesa da consoada. Não é verdade, depois nunca ponho uma mesa igual, mas também não tenho uma desculpa melhor. É inegável que adoro o Natal. Gosto imenso de receber os amigos e a família, e aproveito esta época para dar asas à imaginação ou inspirar-me no Pinterest, blogs de decoração e revistas.

 

 

 

 

 

 

  

 

E mais uma vez trago 3 refeições que correm muito bem aqui em casa, a que foi servida com aquela decoração e mais duas de dias diferentes.

 

  

 

Nesta refeição começámos por um creme de espinafres (já falei dele aqui)

 

 

 

 

 

 

A seguir um rosbife com arroz branco e échalotes caramelizadas  (receita aqui).

 

O Rosbife bem cozinhado, ou seja 20 mn no forno, deve ficar com a primeira camada castanha, a segunda camada rosa e a terceira, ou interior, encarnada, mas como os meus filhos não comem a carne mal passada, eu deixo-o mais 20 mn e não comprometo a qualidade da carne, que fica mega tenra.  

 

 

Rosbife:

. 1 kg de carne de vaca para rosbife

. 5 colheres de sopa de Azeite

. 2 colheres de Mostarda

. 5 colheres de Molho Inglês

. 2 dentes de alho cortado em camadas finas

. 1 colher de manteiga

. 1 fio de óleo

. Tomilho a gosto

. Louro em pó a gosto
. Sal e pimenta

 

Tempere a carne com sal, tomilho, pimenta e o louro em pó, depois coloque a mostarda e molho inglês. Misture bem os temperos e deixe marinar por 15 minutos para apurar os sabores. Aqueça a manteiga numa frigideira, acrescente o azeite e o óleo, e sele a carne. Ponha o rosbife num prato de forno e regue-o com os temperos que ficaram na frigideira. Deite o alho no molho. Leve a forno pré aquecido a 230º C durante 20 minutos, caso queira mais bem passado 30 a 40 minutos.

 

 

Échalotes:

. 10 échalotes (ou 5 cebolas cortadas em quartos)
. 2 c sopa de manteiga
. 2 c sopa de açúcar mascavado
. vinagre balsâmico (só para salpicar)


Coloque as échalotes numa panela com água e leve ao fogão. Assim que começar a ferver, desligue o lume e deixe as cebolas uns 10 mn na água quente. Ao fim de 10 mn, escorra-as.

Numa frigideira derreta a manteiga, junte-lhe o açúcar mascavado e mexa. Quando o açúcar derreter, coloque as cebolas.

Envolva as cebolas com o caramelo formado e quando já tiverem uma camada e o molho estiver espesso, salpique-as com um pouco de vinagre.

 

 

 

 

 

 

Para uma outra refeição fiz uma Vichyssoise, que aqui em casa se come quente, e Peito de Peru com Bacon com batatas noisettes.

 

 

 

 

 

 

Vichyssoise (2 litros de sopa):

. 2 c sopa de margarina

. 3  alhos-franceses picados (só a parte branca)

. 1/4 cubo de caldo de galinha

. 1 l de água

. 4 Batatas grandes cozidas e esmagadas

. 5 dl de leite

. 250 ml Natas

. 4 c sopa de Cebolinho picado 

. Sal e pimenta q.b. 

 

 

Num tacho em lume médio salteie o alho francês na margarina, previamente derretida, durante 5 mn. Quando levantar fervura baixe o lume, tape e deixe ferver durante 20 mn. Junte as batatas e misture bem. Adicione o leite e as natas e bata bem para que todos os elementos fiquem ligados. 

 

Para quem gosta da Vichyssoise fria, agora leva o preparado ao frigorífico e na altura de servir, volta a bater no copo para que fique em creme, tempere com sal e pimenta, enfeite com cebolinho e sirva.

 

Aqui em casa, como se come quente, não a levo ao frigorífico, tempero e sirvo.

 

 

 

 

 

 

Peru com Bacon (Receitas Escolhidas, Maria de Lourdes Modesto):

. 1 kg de peito de peru inteiro

. 125 g de bacon em fatias
. 1 limão
. 2 dentes de alho amassados
. 2 c sopa de manteiga 

. sal e pimenta 

 

De véspera corte o peito de peru longitudinalmente e fatias com um dedo de espessura sem as separar. Tempere com sal, pimenta, o sumo do limão e a raspa da casca do limão. Introduza as fatias de bacon entre as fatias de carne. Ate a carne com 4 ou 5 voltas de fio de forma a reconstituir a forma inicial do peito de peru. Deixe ficar no frigorífico até ao dia seguinte. Coloque o peito de peru num tabuleiro previamente untado. Espalhe por cima a manteiga em bocadinhos. Leve ao forno bem quente (220º) e passados 10 mn reduza um pouco o calor. Deixe acabar de cozer, sem deixar secar (cerca de 40 mn). Retire o fio e corte o peito de peru no sentido transversal.

