Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

26
Set14

189 - COISINHA MAI LINDA, RIQUEZAS DE SUA MÃE


Mac

  

 

  

 

 

  

 

 

 

 

E assim dou por encerrada a decoração do quarto do filho pequenino, quer dizer, falta escolher a cama de crescido, sem grades, e mandar forrar a cadeira de novo. Lembrei-me que é capaz de ficar bem gira forrada aos bocados com os vários tecidos dos ninhos e almofadas, um braço às riscas encarnadas, o outro com quadrados azuis, as costas com estrelas e isso, acho que sim. E claro que surgirá sempre mais qualquer coisa, mas no essencial, considero o quarto pronto. 

26
Set14

81 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

 

Após esta primeira experiência a forrar uma parede com papel, concluo que é o mesmo que forrar cadernos, mas em grande, também já tinha forrado armários com papel de parede, ou seja, conhecia os materiais em aplicações pequenas, o que já é qualquer coisa, mas não é tudo. Claro que há passos que tenho de aperfeiçoar, mas parece-me que a coisa vai no bom caminho. Acima de tudo é facílimo e bem rápido, se respeitarmos tudo quanto quem sabe da coisa nos diz. 

 

No entanto não respeitei uma das coisas neste processo, dizem-nos para passarmos a cola no papel e depois aplicar na parede, não fiz assim, porque além de não estar para montar uma mesa de trabalho, também achei que é mais difícil, e a probabilidade de encharcarmos o papel com cola é bastante maior do que se aplicarmos a cola directamente na parede, a acrescentar que manusear metros de papel com cola também é mais difícil, por isso apliquei a cola na parede, segundo as regras de pintura, para ficar bem uniforme, ou seja, passei o pincel na vertical numa área que correspondia à tira que queria aplicar, e depois com o pincel sem cola, espalhei a cola que já estava na parede, mas na horizontal. Isto evitou-me excessos de cola na parede e consequentemente o papel empapado.

 

Depois de posicionar o papel, usei uma escova muito larga e a seguir pressionei com um pano limpo, para que todo o papel ficasse bem colado e sem bolhas de ar. A seguir passei aquele rolo na junção das tiras, para que a união fique quase imperceptível.

 

E repeti o processo, até ter a parede forrada.

 

 

Materiais que usei:

 

. Cola já pronta, porque para nova experiência já me bastava a empreitada, não precisava de coisas para complicar e nunca usei colas de preparar, que ao que sei não são assim essas facilidades para pessoas verdes na matéria e são dadas a fazer grumos e isso.

 

Usei uma cola específica para aquele tipo de papel. Há vários tipos de colas e convém pedir a um funcionário que nos diga qual a indicada para o tipo de papel que vamos usar. 

 

. Pincel para cola

. Escova para alisar papel

. Panos

. Rolo para aperfeiçoar junções

. Régua

. X-Acto

. Base de corte

25
Set14

80 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

 

[para aumentar, clicar nas imagens]

 

 

 

Para quem pediu, aqui está o esquema da almofada estrela em croché:

 

Usei fio de algodão, com agulha nº 3 e fiz apenas ponto duplo. 

 

Começamos por fazer uma cadeia com seis pontos que fechamos.

 

1ª volta: 16 malhas

2ª volta: Acrescentamos o dobro, ou seja fazemos duas malhas em cada malha, para dar 32 malhas.

3ª volta: Malha sim, malha não, fazemos duas malhas, para dar 48 malhas.

4ª volta: Acrescentamos a cada duas malhas, duas, ou seja deixamos duas malhas de intervalo e acrescentamos duas, para dar 64 malhas

5ª volta: A cada três malhas de intervalo, acrescentamos duas malhas

6ª volta: A cada quatro malhas de intervalo, acrescentamos duas malhas

7ª volta: A cada cinco malhas de intervalo, acrescentamos duas malhas

8ª volta: Não se acrescentam malhas

9ª volta: A cada cinco malhas de intervalo, acrescentamos duas malhas

10ª volta: A cada onze malhas de intervalo, acrescentamos duas malhas e nesta volta teremos 150 malhas

 

11ª volta iniciamos as pontas da estrela e fazemos cinco secções de trinta malhas cada uma.

 

 

Cada secção, ou ponta da estrela,

 

1ª volta: temos as trinta malhas

2ª volta: reduzimos três malhas de cada lado, ficam 24

3ª volta: reduzimos duas malhas de cada lado, ficam 20

4ª volta: reduzimos duas malhas de cada lado, ficam 16

5ª volta: reduzimos duas malhas de cada lado, ficam 12

6ª volta: reduzimos duas malhas de cada lado, ficam 8

7ª volta: reduzimos uma malha de cada lado, ficam 6

8ª volta: reduzimos uma malha de cada lado, ficam 4

9ª volta: reduzimos uma malha de cada lado, ficam 2

 

Repetimos o mesmo processo para as outras quatro pontas da estrela.

 

24
Set14

686 - LAI LAI LAI


Mac

 

 

  

Após quatro anos de utilização quase consecutiva do removedor da Sephora e cerca de um do Bourjois, tendo experimentado outros tantos que prometiam, mas afinal não era bem assim, ou seja, tiravam o verniz, claro que sim, mas não na base da rapidez como apregoavam, estes são os meus removedores de eleição, sabendo que o Sephora ganhou um lugar ao sol, que ninguém lhe tira. Remove rapidamente o verniz, o cheiro não chateia e não deixa óleos agarrados às unhas, se bem que ao fim de algumas utilizações, a esponja se começa a desfazer e agarra-se aos dedos, mas não é grave, sai bem com uma lavagem.

