Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

a vida em azul cueca

24
Set14

686 - LAI LAI LAI


Mac

 

 

  

Após quatro anos de utilização quase consecutiva do removedor da Sephora e cerca de um do Bourjois, tendo experimentado outros tantos que prometiam, mas afinal não era bem assim, ou seja, tiravam o verniz, claro que sim, mas não na base da rapidez como apregoavam, estes são os meus removedores de eleição, sabendo que o Sephora ganhou um lugar ao sol, que ninguém lhe tira. Remove rapidamente o verniz, o cheiro não chateia e não deixa óleos agarrados às unhas, se bem que ao fim de algumas utilizações, a esponja se começa a desfazer e agarra-se aos dedos, mas não é grave, sai bem com uma lavagem.

 

Normalmente tenho duas embalagens, uma para os vernizes claros, outra para os encarnados, é que o removedor dos encarnados fica assim para o tingido e depois tenho de tirar os restos de removedor com ar de tinta da china carmim, com um pouco de outro removedor. Faz-me confusão estar a tirar um verniz cor de areia, por exemplo, e ficar com os dedos tingidos de encarnado, bem sei que isto é um bocado coise da minha parte, mas pronto, já não é assim tão coise, quando se trata de um desastre numa unha, enquanto as outras estão a secar. Sou pessoa dada ao desastre na unha acabada de pintar, ali naquele nano segundo em que já apliquei o secante e ele ainda não actuou, é precisamente nesse nano segundo que sou dada a estragar a unha, vai daí esta coisa da esponja no frasco, em que é só rodar o dedo para remover o desastre, é muito boa e evita que estrague mais unhas a tentar tirar o verniz da primeira unha estragada, ora se o caso é de uma unha num qualquer nude e meto o dedo no frasco dos encarnados, não posso remediar a coisa, porque o dedo me sai de lá encarniçado. É isso. 

 

Já quanto ao específico para as unhas dos pés, não lhe vejo grande utilidade, já que não pinto aquelas unhas, se estiver com as das mãos ainda a secar, e estando secas, se quero remover o verniz das dos pés, enfio umas luvas de borracha e já posso passar com o tira verniz, sem estragar as das mãos, portanto é tudo uma questão de timing, estratégia e planeamento.

 

Para terminar, também sou muito amiga da caneta, que me elimina todos os excessos de verniz para além das unhas, quando sou eu a pintar e quando sou eu, já se sabe, portanto há que corrigir a coisa.

 

 

E é isto.

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D