 

 

 

 

 

 

A terceira refeição e quarta voltaram a ser daquelas que me saem sempre bem, portanto insisti na fórmula e trouxe da Sacolinha uma Quiche de Espinafres e uma Bôla,

 

 

 

 

 

 

 e para acompanhamento da Bola fiz um Tabbouleh, que já aqui deixei a receita, mas desta vez resolvi substituir os couscous tradicionais por couscous de espelta integral biológico e gostámos imenso.

 

 

 

 

 

 

Tabbouleh: 

. 1 chávena de couscous
. 1 chávena de água a ferver, ou caldo de galinha bem quente
. 1 pepino com casca, sem sementes, picado
. 2 tomates sem sementes cortados em quadrados, ou 12 tomates cherry cortados a meio
. 1 cebola picada
. sumo de 1 limão
. 1 molho de salsa picado
. ½ molho de hortelã picado
. Azeite, ou óleo de sésamo

 

Deite a água a ferver sobre os couscous, tape a taça com um prato e deixe hidratar durante uns minutos. Depois com a ajuda de um garfo mexa para que fique solto. Corte o pepino, o tomate e a cebola, e junte tudo ao couscous. Adicione a salsa, a hortelã e o sumo do limão. Tempere com sal e pimenta. Mexa e regue com bastante azeite. Deixe no frigorífico durante uma hora antes de servir. 

 

 

 

 

 

 

E para terminar todas as refeições, fruta.

 

 

 

 

 

 

27
Set17

178 - As nossas refeições, a vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

Para o almoço de domingo com os avós, aproveitei umas mini abóboras que encontrei no mercado de Cascais, juntei-lhes umas outras que fiz (aqui e aqui ) e dei um ar de Outono à mesa, sem dar muito, porque ainda não estou bem no espírito e as temperaturas ainda não convidam às cores quentes. Eu acho. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para a refeição fiz um caldo de galinha com sêmola de milho, que os miúdos adoram e é super rápido de executar.

 

 

Ingredientes para uma panela de 3 litros:

. 1 caldo de galinha, ou 1 peito de frango

. 5 c sopa de sêmola de milho

. 1 c sopa de azeite

. 1 pitada de sal

 

Encha a panela com água, junte-lhe o azeite, o caldo e o sal. Quando a água estiver a ferver, deite aos poucos cada colher de sêmola (é importante que seja feito assim, porque evita que a sêmola forme grumos). Deixe ferver durante 5 minutos e sirva.

 

 

 

 

 

 

 

 

O prato principal foi um Bacalhau à Brás, receita do livro Cozinha Tradicional Portuguesa da Maria de Lourdes Modesto, mas com uma adaptação minha, para esconder a cebola dos miúdos, que se encontram um mini fio, são pessoas para ficar sem ar e pôr  imediatamente a refeição de lado. 

 

 

. 2 boas postas de bacalhau
. 6 c sopa de azeite
. 500 g de batatas fritas palha (uso as de pacote) 
. 6 Ovos 
. 3 Cebolas
. 1 Dente de alho
. Salsa a gosto
. Sal q.b.

 

 

Demolhe o bacalhau, retire-lhe a pele e as espinhas e desfie com as mãos. Corte as cebolas em rodelas finíssimas (pico-as na Bimby V5 5s). Pique o alho. Deite o azeite num tacho fundo e junte-lhe a cebola e o alho, assim que a cebola ficar transparente, junte-lhe o bacalhau desfiado. Mexa bem, para o bacalhau absorver o azeite. Junte as batatas palha e envolva. Numa taça bata ligeiramente os ovos com o sal e a pimenta. Com o tacho ao lume, junte-lhe os ovos e logo que os ovos estejam em creme, mas cozinhados, retire o tacho do lume. Deita o bacalhau numa travessa, polvilhe com salsa picada e sirva acompanhado com azeitonas (aqui em casa não se põem as azeitonas).