 

Normalmente tenho duas embalagens, uma para os vernizes claros, outra para os encarnados, é que o removedor dos encarnados fica assim para o tingido e depois tenho de tirar os restos de removedor com ar de tinta da china carmim, com um pouco de outro removedor. Faz-me confusão estar a tirar um verniz cor de areia, por exemplo, e ficar com os dedos tingidos de encarnado, bem sei que isto é um bocado coise da minha parte, mas pronto, já não é assim tão coise, quando se trata de um desastre numa unha, enquanto as outras estão a secar. Sou pessoa dada ao desastre na unha acabada de pintar, ali naquele nano segundo em que já apliquei o secante e ele ainda não actuou, é precisamente nesse nano segundo que sou dada a estragar a unha, vai daí esta coisa da esponja no frasco, em que é só rodar o dedo para remover o desastre, é muito boa e evita que estrague mais unhas a tentar tirar o verniz da primeira unha estragada, ora se o caso é de uma unha num qualquer nude e meto o dedo no frasco dos encarnados, não posso remediar a coisa, porque o dedo me sai de lá encarniçado. É isso. 

 

Já quanto ao específico para as unhas dos pés, não lhe vejo grande utilidade, já que não pinto aquelas unhas, se estiver com as das mãos ainda a secar, e estando secas, se quero remover o verniz das dos pés, enfio umas luvas de borracha e já posso passar com o tira verniz, sem estragar as das mãos, portanto é tudo uma questão de timing, estratégia e planeamento.

 

Para terminar, também sou muito amiga da caneta, que me elimina todos os excessos de verniz para além das unhas, quando sou eu a pintar e quando sou eu, já se sabe, portanto há que corrigir a coisa.

 

 

E é isto.

22
Set14

188 - COISINHA MAI LINDA, RIQUEZAS DE SUA MÃE


Mac

 

 

 

 

 

Há bonecos que aqui por casa são um sucesso, como o Woody e o Buzz, que renderam horas e horas de histórias, aventuras imaginárias e brincadeiras ao filho grande. Agora passaram para as mãos do mais pequenino e são os favoritos dele. Há brinquedos assim. E brincadeiras também.  

 

 

[gosto tanto de ficar a olhar para os filhos a brincar. gosto de ouvir aquele mundo imaginário e, de uma certa forma, ver pelos olhos deles. tão bom]

22
Set14

12 - BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE ECONOMIA DOMÉSTICA, IDEIAS DIVERSAS E TAL


Mac

 

[não, não é um naco de carne, é um simples bloco de morangos congelados]

 

 

Este ano, no final da época dos morangos, comprei uma data de quilos para congelar e prolongar a época aqui em casa, em mousses, batidos, smoothies e o que mais calhar. Normalmente os produtores vendem-nos mais baratos no final da época, porque o fruto já não aguenta tanto e há que despachá-los, é uma excelente oportunidade para comprar uma boa quantidade e eu gostei tanto da ideia (e da economia) que para o ano vou duplicar a quantidade.

 

Portanto, comprei os morangos, lavei-os e triturei-os, depois dividi o creme em sacos com cerca de um quilo cada, que como toda a gente sabe, ao guardarmos os alimentos em sacos, em vez de caixas, optimizamos o espaço de congelação, o que toda a gente também sabe e eu não me lembrei, é que se guardar cerca de um quilo de morangos triturados num saco de 3 litros, aquilo forma uma pedra tão comprida, que depois não cabe na Bimby, ou seja, na próxima vez tenho de os congelar em sacos mais pequenos, de forma a obter pedras que caibam no copo e não tenha de andar para ali à catanada ao bloco, além de ser uma perda de tempo, nem sempre preciso de um quilo de morangos de uma vez.

 

Pronto, fica a experiência nesta coisa da forma de congelar a cena, quanto ao resto, como já disse, pois sim, fiquei fã da coisa.

19
Set14

101 - DIZ QUE SIM


Mac

 

 

 

 

gosto de mesas bem postas, toalhas lavadas e roupas de cama acabadas de passar a ferro . gosto do cheiro da relva molhada e ainda mais acabada de cortar . gosto do cheiro do mar, da melancia e da colónia de limão . gosto de cantos de leitura, prateleiras com loiças e das cores do Outono . gosto dos fins de tarde já mais frios com céu rosado e cheiro a madeiras queimadas . gosto do meu Alentejo, o meu berço, do frio de Janeiro e do vento suão de Agosto . gosto da paisagem cor de trigo até onde a vista pode alcançar . gosto do azul do mar, da areia na pele e do sal nos cabelos . gosto das ondas de praia que me ficam no cabelo . gosto do cheiro dos meus filhos . dos acordares de mimo e beijos . gosto dos cabelos deles, dos olhos e dos pés . e muito da pele . gosto do cheiro a bolos acabados de fazer na cozinha . das castanhas e dos fins de tarde por ali . gosto de ter o mais velho a fazer os trabalhos de casa naquela mesa, enquanto faço o jantar . gosto do olhar para ele . gosto do perfil dele . gosto dos Jacintos que planto todos os anos, depois passo para o jardim e esqueço . gosto de sapatos sem meias . castelos na areia e algodão doce . gosto de recém-nascidos, de grávidas e de crianças . gosto de pessoas . e muito das minhas pessoas . gosto do cheiro dos livros e da luz de Lisboa . gosto dos pequenos almoços com o meu marido, ainda no silêncio da casa . gosto dos planos para o dia, para os anos e para a vida . gosto do cheiro do cabelo dele . e gosto desta vida que nós temos . gosto .

Pág. 1/4

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D