Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

20
Dez16

139 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

 

Há já algum tempo que andava a querer experimentar forrar uma cadeira e como a cadeira do quarto do Pedro ainda tinha o forro da decoração de bebé, resolvi que era a minha oportunidade. Já tinha forrado umas banquetas, mas muito honestamente, é tão fácil que não conta. Queria-a forrada com vários tecidos e de acordo com as cores do resto do quarto (aqui), basicamente azul claro, encarnado e azul mais escuro.

 

 

 

 

Comecei por tirar o antigo forro, que detestei, confesso. Tinha sido forrada pela pessoa que me trata de estofar o que é de estofar e estava cheia de agrafos, alguns com ferrugem, deduzo eu das n lavagens a que a cadeira foi sujeita. Estive quase para desistir, mas a vontade de forrar como tinha idealizado sobrepôs-se à estafa de arrancar aquilo tudo e a verdade é que valeu a pena. Se tivesse cortado o antigo forro de qualquer maneira, tinha muito mais trabalho depois. O antigo forro serviu-me de moldes para o novo e acabei por forrar a cadeira apenas numa tarde. Outra coisa boa em ter tido paciência a tirar o antigo forro, foi perceber como se forra uma cadeira, as etapas, o que se faz primeiro, o que se segue, etc. Fui tirando fotografias a alguns pormenores, antes de desmanchar, como por exemplo, como estavam feitos os cantos dos braços, os cantos do assento, etc. 

 

 

 

 

 

 

Não vou descrever todo o processo, porque calculo que cada cadeira tem uma forma diferente de ser forrada e acho que quem resolve meter-se nisto fará como eu fiz. A melhor indicação que posso dar a quem, como eu, é novato nestas andanças, é que siga o trabalho que estava feito na cadeira que pretende forrar, assim não há nada que enganar.

 

No entanto fica a lista dos materiais necessários,

. tecidos

. agrafador de estofador com agrafos 10 mm . aki

. martelo e alicate

. máquina costura (caso se ponham cordões, foi o meu caso)

. cordões de estofador para forrar, ou fio de estore . retrosarias

 

 

 

 

15
Dez16

138 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

E para terminar o assunto arranjos de Natal, acho eu, aqui ficam as coroas que fiz. Só usei plantas naturais, porque apesar de não durarem muito, ainda menos de um ano para o outro, são as que dão melhores resultados, tanto em termos de cores, como cheiro, que é impossível conseguir com ramagens de plástico ou pano.

 

 

 

 

 

Duas coroas só com uma fila de eucalipto e super fáceis de executar.  

 

 

Materiais:

. 2 ramagens de eucalipto grandes (para uma coroa) . Mercado da Vila de Cascais

. arame galvanizado . Leroy Merlin

. arame verde de jardineiro . Leroy Merlin

. alicate para cortar arame, alicate e tesoura para jardinagem . Leroy Merlin

. luvas de borracha ou latex (a seiva do eucalipto é muito pegajosa) 

 

 

 

  Damos a forma ao arame, com a ajuda de qualquer objecto cilíndrico, que tenha as dimensões pretendidas (basta colocar o arame à volta e fecha-lo com um alicate) . Depois de termos a nossa base de arame já moldada, enrolamos o primeiro ramo de eucalipto, começando pela ponta do ramo (a parte mais frágil e mais fácil de enrolar no arame), que prendemos ao círculo de arame com um pouco de arame verde. Quando já tivermos coberto metade do diâmetro do círculo de arame, cortamos o excesso de ramagem e prendemos ao círculo com um pouco de arame verde. Fazemos o mesmo com a segunda ramagem, de forma a cobrir os resto do círculo de arame.

 

E já está.

 

 

 

 

   »»» • «««

 

 

 

 

Tenho esta coroa de ramos secos há muitos anos e resolvi decora-la com uns ramos agora para o Natal. Quando acabar o Natal, tiro as decorações e regressa à cozinha, simples como é.

 

Materiais:

. coroa de ramos secos . Horto do Campo Grande

. 4 ramos pequenos de eucalipto

. 8 ramos pequenos de oliveira . jardins, hortos, floristas

. 6 ramos de gilbardeira . jardins, hortos, floristas

. arame verde de jardineiro 

. fita de tecido . retrosarias

. luvas de borracha ou latex (a seiva do eucalipto é muito pegajosa) 

 

 

 

 

 

 

Para cada ramo, juntamos 4 raminhos de oliveira, 

 

 

 

 

e depois sobrepomos 2 ramos de eucalipto e 3 de gilbardeira. Atamos com arame verde e fechamos. Ficamos à coroa de ramos com mais um pouco de arame. Fazemos o segundo ramo e fixamos à coroa. Atamos uma fita, para tapar as terminações dos ramos.

