Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

30
Mar12

04 - É SEXTA-FEIRA, LAILAILAI


Mac

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

um fim-de-semana sem planos .  projectos . e listas de tarefas . só amanhã uma festa infantil . gosto disto . também gosto de não ter tudo planeado . sem almoços e jantares para executar . compras a fazer . arrumações . metas a atingir . já me bastam os horários a cumprir . quase religiosamente . aborrece-me tudo planeado . as horas todas preenchidas . aborrece-me . longos bocejos à vida métrica . é o que me dá .

30
Mar12

04 - A DONA DE CASA FELIZ E PRAZENTEIRA QUE HÁ EM MIM


Mac

 

 

 

 

[durante o arranjo anterior]

 

Senhor-técnico-muito simpático: A senhora raspa os pratos antes de os pôr aqui?

Esta: Claro que raspo, eu sei que ela não tem dentes.

Senhor-técnico-muito simpático: É que encontrei um osso de frango no filtro e ela assim bloqueia.

Esta: Ai isso não é possível, um osso de frango?

Senhor-técnico-muito simpático: Olhe, este osso.

Esta: Isso não é um osso, é uma cartilagem.

Senhor-técnico-muito simpático: Vai dar ao mesmo, ela não o desfaz, se ainda fosse arroz, mas isto...

Esta-a-enfiar-uma-peta-armada-em-boa: Eu raspo muito bem os pratos todos.

Senhor-técnico-muito simpático: Calculo que sim, mas o filtro estava cheio de arroz.

Esta: Então não é suposto ela desfazer o arroz, massas e isso?

Senhor-técnico-muito simpático: Não é suposto, mas acaba por desfazer, leva o seu tempo, se for muito, mais tempo leva, mas não lhe aconselho. O melhor é raspar bem os pratos.

 

 

 

Não é que tenha alguma coisa contra as máquinas da loiça, além de as achar pequenas para a loiça usada num dia, além de achar que é uma maçada ter de raspar os pratos, além de ter de lavar à mão toda a loiça que estiver mais gordurenta. Pronto, não tenho nada contra elas.

 

Mas já agora, nunca escorreu aos fabricantes, além de lhes aumentar o tamanho, acoplarem-lhe uma trituradora, hein? E assim a gente comia e trás, loiça na máquina, sem mais trabalhos. Fica a ideia.

 

 

[agora vou ali limpar o filtro, a ver se não lhe ficaram lá restos de Strogonoff e depois o técnico diz que eu deixei lá os cornos da vaca e o coiso]

30
Mar12

01 - O PROBLEMA ÉS TU, NÃO SOU EU


Mac

 

 [esta parva veste aí o 30, passa fome e foi photoshopada]

 

 

 

A minha relação com a H&M acaba-se já hoje, aqui e agora. Pois que me encantei por este vestido lindo, colorido e primaveril. Pois que o vestido só me serve no módico tamanho 40. Não, meus amigos, eu cheguei ao 38, vinda do saudoso 36 e garanto-vos que para o 40 não passo, não mesmo. Portanto, temos pena, mas se só me serve em 40, não o quero. Ah e tal o modelo é pequeno, por isso quem veste o 38, neste modelo, terá de levar o 40. Não, meus amigos, não terá. Renumerem lá isto e temos conversa, não o fazemos, ó adeus, vai-te embora.

 

 

Pronto, e é isto e cá coisas dos meus frágeis nervos dados a numerologias e tal, nada a fazer. 

30
Mar12

44 - JÁ FUI FELIZ AQUI


Mac

 

 

 

 

 

Tive as minhas primeiras galochas aos onze anos, quando pai querido, encarregue de tratar do nosso calçado, achou por bem acabar-nos com a mania infantil de entrar nas poças. Eu gostava daquilo. Ali as meias todas ensopadas, a fazer chlop chlop dentro dos sapatos. Mas, pronto, lá me enfiaram as galochas em dias chuvosos, compradas numa loja fina, especializada em mangueiras, tubos e impermeáveis para as obras. Fiquei de olho nos impermeáveis, que não havia em tamanhos pequenos, claro está, mas que lá fui comprar já adolescente. Eram práticos e protegiam mesmo da chuva na vida ao ar livre, além de serem extremamente fechione e irreverentes. As galochas não nos colmataram a questão dos pés molhados, se não o ficavam pela água da chuva, punham-nos os pés todos ensopados, porque aquela coisa não os deixava respirar, portanto as galochas foram afastadas como solução e voltámos ao calçado chlop chlop.