 

 

 

 

 

  

Para acompanhar fiz novamente aquele prato de legumes, mas com outra disposição.

 

 

 

 

 

 

 

 

E como tinha peras a mais, desta vez acabei por fazer uma sobremesa doce e fiz umas peras bêbadas.

 

 

 

Ingredientes:

. 8 Peras 
. 350 g de Açúcar mascavado
. 500 ml Vinho tinto 
. 1 Limão
. 1 cálice de Vinho do Porto 
. 1 pau de Canela

 

Descasque as peras inteiras e deixe-lhes o pé. Regue-as com o sumo do limão. Encha uma panela com água até cobrir as peras e junte o açúcar. Leve ao lume, junte o vinho tinto e deixe levantar fervura. Junte o pau de canela e uma casca de limão e deixe as peras cozer em lume brando até ficarem macias. Quando estiverem cozidas, retire-as para uma taça. Deixe o caldo da cozedura oa lume e junte-lhe o vinho do Porto. Deixe ferver até a calda apresentar um aspecto de xarope. Nessa altura, retire o molho do lume e deite-o sobre as peras.

 

 

{outra mesa de Outono, aqui}

12
Set17

01 - Eu gosto é de flores, lai lai lai


Mac

 

 

  

 

Andava com vontade de fazer um arranjo que misturasse legumes e flores. Acho este tipo de arranjos mais giros para jantares informais com família chegada e amigos.

 

 

 

 

 

 

 

 

Por isso misturei Gerberas, Margaridas, Cravetas, Gipsófilas, pimentos pequenos, corações de alface, brócolos e folhagens, e o resultado foi este,

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pus a mesa com algumas peças em verde (acho que já tinha mostrado esta combinação de peças).

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 E como gostei do resultado, tenho na calha um arranjo com uvas e alcachofras.

 

 

 

[como algumas pessoas pedem sugestões, a seguir deixo o que fiz para este jantar, que foi trivial, fácil e rápido, nada do outro mundo ] 

 

 

 

»»» • «««

 

 

. Copos .. Area

. Pratos em creme .. Cerâmicas da Linha

. Pratos em verde .. Bordallo Pinheiro

 

24
Ago17

147 - Croché, colagens, tricô, filet, bricolage e coisas assim


Mac

 

 

 

 

Gosto muito de usar velas na mesa do jantar, com ou sem amigos, de espalhar as de cheiro pela sala e entrada, e qualquer motivo é válido para as acender. Este ano trouxe do Algarve quatro búzios com velas, mas já cá "precisei" de mais, então resolvi fazer mais umas. Estava um bocado céptica, até porque há muitos anos que não fazia, desde que era miúda e era uma das actividades que fazíamos com a minha mãe. Lembrava-me de qualquer coisa do Banho Maria e para lhes dar cor, usávamos bocados de lápis de cera, portanto procurei indicações na net e com o que me lembrava, resolvi fazer.

 

 

 

 


 

 

 

Não comprei parafina, nem pavios, aproveitei bocados de velas que tenho a mania de guardar e juntei o útil ao agradável, reciclei e passei um óptimo bocado.

 

 

 

Materiais:

. Bocados de velas

. Conchas (Vieiras (*)) e búzios .. Tendas no centro de Cascais (ao pé da farmácia Cordeiro, estão lá todo o ano)

. Panela para Banho Maria (como a que tenho é de pirex e não dá para esta placa, usei uma panela normal para pôr a água e uma taça em pirex quase com o mesmo diâmetro da panela, para pôr a cera)

. Colher de pau para mexer a cera

. Martelo

. Base em madeira ou plástico

. Frascos de vidro

 

 

 

 

 

 

 

Com o martelo esmagamos as velas para ficarem em bocados. Retiramos os pavios.

 

 

 

 

 

 

 

 

Pomos os bocados de vela na taça de pirex e pomos a taça na panela com água. Levamos ao lume até derreter.

 

Atenção: nunca tentar derreter a cera ou parafina numa panela directamente ao lume, porque é de fácil combustão.

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 Colocamos os búzios e conchas sobre frascos de forma a ficarem direitos e com uns pingos de cera colamos o pavio ao fundo.

 

 

 

 

 

 

 

Deitamos a cera já derretida e deixamos solidificar.

 

  

 Depois é só usar.

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(*) Tenho-me esquecido de dizer que as vieiras dão para ir ao forno e fazer gratinados de peixe e marisco. Um destes dias mostro. Fica giríssimo.

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D