 

E já está.

 

 

 

 

»»» • «««

 

 

 

 

 

Por fim, juntei os restos numa cesta da lenha e deixei-a assim mesmo a decorar aquele canto.

 

 

Tenho a casa com um óptimo cheiro a Natal.

 

 

»»» Ideias para coroas, aqui «««

 

 

09
Dez16

137 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

Também gosto muito de fazer os presentes para algumas pessoas, ou porque me apercebi que tinham gostado de alguma coisa minha, que fui eu que fiz, ou porque são pessoas que valorizam mais objectos feitos propositadamente para elas.  Então resolvi decorar estas cestas à semelhança de uma minha e na mesma onda destas de Verão, mas agora com pompons de pêlo, mais a ver com o Natal e a época fria.

 

Outra coisa óptima, é que este tipo de presentes acaba por ficar com um custo bem simpático (neste caso, cerca de € 16.00).

 

 

 

 

 

E mais fácil e rápido não há, basta coser cada pompom à cesta e já está.

 

 

 

 

 

 

»»» • «««

 

. Cestas . Empalhador no 1º andar do Mercado da Vila, Cascais.

. Pompons . Loja do chinês que está onde era o Vassoureiro, Alcabideche.

04
Nov16

136 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

Acho que nunca falei por aqui no uso das patines na pintura decorativa. Existe uma enorme variedade de cores, texturas e tipos de patines, nem todas para envelhecer peças, ou dar-lhes um ar de usado. Há patines que servem apenas para dar relevo a alguns aspectos. Gosto especialmente destas últimas, que economizam esforço de pintura e dão um ar muito natural aos objectos. As minhas preferidas são as que têm textura e em tons claros, que apenas vão dar ênfase aos relevos e pouco alteram as cores originais, mas suavizam-nas.  

 

 

E foi as que usei nas abóboras.

 

 

Materiais:

. Tinta acrílica branca Reeves . Continente

. Tinta verde FolkArt . Loja da Pintura

. Patine texturizada, gold . Loja da Pintura

. Pincéis . Loja da Pintura

. Pano de algodão

 

 

  

. damos duas camadas de tinta branca em cada abóbora, deixando secar bem entre camadas .

. pintamos o ramo das abóboras com a tinta verde e deixamos secar bem.

 

 

 

 

. com um pincel, passamos a patine em toda a abóbora, fazendo com que entre bem nas ranhuras .

 

 

 

 

 . com um pano de algodão, retiramos os excesso de patine, de forma a deixar apenas nas ranhuras .

 

 

 

  

. deixamos secar bem e já está .

 

 

18
Out16

135 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

  

 

Então aqui está a forma de fazer o ramo de espigas e as abóboras.

 

 

Materiais para as abóboras:

. pasta de moldar . secção belas artes do Continente

. faca 

. palitos 

. tubo ou lápis

 

 

 Começamos por dividir em cinco partes iguais o bloco de pasta de moldar. Fazemos uma bola com cada, que achatamos e com um lápis ou mini rolo de madeira, fazemos pressão no topo. Com uma faca, desenhamos as secções da abóbora. Pomos um palito e fazemos o caule (acho que se chama caule). Pomos o caule e deixamos secar.  

 

 

_________________ »  « _________________

 

Materiais para o ramo de espigas:

. espigas de trigo, cevada ou centeio . hortos (estas trouxe numa das idas ao Alentejo, mas em alguns hortos vendem-se já arranjadas - sempre que as apanhamos as espigas no campo, convém deixar secar em ramos, que penduramos com a espiga para baixo.)

. x-acto

. corda . Aki, Leroy Merlin, drogarias.

 

  

Se as espigas tiverem sido apanhadas no campo (este caso) e como não vêm arranjadas, temos de descascar os caules. Depois é só juntar as espigas num ramo, atarmos com uma corda e com um x-acto cortamos para que fiquem todas do mesmo tamanho.

 

 

 

07
Out16

134 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

 

Queria umas lanternas rústicas para espalhar pelo jardim, então fiz estas com frascos de compota onde pus uma alça de arame, porque a ideia também era pendurar algumas. E ainda bem que as quis rústicas, porque lá me desembaracei a fazer o que queria e a falta de jeito cabe lindamente no conceito de rústico, que ninguém leva a mal. Se levar, tem dois remédios, um é continuar a levar, o outro é deixar de levar. Adiante. 