 

Já adolescente, a Meca das compras giras era Badajoz, maneiras que sempre que estava no Alentejo, lá íamos às pesetas e claro, aquelas galochas com salto, que também faziam suar para lá da conta, mas como era moda, usavam-se até com tempo seco. As adolescentes são a atirar para o parvo e eu não fugi à regra. Pois.

 

Depois de algumas torcidelas de tornozelos, lá me rendi às Aigle, que para sítios lamacentos e estrebarias, diz que os equídeos são bicho dado a coisas sujas e o coiso, eram do melhorzinho, a par com as outras pretas de montar, umas em borracha para fins específicos, outras nem por isso, para coisas mais pipis.

 

E das Hunter, hein? Pois que são boas e as primeiras que não lixam os pés, isso para mim é o mais importante.

 

 

E, pronto, eis a minha galochohistória, não é bom? Eu cá acho. Agora vou ali alinhavar a minha história com os sabonetes, sabendo que tomo banho diariamente desde que nasci, acho que vou produzir uma coisa muito ao nível Cem Anos de Solidão do Tio Gabriel.

30
Mar12

1, 2, 3, MAC A TWITTAR


Mac

 

 

 

 

 

 O GR pifou, diz que coiso. E agora como me manterei eu informada sobre o estado do tempo, as modas e wishes, hein? Como, meu Deus? Como?

29
Mar12

1, 2, 3, MAC A TWITTAR


Mac

 

Uma mulher sabe que bateu no fundo, quando já no meio da rua se apercebe que tem agarrado às calças vários vestígios de papa multifrutos.

 

 

[menos mal, quando o Mac Kid tinha uns dois anos, saí com uma mola da roupa no cabelo. ele gostava de me pôr molas no cabelo e nas pressas aquela falhou-me]

29
Mar12

46 - DA BIPOLARIDADE DE CADA UM, SÓ CADA UM SABE


Mac

 

 

 

 

 

 

Não percebo a loucura por aquelas malas de borracha, as chupa-chupa, goma, rebuçado, ou lá o que é aquilo, daquela marca que até aprecio bastante, aquela que começa por F e acaba em A, sim essa.

 

Pois não percebo, digo-vos eu que até comprei uma em encarnado naquela de futurologia, assim muito ao estilo deixa cá ver que ainda vou gostar e depois ja não há, cada uma tem as suas motivações, a minha foi esta, não é das melhores, mas sobrevive-se. Acho que estava drogada, ou coisa que o valha, só podia. Hoje foi a segunda vez que pus a malonga e apesar de muito bem acondicionada em seu casulo próprio, estava toda baça e assim a largar uma gosma. Lavei-a com Fairy um produto muito próprio para plásticos e ela continua gosmenta.  

 

Portanto, se lhe achei alguma gracinha, devido ao álcool que me corria nas veias, hoje passou-me. Feia.  

 

Ah e tal tu é que não sabes cuidar da mala, que até foi manufacturada num plástico especial fabricado propositadamente no Burkina Faso, o antigo Alto Volta, conhecido pela sua especialidade desde o Mossi de Uagadugu. Pois, mas eu sou uma bordajona, nada a fazer.

 

 

Moral da história: está explicado porque não vos posso dar coisas, fazer concursos e o coiso? Não é por ser velhaca, que não o sou, não senhora, é só por estas e outras. Pronto, agora estaria para aqui caladinha, ou a a tecer elogios à coisa, assim sempre vou prestando um serviço publico de defesa do consumidor. Esta minha beleza interior é ofuscante.

 

______________________________________________________________

A reter: Nunca sobrevirei neste mundo fechione das bolas de cristal, leitura de mentes, futuros e assins.

Pág. 1/14

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D