Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

31
Out14

86 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

Como já tinha dito, dei uma aparência nova a dois cestos que não tinham um aspecto por aí além, aliás quando os comprei estavam destinados à despensa, mas acabaram por não servir para o que inicialmente tinha pensado. Então tornaram-se daqueles objectos sem função específica, mas que serviam para quase tudo, desde transportar brinquedos do quarto para a sala, e depois acabavam estacionados na sala, a arrumar brinquedos que não tinham lugar exacto, valeu-lhes de tudo, principalmente valeu-lhes muito a função de tabuleiro. Só que eu acabei a não gostar deles, mas não os queria deitar fora e como ando em pinturas, resolvi pinta-los com uma espécie de auto compromisso, se ficassem piores, iam para o lixo. Não achei que ficassem e com uma nova cara até os achei necessários para o quarto do mais novo, só que apesar de mais apresentáveis, todos em branco, continuavam sem grande graça. Lembrei-me de lhes aplicar uma fita com pompons e fazer uma aplicação em tecido para cada um, de acordo com a decoração do quarto.

 

Tenho imensa pena de não ter tirado fotos aos cestos antes da pintura, afinal sempre dava para se ver um antes e depois e comparar as diferenças, mas nem me passou pela cabeça que ia gostar do resultado, foi muito aquela coisa do deixa cá ver no que isto vai dar, mas sem qualquer tipo de expectativa.

 

Materiais para os cestos:

. tinta branca

. rolo com esponja, ou pincel

. fita com pompons

. pistola de cola quente, ou cola comum

 

Materiais para as aplicações de tecido:

. restos de tecidos

. enchimento de almofadas (à venda nas grandes superfícies de bricolage), ou algodão comum. 

. botão

. linha encarnada e linha branca

. fio de pasteleiro (na secção de papelaria das grandes superfícies ou Staples)

. 2 molas (secção de papelaria das grandes superfícies)

. agulha de tecelagem

 

Execução:

 

Pintamos o cesto com tinta branca e damos cerca de três camadas, deixando secar bem entre cada camada. Quando a última camada estiver seca, aplicamos a fita de pompons, que colamos com silicone quente ou com cola tudo, tipo UHU.

 

 

Quanto às aplicações de tecido,


 

Fazemos um molde em papel com o desenho do que pretendemos, recortamos e prendemos com alfinetes a dois tecidos sobrepostos. Desenhamos com caneta própria (tinta que sai com água ou que desaparece em uma hora) ou giz, o contorno do nosso molde. Cortamos o tecido, deixando a mais uma margem com cerca de 1 cm, que servirá para as bainhas. 

 


 Cosemos, deixando uma abertura para o enchimento.

 

 

 

Fazemos uns recortes em todas as zonas que não sejam rectas, porque ao virar para o lado de fora e ficando as costuras para dentro, se não fizermos isto, o tecido repuxa. Viramos a nossa aplicação para o direito e pomos o cordel com a ajuda de uma agulha de tecelagem. Finalmente pomos o enchimento. Eu prefiro este tipo de enchimento, que se vê na foto, que deixa as almofadas e este tipo de aplicações muito macias e não faz altos, nem grumos.

 

 

 

 Cosemos à mão a abertura e depois decoramos, ou não. No coração resolvi coser um botão, mas a letra achei que ficava bem, sem nada. 

 

 

 

 

 

E finalmente, prendemos com uma mola a aplicação ao cesto.

 

 

31
Out14

19 - DEPOIS DE SER MÃE, UMA MULHER NUNCA MAIS ESTÁ SÓ


Mac

Eu, Mac Maria Beatriz Hermengarda Sara Constança, nunca, jamais, em tempo algum, alinharei no Halloween, não, nunca. Eu sou pelo Pão-por-Deus, pelas nossas tradições e ai de quem me venha cá com modernices. Nego-me.

 

Mas isto foi antes de ser mãe.

 

Depois de ser mãe, fiz a máscara de feiticeiro mais gira de que fui capaz, com um chapéu comprado ali, mais uma capa feita acolá, mais um caldeirão encomendado. Fui todos os dias, durante uma semana, à abertura de uma loja xpto, à espera que chegasse aquela máscara para os seis anos do meu filho, porque eles nunca atendem o telefone e quando atendem, não sabem, não viram, nunca ouviram falar. Fui ao chinês a trinta quilómetros, porque aquele é que tinha aquele fato tão igual, tão giro, tão tudo e não, o que me fica ao fundo da rua, nem para naftalina serve. Participei em desfiles e gostei, fotografei e filmei. Fui com o mais velho pela mão pregar sustos e dar doces. Encomendei abóboras, passei tardes a escava-las e fiz lanternas, para depois ter o congelador com abóbora para sopas até à Páscoa.