 

 

- 1 - 

Materiais:

. alicates (comum e de pontas redondas)

. cortador de arame

. arame galvanizado

. frascos diversos

 

- 2 -

cortamos um bocado de arame um pouco maior do que o diâmetro do frasco. Com o alicate de pontas redondas, fazemos umas "orelhas"

 

- 3 -

com o alicate comum fechamos o arame à volta do frasco

 

- 4 -

torcemos o arame de forma a ficar bem firme

 

- 5 -

e cortamos o excesso

 

- 6 - e - 7 -

com a ajuda do alicate comum, damos uma volta às "orelhas" para formarmos uma argola

 

- 8 - 

cortamos um bocado de arame para fazer a alça e com a ajuda de uma lata, damos a forma à alça

 

- 9 -

enrolamos as pontas da alça e encaixamos na argola que já pusemos no frasco

 

 

e já está, lanternas rústicas prontas a iluminar

 

 

  

01
Jul16

132 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

  

 

 

 

 

 

 

 

Como disse aqui, depois da toalha branca com franjas, fiz a toalha com padrão. Gosto imenso de fazer estas franjas e gosto imenso do resultado, principalmente para usar em mesas ao ar livre. 

 

Esta toalha foi bem mais fácil de fazer, porque o tecido é um pouco mais grosso do que aquele que usei para a toalha branca, o que facilita a tarefa de puxar os fios, que quase nunca se partem e tudo junto, reduz consideravelmente o tempo de execução.

 

E como já desconfiava, gosto tanto de ver estas franjas em tecidos lisos, como com desenhos e acho que nas de xadrez deve ficar bem giro também.

 

 

 

{mais mesas aqui}

 

 

_________________ - ♥ - _________________ 

 

. Copos . Zara Home

. Guardanapos e individuais em palhinha . Area

. Pratos e velas . Ikea 

. Tecido da toalha . Park dos Tecidos

15
Jun16

131 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

 

Gosto muito de borlas, tanto para decoração, como em algumas roupas, como túnicas, ou colares. Ficam giras em ráfia, em serapilheira, linha de croché, de bordar, algodão, enfim, o limite é a imaginação e o fim a que se destinam.

 

Há muitas formas de fazer borlas, dependendo daquilo que se quer. Por exemplo, se as quisermos para colares, ficam melhor se forem pequenas e em linha de bordar, então esta maneira de fazer é facílima e super rápida.

 

Estas últimas que fiz para as almofadas do jardim, queria que ficassem com cerca de 9 cm e que fossem em algodão, por isso escolhi uma linha para tricot em algodão muito macio. Quando tenho de fazer muitas, o primeiro método que mostro ajuda muito, visto que faço duas de cada vez. Quando é apenas uma, ou número impar, faço como mostro no segundo método. 

 

 

Materiais

. Cartão forte

. Linha de algodão

. Tesoura 

  

 - Método 1 -

para fazer duas borlas de cada vez 

 

  

1. Cortamos um cartão com o dobro do comprimento que queremos a borla, ou seja, neste caso como quero borlas de 9 cm de comprimento, cortei um cartão com 18 cm.

 

2. Com o fio, damos 80 voltas à volta do cartão.

 

3. Com um pouco de fio (2 bocados, um para cada topo), atamos cada topo.

 

4. 5. e 6. Tiramos a meada do cartão e cortamos ao meio, obtendo assim duas borlas.

 

7. Com um pouco de fio, damos umas voltas no no topo da borla.

 

8. Quando faço as borlas com fios de algodão, molho-as para ficarem bem direitas. Depois de secas, sacudo, para soltar bem os fios, e aparo as pontas.

 

 

 

 

  

 

- Método 2 -

para fazer apenas uma borla  

 

 

 

1. Cortamos um cartão com o comprimento com que queremos que a borla fique, ou seja, neste caso como quero borlas de 9 cm de comprimento, cortei um cartão com 9 cm.

 

2. Com o fio, damos 80 voltas à volta do cartão.

 

3. Com um pouco de fio, atamos o topo.

 

4. e 5. Tiramos a meada do cartão e cortamos o fundo (o lado oposto daquele que atámos), obtendo assim a borla.

 

6. Com um pouco de fio, damos umas voltas no no topo da borla.

 

E faço o passo 8. do método 1. 

 

 

 

 

 

{mais ideias para aplicação de borlas, aqui}

14
Jun16

130 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

  

 

Resolvi mudar as almofadas do jardim, porque sim. Gostei imenso de um dos tecidos (o da almofada que está à frente), mas não queria seis almofadas iguais, nem tecidos que fizessem um conjunto calculado, por isso decidi que seriam em azul, qualquer coisa a combinar, mas sem muito a ver. 

 

Fiz as seis almofadas em duas horas, se não contarmos com as borlas. Com as borlas e enchimento, portanto completamente acabadas, levei quatro horas, e é este DIY de almofadas descomplicadas e expresso, vá, à trapalhona, que vou explicar. Como é evidente, há alguns passos, como pôr fecho-éclair, esfoliar todas as costuras individualmente, alinhavar, ou pôr um debrum, que ignorei. E claro que quando quisermos lavar as almofadas, ou lavamos tudo, ou tiramos o enchimento e lavamos as capas. 

