Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

25
Set13

11 - BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE ECONOMIA DOMÉSTICA, BRICOLAGE, IDEIAS COISAS, AI QUE O VERNIZ SE FOI E JÁ PASSAVA CREME NAS MÃOS


Mac

Iniciei o BB Cream da Estée Lauder e sim, temos BB Cream, não é oleoso, espalha bem e não me deixa mascarrada com ar de quem se enganou e passou graxa no fácius. Outra coisa que me faz gostar dele é não se esfarelar, enquanto ando feita picuinhas a esfregar a cara para a coisa ficar mega bem espalhada à frente daquele espelho que aumenta. Isso e confirmar em quinhentos espelhos que não há diferença de cor entre a linha da cara (naquele fim do maxilar inferior e queixo) e início do pescoço. Por acaso nunca percebi bem aquela coisa de também se pôr base no pescoço, não suja tudo? Não é base a mais? E se maquilham o pescoço, fica o decote mais claro? Maquilham também o decote? E então e as mãos? São esquecidas? E os tornozelos? A minha vida está cheia de dúvidas.

 

Outra coisa que estou a gostar nele é que continua impecável e sem me estampar brilhos na cara, mesmo com este dia húmido e pastoso.

 

 

[e agora vou ali dar umas pancadas, lixadelas e isso, numa moldura grande que quero que pareça velha, mas não é. mais um teste ao BB da tia Estée]

25
Set13

41 - CROCHÉ, COLAGENS, TRICÔ, FILET, BRICOLAGE E COISAS ASSIM


Mac

 

Imagens via Pinterest

 

 

 

 

Tenho sempre uma dificuldade tremenda em escolher fotos dos meus filhos para pôr em molduras, gosto de todas, mas lá selecciono umas e fico cheia de pena das que ficam para álbuns, sim sou desses T-Rex que ainda faz álbuns de fotos em papel. E como por mim punha todas as fotos cá fora, achei que esta ideia me resolve parcialmente o problema.

 

[também é capaz de ficar giro fazer mega cubos para decorar os quartos infantis]

24
Set13

53 - A DONA DE CASA FELIZ E PRAZENTEIRA QUE HÁ EM MIM


Mac

 

  

 

Mais umas fronhas que avó querida bordou e esta neta já pôs a uso, depois de lhe tirar as mil e um pintas de ferrugem com o meu bom Linfer. Aconselho muito. E também tira nódoas de fruta, daquelas bem tramadinhas, como as das cerejas. Desde que sou mãe tornei-me uma especialista em tirar nódoas, tanto através de métodos caseiros, ancestrais e isso, como pelo uso de modernices, Supergel, borrachas e dangógios e químicos diversos. Isto começou devagarinho, uma nódoa de leite aqui, outra nódoa de papa ali, passa às sopas, uma nódoa de espinafres, olha ali outra de nabiças, depois passámos às tramadinhas, como nêspera, amoras, sumos de frutas e neste momento detenho um vasto e útil conhecimento da coisa. Portanto a coisa tem evoluído a par da alimentação e actividades de filhos amados. Também sou boa a tirar nódoas de tintas, só ainda não me aperfeiçoei quando são sobre malhas, mas lá chegaremos. Já as de plasticina dependem da qualidade da mesma e tipo de base onde se encontram, assim como as de chocolate. Também adquiri a técnica da luva de borracha para tirar os pêlos do gato de sofás, almofadas e isso. E depois de grande análise de mercado, encontrei a escova que tira das roupas os pêlos de gato, pêlos de camisolas e isso, mas não tão eficaz como a luva de borracha. Concluí que uma lâmina é bem melhor a retirar eventuais borbotos, mas já prefiro ver bem o que compro, porque me falta o tempo para coisas que são dadas a borbotos, já me bastam as nódoas para me ocupar.  

 

Caminho a passos largos para o doutoramento da nódoa.

24
Set13

527 - LAI LAI LAI


Mac

Irrita-me qualquer coisa que os cínicos se escondam num suposto sarcasmo. Ou é ironia? Cinismo, sarcasmo e ironia, são coisas distintas entre si, acho eu, mas pronto, agora é moda ser sarcástico. Cansei. Chamem-lhe o que quiserem. 

23
Set13

52 - A DONA DE CASA FELIZ E PRAZENTEIRA QUE HÁ EM MIM


Mac

A troca da lavandaria pelo escritório tem-se revestido de grande sucesso. A primeira máquina de roupa que fiz na nova lavandaria, portanto antigo escritório, inundou-me o chão. Um dos armários da antiga lavandaria por dois centímetros a mais não coube na porta, portanto terá que ser desmontado e remontado por uma pessoa que ontem não apareceu, diz que será hoje. A janela que ali quero que seja construída só ficará pronta daqui a três semanas, não sei o quê dos caixilhos e o coiso. O meu marido transportou livros que enchem três estantes com dois metros e qualquer coisa. Eu não, porque estava a ter boas ideias.

 

Feng Shui para mim. Aos molhos. Ai o sul, a orientação e coiso e isso. Feng Shui. Aos molhos.

 

 

[já jurei e prometi ao meu marido, que nos próximos trinta anos não altero nenhuma disposição na casa, sob pena de ser escorraçada e ó coisa vai lá ali para a coelheira donde viste, trocar cozinhas com quartos e isso. foi uma boa jura. fon xuei]

23
Set13

51 - A DONA DE CASA FELIZ E PRAZENTEIRA QUE HÁ EM MIM


Mac

Nem de propósito, andava eu para dar conta dos resultados do fermento versus formigas, mas adianto já que a luta continua, ou seja, aquilo é capaz de resultar qualquer coisa, mas a gente não faz mais nada e dedica a nossa vida a espalhar fermento pelas cozinhas. Penso que seja uma boa actividade para quem andar calmo, a precisar de agitação na sua vida e isso. 