 

E ontem à noite, quase à hora de deitar, os meus filhos quiseram as máscaras para hoje, porque mais logo querem ir pedir doces e pregar sustos, ou lá o que é, e eu fui enfiar-me no sótão e lá trouxe comigo as máscaras de vampiro, conde coiso, feiticeiro e tudo quanto é feio e isso.

 

Não me orgulho por aí além, mas não me envergonho com toda a certeza, a verdade é que até já gosto disto do Halloween. Nada como os filhos para nos atirar com as teorias, dogmas, paradigmas e quejandos para a sarjeta.   

 

[amanhã pedem Pão-por-Deus]

30
Out14

85 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

Encontro-me num pequeno intervalo criativo entre as pinturas do mobiliário diverso que me propus reciclar (não está esquecido, depois mostro tudo), que para já, para já, já deito pruzolhos e estou a decorar uns cestos que pintei e que me parecem necessários para arrumar as roupas do filho pequenino, ou brinquedos, ou qualquer coisa, ainda não sei. Sei que me apetecia bastante colar pompons e fazer coisas que não implicassem um pincel, luvas de borracha e isso. Depois ocorreu-me que ficavam giros se lhes fizesse uns corações e tal, portanto depois mostro a coisa completa com explicações e tudo, desde a costura e truques para coisas redondas saírem perfeitinhas, como colar tecidos com cola universal sem manchar e outras coisas mais, e como de uns cestos sem graça nenhuma até conseguimos fazer umas coisas com um ar alegre, infantil e tal. E é isto.

30
Out14

692 - LAI LAI LAI


Mac

 

 

Não me canso.

 

[grosso modo, vamos no quinto round da série. desconfio que sexto, mas a vergonha inibe-me de o admitir. será? olha, já não sei. sei que já foram muitas vezes e de cada vez, ainda gosto mais. aos meus olhos, depois de Friends, todas as séries com um grupo de amigos, são inevitavelmente comparadas e, inevitavelmente também, perdem sempre, mas isto sou eu, claro está]

 

 

 

 

Smelly Cat, Smelly Cat,
What are they feeding you?
Smelly Cat, Smelly Cat
It's not your fault

They won't take you to the vet
You're obviously not their favorite pet
Smelly Cat, Smelly Cat,
It's not your fault

You may not be a bed of roses
You're not friend to those with noses
I'll miss you before we're done
Or the world will smell as one

Smelly Cat, Smelly Cat,
What are they feeding you?
Smelly Cat, Smelly Cat
It's not your fault

29
Out14

160 - A DONA DE CASA PERFEITA(MENTE DESESPERADA)


Mac

pus a chaleira com água ao lume, a chaleira apitou e a tampa saiu disparada . vá que não estava ninguém ali por perto a jeito de ser violentamente baleado com uma tampa . depois deitei a água na bodum e quando pressionei o êmbolo, ou lá como se chama, o café deu uma golfada e eu queimei-me . preparei os legumes para fazer uma sopa e fiz o automatismo do costume para as sopas: 20 mn, vel 1, varoma . qualquer dia sonho com isto . ou faço disto um mantra, 20 mn, vel 1, varoma, ahummmmmmmmm, 20 mn, vel 1, varoma, ahummmmmmm, 20 mn, vel 1, varoma, ahummmmmmmmmmm . pipipipipipi, erro 52, pipipi, erro 52, pipipi, desliga a máquina, volta a ligar, erro 52, pipipi, erro 52, pipipi, desliga a máquina, volta a ligar, mas o que é isto do erro 52? Erro 52, pipipi, erro 52, pipipi, desliga a máquina, volta a ligar . vou mas é ver à net o que é o erro 52 da bimby . olha, estou sem net . desliga router, volta a ligar, nada, desliga repetidor, volta a ligar, espera até que todas as cenas estejam com sinal verde, vá, já tenho net . googlar erro 52 na bimby: humidade nos pins, ou pinos? Olha não sei, naquelas cenas que são uns pauzinhos . limpei as ceninhas, voltei a programar 20 mn, vel 1, varoma e a máquina lá arrancou naquele ruído dela renhorenhorenhó . hoje o renhorenhó aborrece-me, dói-me a cabeça . devia ter feito a sopa no fogão . será que sou a única pessoa no mundo bimby e amantes de bimby, fãs de bimby e tudo bimby, que não suporta o barulho da máquina? devo ser . até tenho alturas em que me apetece bater-lhe . triturei as cascas naquilo do lava-loiças e o cano entupiu . ca nojo . ali tudo a boiar  . deixei aquilo a boiar e parei . às vezes o melhor é parar . fui beber um café . o café fez-me sono . tenho para mim que há dias em que o melhor é não fazer nada, não mexer em nada, parar . em suma, não fazer nenhum . nenhureles . ou então insistir . vou cortar relva .