 

Este 'faz fácil' serve-me muito bem, afinal são almofadas para o jardim, por mais cuidados que se tenha, acabam sempre mal tratadas, ou esquecidas ao sol, à humidade da noite, ou à chuva, há sempre alguém que se esquece e se encosta molhado, acabam por andar no chão, enfim, portanto, além de nunca me apetecer gastar muito dinheiro, também não lhes posso ter um amor desmesurado, que me leve a chatear toda a gente para ter cuidado com as almofadas.

 

 

Materias:

. tecidos 

. lápis para marcar, ou giz

. alfinetes 

. tesoura

. máquina de costura 

. enchimento (uso sempre o do Leroy Merlin, porque é o que faz almofadas mais confortáveis)

 

 

 

 [para aumentar, clicar na imagem]

 

 

 

- 1 - Cortamos os tecidos com as dimensões com que queremos que as almofadas fiquem, deixando 1.5 cm para as bainhas dos quatro lados. Neste caso fiz 2 almofadas de 50 X 50, 2 de 40 X 40 e 2 de 40 X 60. 

 

- 2 - Cosemos cada almofada, deixando uma abertura para pôr o enchimento. Se quisermos que os cantos fiquem redondos, desenhamos o canto. 

 

- 3 - Cosemos os quatro cantos redondos. 

 

- 4 - Cortamos o excesso de tecido.

 

- 5 - Esfoliamos todas as bainhas, a duas e duas.

 

- 6 - Viramos as almofadas para o lado direito e passamos a ferro.

 

- 7 - Fazemos 4 borlas para cada almofada.

 

- 8 - Cosemos as borlas às almofadas

 

- 9 - E pomos o enchimento.

Dica: para pôr rapidamente o enchimento na almofada, pomos o enchimento num saco de plástico sem asas e introduzimos a abertura deste na abertura da almofada, depois é só fazer pressão e passar o enchimento todo do saco de plástico para a almofada. 

 

Finalmente fechamos a abertura por onde pusemos o enchimento de cada almofada e já está.

 

 

 

 

  

 

25
Mai16

129 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

DSC06373.JPG

 

DSC06367.JPG

 

 

Depois do desbaste das árvores, achei uma pena que aqueles ramos não fossem aproveitados de alguma forma, então resolvi fazer um escadote rústico, que servirá de toalheiro lá para fora, ou para a casa de banho dos miúdos. Ainda não decidi.

 

 

Materiais:

. 2 ramos de árvores com cerca de 2.5 cm de diâmetro e 1.50 m de comprimento, ou maiores e que dê para cortar

. 1 ramo para cortar em 4 e fazer os degraus com cerca de 40 cm de largura

. pregos com 7 cm

. martelo

. tinta branco mate

. trincha

. serra eléctrica ou manual

. berbequim e broca de  2 mm 

 

Toalheiro Escadote.jpg

 

 

- 1 - Depois de escolhidos os ramos, com a serra tiramos ao ramo principal, os ramos mais pequenos. Cortamos o ramos com as medidas que pretendemos. Neste caso, cortei dois com 1.50 m e quatro com cerca de 40 cm.

 

- 2 - Atenção que não sendo os dois ramos laterais exactamente a direito, temos de ir calculando a medida de cada degrau.

 

- 3 - Pregamos os degraus, primeiro a um dos ramos laterais, depois ao outro. A ideia é que fiquem bem presos para sustentar toalhas, mas que não fiquem com acabamentos perfeitos. Como estava com dificuldade em pregar os pregos, fiz com o berbequim um furo muito estreito nos ramos laterais, para o prego entrar com facilidade, mas sem ficar solto.   

 

- 4 - Depois do escadote pronto, damos duas demãos de tinta, deixando secar bem a primeira, antes de dar a segunda. Optei por não deixar a pintura muito perfeita, porque a ideia é imitar os escadotes rústicos. Opcionalmente para um efeito de desgaste pelo tempo, com uma lixa fina, lixamos os nós da madeira e damos uns toques para que pareça gasto. 

 

 

DSC06305.JPG

 

Estive indecisa se o deixava em madeira por pintar, ou se pintava, mas acabei por pintar, porque sobressai mais e fica mais aquilo que quero.

 

  

DSC06374.JPG

 

 

Como a ideia é aproveitar os ramos, que não são naturalmente direitos, acho que fica giríssimo assim bem torto.

 

 

E aqui está uma maneira de aproveitar aquilo que temos em qualquer jardim.

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D