Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

31
Ago12

26 - COISAS QUE O GATO FAZ E QUE EU NÃO PERCEBO (NEM QUERO)


Mac

 

 

 

 

 

Quando resolvemos acolher um gato nestas paredes, achei por bem que fosse de marca, cá no meu raciocínio bastante tosco no que toca a domesticidades, se fosse de uma raça pipi, vai que não teria laivos de selvagem, coisas primitivas e o coiso. Decidiu-se que sim, um Bosques da Noruega seria suficientemente gato, sem ar de coisa de porcelana, mas também com o seu qb de evoluído. Cais quê. O gato, e digo-o isto com o pesar de uma dona chorosa da sua realidade, é quase atrasado mental. Nada evoluído. E um caguinchas da pior espécie. Mas eu amo-o de paixão, vá-se lá saber porquê.

 

 

Agora o gato resolveu alargar território. E para alargar território, achou por bem saltar o muro das traseiras. Até aqui tudo mais ou menos, só que o muro do nosso lado tem aí dois metros, mas do outro, portanto o lado da minha vizinha, tem aí quatro ou cinco metros, e assim sua excelência consegue ir, mas não consegue voltar. Só que hoje não está ninguém naquela casa. Pior, é que é a terceira vez que ele faz isto. Das outras vezes havia gente em casa e fomos lá busca-lo.

 

E eu pensei que Wolfgang não devesse tanto à inteligência e com os dois sustos anteriores, concluísse que não era boa ideia, afinal deve ter estado para lá que tempos, sujeito à fúria de um Labrador e só demos com ele porque miava que nem um desesperado, mas não, Wolfgang não fez este raciocínio e agora está-me para ali angustiado, cheio de tefes e nós não o podemos salvar antes do fim da tarde, quando já há por ali gente. Também daquele canto não sai, porque está com miaufas do cão.

 

 

Esta gente arranca-me cabelos de preocupação. Anos de vida.

31
Ago12

27 - É SEXTA-FEIRA, LAILAILAI


Mac

 

 

 

 

 

 

 

 

E são coisas assim que ando a fazer em croché, quer dizer o saia e casco vão ficar para terceiros, porque pelo andar da coisa, assim só teria tudo pronto lá para 2020. Agora estou naquele casaco com as flores, já falei nele aqui, aí há um ano. Também já fiz umas aplicações para um biquíni e um top. E também ando a dar voltas à cabeça como transformar umas colchas, que não foram avós queridas, nem bisas que crochetaram, foram-me oferecidas, sei lá eu porquê, sou lá eu mulher de colchas, e a essas não tenho pena de dar voltas e até desmanchar, já as outras coisas têm muitos laços e nós afectivos, de maneira que só sou capaz de aplicar este ou aquele napperon em almofadas e pouco mais, mas nada que os danifique.

30
Ago12

52 - COISINHA MAI LINDA, RIQUEZAS DE SUA MÃE


Mac

  

Hoje o bebé está irritado. Irritado. Reclama entre gritos loucos. Não me deixa sair do pé dele. Lamenta-se. Já percorri o manual todo e nada, nada melhora aquele humor. E não, não me parecem os dentes, nem sono, fome, ou dores de barriga. Não. parece-me mesmo é uma acesso de mau humor. E eu que até lhes entendo os choros, os sons e tudo, às vezes não percebo e é nestas alturas que eu gostava que eles já falassem. Quando já não vou lá com as mil soluções, era isto, que aos dez meses ele falasse. 

 

De maneira que já estou que não posso. Uma pessoinha com pouco mais de meio metro consegue pôr-me a cabeça assim para o extenuada.

 

E depois Ah e tal a cortina de fitas para a cozinha com contas e o coiso, ai que gira e tal. Pois. Esqueci-me é que os dias sem vento por aqui são uma raridade. Nós aqui andamos sempre com os cabelos em pé, agarradas aos fundilhos das saias e a levar com areia nas fuças, é esta a nossa vida. E com vento a cortina funciona como um espanta espíritos gigante. Ora eu sou avessa a espanta espíritos, desde que a minha vizinha alemã - que eu achava que era norueguesa, até chegar às falas - instalou um ali nas traseiras dela, que dão para as minhas traseiras, não fica perto, mas eu tenho ouvidos de tísica, eu e os meus filhos, o Mac Man também, mas como tem bom feitio, não liga a estas miudezas do quotidiano. Então aquilo tilintava e tilintava, acordava-me os filhos e enervava-me a mim, depois acabou-se. Um dia, assim como quem não quer a coisa, enquanto o filho dela andava a brincar com o meu, completamente por acidente, aquilo estragou-se. Fim. Capute. E ela não comprou outro. Saravá. 

 

 

Sou uma pessoa com um sistema nervoso fraquinho, fraquinho, fraquinho que só visto.

30
Ago12

24 - A DONA DE CASA FELIZ E PRAZENTEIRA QUE HÁ EM MIM


Mac

 

Concluo que as camisas brancas são coisas boas de passar a ferro, até lhes perdoo aquele punho duplo para os botões e tudo, já as azuis, credo. Desconfio que há um homem neste país que andará imenso de camisa branca. Eu devia era ter nascido empresária, mas das finas, isso é que era, assim tinha um profissional da TV 7 Dias para me fotografar os autefites e fazia-me de desconhecida ao ferro. Ah não sei, não sei fazer nada, nem passar a ferro, nem cozinhar, nada, até me visto com dificuldade e troco sempre os sapatos. Assim é o que se sabe. Mas por que é que eu não fico caladinha, esta minha boca do tamanho do mundo será o meu fim, bastava omitir que sei fazer estas coisas, bastava isso. Isso e armar-me em forreta, ah mas é que nem pensar que a roupa vai para a lavandaria, uma chulice. A sorte deles, apetece-me generalizar, é que não se juntou TPM com ferro, nem imaginam a sorteca que é, mas está bem.