29
Out14

04 - AS FLORES, O NIRVANA E EU


Mac

 

 

 

 

Habemus Chrysanthemums.

 

[um bocado doentes, atacados por uma bicharada minúscula que se abastece alarvemente das folhas lindas dos meus crisântemos lindos. diz quem percebe da coisa que o jardim está demasiado frondoso e que isso atrai piolhos e mosquitos e pragas diversas, gatos malucos a fazer dali o seu wc, também, até já andei a borrifar com aquela cena que repele os gatos, mas aquilo não funciona. portanto para ainda salvar os crisântemos, vou comprar vasos e assim que deixarem de dar flores, passo-os para lá. a jardinagem não é uma cena zen. não para mim, que apanho carradas de nervos com os ataques sucessivos que a fauna desembestada faz à minha flora linda. ganhei foi uma psique bastante atormentada, foi o que foi. soubesse eu e tinha-me dedicado à apicultura]

27
Out14

21 - OS FILHOS, AS FESTAS, O NIRVANA E EU


Mac

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E foi mais ou menos assim a festa dos três anos da minha criança pequena.

 

[e também tivemos uma pequena birra, nada de especial, só não esteve para conviver com ninguém, mas gostou que lhe cantássemos os parabéns. diz que são os terríveis três, portanto, vindo dos terríveis dois. e eu que não sou mãe de primeira água, sei que os terríveis três, são só uma pequeníssima amostra do que vão ser os simpáticos treze, mas pronto]

 

[nota mental: não voltar a comprar línguas da sogra daquelas que apitam, nunca mais, nunca, nem para os netos, nem quando já estiver surdíssima e insensível ao que se passa em meu redor, jamais comprar]

27
Out14

18 - DEPOIS DE SER MÃE, UMA MULHER NUNCA MAIS ESTÁ SÓ


Mac

 

 

 

com a hora extra de fim-de-semana, há quem durma mais uma hora e há quem estique o dia mais uma hora . eu faço parte do segundo grupo, gostaria de fazer parte do primeiro, confesso, mas com uma criança pequena, que responde pelo relógio biológico, ganho uma hora ao dia e não ao sono . também é bom . melhor ainda, é apanhar o embalo deste domingo de outono, com sabor a primavera e descer até à marina para tomar o primeiro café do dia .

 

sonho que estas manhãs são uma primavera tardia, mas depois de almoço a luz já só engana alguns e a meio da tarde já não engana ninguém . não gosto desta luz ainda com calor . não condiz com o meu condicionamento . fui condicionada para uma luz assim com frio, lareira acesa e cheiro a madeiras queimadas no ar . com calor é só deprimente . eu acho . e também é a única altura do ano em que não vou à praia . vou muito no verão . e vou no inverno noutro registo . é bom para as crianças . é bom para nós . é bom sentir aquele cheiro a mar com o frio gelado a bater na cara . é bom enfiar as mãos nos bolsos e para ali estar a olhar para as crianças . mas nesta altura do ano não consigo encaixar calor com luz de outono .  pavlov explicaria . eu não estou para isso .

 

ficam-me estas manhãs tão boas, com o mar pela frente e a baía que adoro, apesar de reclamar sempre que olho para ela, que nunca entenderei porque me tiraram dali o estoril sol, com aquela piscina inigualável, com a desculpa de que desfeava  a baía e no fim, plantam-me com aquele mamarracho, mas pronto, repetir-me faz parte destas manhãs . faz parte inspirar aquele ar (desde que esteja do lado esquerdo da marina e não esteja maré baixa) e jurar que só quero isto da vida, o mar e os meus filhos . faz parte adorar desta maneira torcida esta vista que tem tanto de mim .

24
Out14

20 - OS FILHOS, AS FESTAS, O NIRVANA E EU


Mac

 

 

 

Vou dedicar o meu dia aos bolos, doces e decoração da mesa, para a festa de amanhã. Também tenho umas coisas para arrumar, tenho sempre, credo, e fazer as últimas compras. Ah ainda faltam os balões com hélio, a manter bem longe do gato, que se pela por uma luta feroz com balões, em que os balões perdem sempre, claro está.

 

[gosto muito de preparar as festas dos meus filhos, mas acabo sempre a jurar que não repito, ai que canseira e não me aguento das cruzes e dos pés e mais não sei quê, mas depois tenho problemas sérios de boa memória e volto a fazer. até juro que não, que não cansa nada e tudo. enfim] 

23
Out14

19 - OS FILHOS, A CASA, O NIRVANA E EU


Mac

 

 

 

 

Entretanto dei mais um toque na decoração do quarto do mais velho, faltavam-lhe molduras com fotografias. Sou muito pelas fotos a encher paredes, cómodas, estantes e tudo. Gosto de bons momentos ao alcance dos olhos, é isso.

Pág. 1/4

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D