Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

30
Nov11

28 - A MINHA BARRIGA, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES E COISAS ASSIM


Mac

 
 

 

 

 

 

Aos oito anos quando não queria ir à escola, queixava-me amiúde da barriga, que me doía muito, mas ia, que mãe querida nunca foi em tangas e também ela conhecia a importância de uma barriga na vida de uma mulher. Aos dezasseis, os namorados, os nervos à flor da pele e elas, as dores de barriga. Na faculdade, as temíveis orais, um nó na garganta e lá está, outra vez aquele aperto numa barriga que era plana, tão linda, a velhaca que me deixa saudades eternas, nada a fazer, não há nada como a barriga dos vintes, ali com o umbigo a enfeitar, tão bonito, foi-se. Depois grávida, o orgulho naquela enorme barriga, que carregou os meus bebés. Agora, e após dois filhos, ela, a mastafona que já não tem bebés, mas que existe demais e como existe, credo, toma-me mais uma vez conta da existência.

 

Por isto, por tudo e por uma vida a olhar para ela [e a senti-la], se houvesse algum top ten de importância corporal, ela, a barriga, estaria sempre no meu topo. 'Cais cérebro, 'cais carapuça. 

29
Nov11

20 - CARTAS AO PAI NATAL E A QUEM ME CALHAR NOS CAMINHOS


Mac

 

 

 

 

 

Contam-se os dias para chegar a dia 1 de Dezembro, o dia em que por aqui se monta a árvore de Natal e toda a parafernália decorativa. E como este ano é o primeiro Natal na casa nova, desejo muito arranjar uma daquelas grinaldas, acho que se chama grinaldas, isto da cesariana, ou do pós parto, sei lá eu, deixou-me um bocado esquecida, vá, cheché (ou xexé? não interessa), quer dizer, formatou-me o cérebro qualquer coisa, adiante, uma daquelas coisas feitas de pinheiro, portanto verdes, com azevinho e o coiso, para pôr no corrimão das escadas, mas nada de natural, tudo muito sintético, mas chique, claro está, porque nestas coisas eu sou muito ecológica, principalmente no que toca a andar a apanhar ramos secos do chão e a varrer e tal, portanto o sintético dá muito jeitinho, não cheira como o natural, mas nada que uma essência qualquer de uma bodichope ou rituales e assins, não resolva. Ah já agora com luzinhas, que é para ficar assim muito natalício e alegre e tal. Bom, com as contas de electricidade que vão por aqui, talvez seja melhor não lhe pôr iluminações. Parece-me bem.

 

Resumindo, Mac Man, ó Pai Natal, eu cá não preciso de sapatos, nem Ferrero Rocher, botas não sei do quê, nem nada, só mesmo uma grinalda grandalhona para envolver ali o corrimão. Feito? Feito.

 

 

[Às vezes espanto-me com esta capacidade de ser feliz com pouco. Estou em crer que atinjo o nirvana a passos largos]

24
Nov11

01 - O AERO-OM É AMIGO DA MAMÃ [DESESPERADA]


Mac

 

 

 

 

 

Apetecia-me escrever coisas muito inteligentes sobre  a greve, o direito à greve, o direito à não greve e sexo, mentiras, vídeos, dvds, mas entre dar de mamar, mudar fraldas, dar mimo, muito colo [ainda me lixo, desconfio que o bebé começa a estar viciado] e tal e coiso, pois que não me sobra grande tempo, pois é. Sabendo que ainda tenho de cuidar do Mac Kid, de uma casa, refeições e o camandro, isto do mundo real, do país e suas contendas não me tem espaço cerebral. Eu agora é mais Aero-Om. Aero-Om para as birras de sono, Aero-Om para colar chupeta à boquinha linda, Aero-Om para consolar do banho [o meu bebé odeia], Aero-Om para mim, aos litros.

 

[Não sei bem porquê, mas tenho um leve travo a vida medieval agarrado à minha pessoa. Haja alegria. E Aero-Om]

23
Nov11

12 - O MEU PÓS PARTO, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

A velhice é coisa para me preocupar qualquer coisinha. Às vezes dou comigo a pensar que tipo de anciã vou dar. Não quero vir a ser uma velha tipicamente latina, triste, de cores escuras, apesar de ser latina. Vou querer cores, o vermelho, rosa e azul nas roupas. Mas também não quererei o estilo de canário anglo saxónico. Pronto, tudo ali no meio termo, é isso. E já agora lúcida e a mexer benzinho. 

22
Nov11

14 - COISAS DE QUE GOSTO NO INVERNO


Mac

 

 

 

 
  
botas . rasas . quando estou para aí virada . quase sempre . para andar muito . de salto médio . e de saltos muito altos para me atormentar . cansar e fazer sentir mulher . maldizer a calçada portuguesa . e os pés que se sentem . e as costas que reclamam . botas de cano médio . de cano alto . e muito alto . diz que são cuissardes . e eu acredito .  diz que parecemos umas quengas . eu não acredito . depende dos corpos . e dos quilos que ainda vou perder . só isso . gosto delas . e em camurça . pele . ou borracha . botas . botas . botas .
22
Nov11

44 - AH POIS É!


Mac

  
 

 

 

 

Tenho para mim que se os informáticos fossem pessoas profissionais de saúde, quinávamos todos ao primeiro espirro. Ah e tal o computador está lento no arranque, pumba, formata-se, ah e o coiso, não consigo abrir o browser, pimba, formata-se, ah e assim, o computador bloqueia, tunga, formata-se. E parecendo que não, isto transportado para nós humanos, seria assim, ah e tal ando cansada, pumba, toma lá uma overdose e apaga-te, ah e tal estou com um ataque de sinusite, pimba, toma lá com uma dose de não sei o quê e quina, ah e tal o coiso o coiso, tunga, mortifica-te.

 

 

Tratar? Não, claro que não, para quê se afinal é tão fácil formatar e instalar o sistema operativo. Depois? Depois o utilizador que instale o software e tal.

 

[E não, nada contra os informáticos, conheço muitos e muito fofinhos e tal e tal, quer dizer, desde que não se cheguem perto da minha máquina, são muito fofinhos, pois são]

21
Nov11

09 - COISAS QUE ME FAZEM EXTREMAMENTE FELIZ


Mac

 

 

 

 

 

Um mês do meu bebé, a pessoinha mais amada, nesta família que construímos todos os dias. Não sei se pensámos muito, se planeámos o suficiente, se calculámos ou pesámos prós e contras. Acho que não. Pelo menos calculámos o que queríamos e isso basta. Sem surpresas, sem imponderáveis. Também acontece. Gosto desta família. Gosto das nossas rotinas boas. Também há rotinas boas, as nossas são. A rotina não mata um casamento, nem uma família, a rotina também é um porto seguro. O tédio, sim, dizem. Eu não o conheço. O abandono. Mas desse não sei, nem quero. Gosto dos pequenos almoços em família, todos os dias. Gosto de pensar nas refeições e de cuidar. Gosto desta casa para onde regressam todos, todos os dias. Gosto das tardes de fim-de-semana entre filmes, lanches e os bolos que faço. Gosto do cheiro que fica na cozinha. Gosto do calor. Gosto dos teus olhos. Gosto dos olhos dos nossos filhos. Gosto disto.

Pág. 1/3

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D