 

E como gosto de viajar na maionese, na rentrée vou ter assim uma conversa, como quem não quer a coisa, sobre os benefícios de umas férias de Inverno, mas não naquela semana que ela guardou para o Natal, pronto, férias na neve, isto de praias apinhadas já não está com nada. Espero enche-la de boas ideias, e iniciativa. Andamos à mesma desencontradas, mas ao menos eu passo a ferro com frio. Quanto à semana do Natal, também vamos ter uma conversa, afinal o Natal nesta casa enche-se de trabalhos extra tornou-se uma coisa brega de apelo ao consumismo e a Páscoa é que é o grande motivo de reunião da família é só comprar ovos e folares e o coiso. E isso de comprar ovos, também eu, olha-me esta.

 

 

Moral da história: não me apetece divagar sobre uma crónica de sua temática "As Gordinhas lixaram-me a Vida" ou lá o que é, porque já o fiz há dois anos. E isto de andar sempre a dizer as mesmas coisas cansa-me.

29
Ago12

23 - A DONA DE CASA FELIZ E PRAZENTEIRA QUE HÁ EM MIM


Mac

 

[tive que fazer mais um intervalo para arrefecer e lhe encher a caldeira, que não estou para levar com água a ferver nas fuças. isto não é uma profissão de risco]

 

Isto está a correr muito benzinho. Primeiro resolvi trazer tudo para o pé do bebé, para ele não ficar sozinho. Logo que aquilo desatou a fazer o barulho do vapor, o meu amor pequenino abriu suas pequenas goelas à sua máxima potência. Ora como não vou cá em festivais educativos sob medos, bicho papão, bruxas e outras pérolas, desmistifiquei a coisa entoando ólhó comboio áápitar, ólhó, poucaterrapoucaterra, enquanto gargalhava como uma louca, para demonstrar ao bebé que o vapor do ferro é a alegria da mãe. Não é. Ele mais ou menos convencido, até que resolvi evoluir para um abram alas ao Nody, Nóoody, no seu carro amarelo, pipipi, abram alas ao Nody, Nóoody o dia vai ser tão belo, pipipiiiiiiiiii, acompanhado de uma coreografia caseira, mas de grande sucesso nesta casa. Resultou. Depois lembrei-me que li algures, já não sei onde, que uma dona de casa aproveitava o momento alto da passagem a ferro para fazer uma máscara hidratante e eu cá como gosto de coisas pops, apliquei montes de máscara hidratante e fui-me ao vapor. Resulta muito bem, não fosse o creme da testa me escorregar para os olhos, que ia resultando num acidente mais ou menos grave. Depois para não me pingar para as camisas do Mac Man, estive numa posição muito chata e ia ficando torta das cervicais, já me bastam aquelas fotos que tiro aos meus autefites, em que para me apanhar, vejo-me obrigada a contorcer-me toda. A idade já me pesa, é isso. De resto resulta muito bem, assim se estivéssemos só por cima do ferro, sem roupa para passar. 

 

 

[e pronto, o ferro já me espera para nova carga, se não daqui a bocado é a hora dos lanches e brincar e sestas e jantar e mãeeeeeeeeeee]

29
Ago12

22 - A DONA DE CASA FELIZ E PRAZENTEIRA QUE HÁ EM MIM


Mac

 

Fui epifanada por uma coisa qualquer do divino. Para que passo eu pijamas, hein? Não é para dormir e amachucar tudo? Olha não os passo. Depois olhei para os lençóis de cama, a mesma coisa. E os turcos, olha está bem, abala-me imenso que não tenham levado ferrinho. E os panos de cozinha, as pegas e as cuecas. Vêem-se? Não, pois não? Zás, não os passo.

 

Restam-me as camisas do Mac Man. Pena não ser Inverno, assim só lhe passava os colarinhos, punhos e frente. E até a minha empregada voltar só uso vestidos que não se amachuquem. Saias, nem vê-las, nem camisas.

 

As roupas dos meus filhos são facilzinhas, t-shirts, calções e tal.

 

 

Bom, seguir-se-á emparelhar meias. Ai que zen.

29
Ago12

21 - A DONA DE CASA FELIZ E PRAZENTEIRA QUE HÁ EM MIM


Mac

 

 

 

 

 

 

Adoro esta saia. Comprei-a este Verão nos saldos da Zara, por € 9.95, ou foi 9.99? Bom, já não me lembro, só me lembro que foi nove e qualquer coisa e um S, que já teve de levar um aperto na cintura, porque afinal era um S para elefantes, mas os senhores Zara não foram lá muito explícitos na etiqueta. Gosto tanto de pechinchinhas.

 

 

[e agora que me pendurilhaquei toda, vou-me ao ferro de engomar. ai como gosto de ter a minha empregada em férias descoordenadas das minhas. ele é aspirador. ele é máquinas e máquinas de roupa. estender. apanhar . passar. ele é o pó. as refeições . as compras . que não me caem os parentes na lama, pois não, mas podendo descartar, descarto. e passar a ferro é mesmo o meu ponto nevrálgico. ponham-me a aspirar, a esfregar. tudo. tudo. tudo. mas não a passar a ferro]

 

[nota mental: tenho de iniciar a família na nobre arte da badalhoquice, 'cais mudar de roupa todos os dias, 'cais quê, assim como as camas podem perfeitamente ficar com os lençóis aí um mês, não tomam banho todos os dias, então? E os turcos das casas de banho idem aspas. pelo menos enquanto sou eu a alombar com o ferro. depois podem voltar a ser limpinhos. parece-me bem]

Pág. 1/6

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D