 

A minha cozinha parece uma sala de chuto, mas sem a parte das drogas à seria, pronto, é só o cenário. Espalhei e volto a espalhar e espalho fermento contra as formigas, portanto a parte em que parece uma rave de gente muito maluca é na cena do pó branco, de resto não, não tenho espelhos por ali, e eu acho que continuo muito saudável da cabeça. Adiante. Dizia eu, que sim, faço uns carreirinhos com fermento, assim devagarinho, pego no pó e como quem vai decorar arroz doce com canela, lá faço os tais carreirinhos com fermento, ali onde me andam as formigas e onde eu não as quero, assim uma coisa tipo muro, para elas não passarem. Ora como cada carreirinho não pode ter um intervalinho que se veja, pois a formiga, esse animal que eu apostei que hei-de domesticar, assim que detecta uma falha no meu carreirinho, é por ali que foge, esta mulher vê-se atacada dos nervos e lá vai ajudando a coisa com o polegar livre, que é como quem diz, lá vai esborrachando uma que outra, desculpem-me os amigos dos animais, que eu também o sou, mas esta questão na cozinha tem uma vertente económica muito acentuada, além da parte de higiene e essas cenas, portanto faz de conta que ninguém leu que eu esborracho as formigas. Adianto já também que convém retirar os corpos esborrachados do local, porque assim que nos distraímos, as outras formigas aparecem para resgatar os corpos moribundos. Ainda não percebi se as formigas são necrófagas, se o quê, mas também não me interessa.

 

Interessa-me que elas andam essencialmente no armário dos pequenos almoços, que está no enfiamento da bancada, de seu conteúdo, açúcar, manteiga, cereais, torradeira e máquina do café, porque vão às migalhas que todos os dias ficam do delicioso pão que esta aqui manufactura com amor para a família, e ali num nano tempo, que intervala o corte do pão e a produção de migalhas e eu limpar novamente tudo, lá estão elas. Depois eu passo a vida a limpar a bancada, porque sim, há quem vá ao ginásio, eu acho giro limpar a bancada, portanto esqueço-me do fermento e limpo-o também, as formigas sabem logo que eu o limpei e atacam de novo, eu volto a espalhar fermento, sem falhas, ai os nervos, porque elas fogem do fermento, mas passam por toda e qualquer falha e andamos nisto. 

 

 

E que aprendi eu? Que o fermento resulta muito bem, principalmente à vigésima espalhadela, quando os meus fracos nervos já estão em frangalhos e dá-se-me um fenómeno motor em que o polegar livre cai sobre as formigas, esborrachando-as como se tivesse feito isto toda a vida.

 

Agora vou enervar-me com a técnica do vinagre. É uma actividade como outra qualquer.

 

 

A luta continua, formigas para a rua. 

 

 

[estou com os nervos em colapso e ninguém me liga nada, mas está bem]

 

[outra coisa em que o fermento em pó falha, é quando há necessidade de o espalhar na vertical]

23
Set13

65 - A MINHA BARRIGA, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES E COISAS ASSIM


Mac

Combinámos que nos dias de natação, esta aqui fica solteira e sem filhos, quer dizer, não é o dia todo, mas como a coisa dura umas horas da manhã de sábado, é bem bom. Não é que eu queira ficar descasada e desfilhada, que não o quero, mas assim aos bocadinhos, a conversa já é outra. Combinámos que esta manhã é só minha. Combinámos que usaria este tempo para sair sem crianças penduradas da minha pessoa, assim só eu e a minha mala, vá, a chave do carro, sim, como fazem os adultos, também a poderia usar para falar ao telefone com as minhas amigas, sim, como fazem os adultos, sem interrupções ó mãe isto é muito importante, ou mamama o bebéeeeee, ou para ler, sem pequeninos sentados em cima do meu livro e maiorezinhos a pedir ajuda para os tpc, sim, como fazem os adultos, até para pequenas coisas, como apenas ir à casa de banho sem, mãiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii ou mamamama,  ou os dois em vocalizações livres numa sinfonia quase Paganini mãmaiiiiiiiiiiimamaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiimamamamamaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, talvez um duche mais demorado, sei lá, tantas coisas que os adultos fazem.

 

Gosto dos bocados só meus e da casa em silêncio, onde fico por minha conta, sem tomar conta de nada, nem de ninguém. Mentira. Sabem-me bem aqueles primeiros quinze minutos, até procurar o comunicador mudo e sentir os braços vazios. E faço o que quero fazer e faço o que me apetece num misto a olhar para o relógio e pensar que tenho mais x de liberdade e pensar que já falta pouco para ficar outra vez com a casa cheia de vozes. Isso do silêncio afinal pouco me diz, às vezes preciso dele, às vezes quero-o, mas é só aos bocadinhos. E quando o tenho, não sei o que fazer com ele. Não o quero para a minha vida. Quero-os a eles aqui, sempre, em todos os bocados.

 

 

Depois eles voltam, vamos ver o mar, almoçar, falar, às vezes não dizer nada. E é deste silêncio que gosto, onde eles estão ao alcance dos meus olhos. Os filhos crescem depressa demais, quero é aproveita-los muito. Depois, logo se vê.

23
Set13

09 - ADEUS VERÃO, OLÁ OUTONO


Mac

 

 

  

Que aguardem por dias frios os Must Have de abafos, casacos e cachecóis, o Verão do calendário já se foi, diz que estamos no Outono, mas as temperaturas são muito boas.

 

Seja então bem-vindo Outono-Verão do meu coração.

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D