Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

28
Set11

20 - A MINHA BARRIGA, CAPRICHOS, DÚVIDAS BIPOLARES E COISAS ASSIM


Mac

 

 

 

 

 

Gosto de estar grávida, já o disse por aí, não sei quando, mas deve ter sido nestes últimos meses, pois gosto, gosto da minha enorme barriga e de lhe saber o meu bebé. Já gostei assim do primeiro, gostei de toda a gravidez até ao oitavo mês, mas chego ao nono, e pensava eu que estava no oitavo, mas afinal segundo os entendidos, estou no nono,  pois é, isto de informar os curiosos em meses, é no que dá, se o fizesse em semanas, como qualquer grávida que se preze, não iria ter o bebé aos dez meses, mas pronto, o que eu queria dizer é que não acho acho especial graça ao nono mês. 

 

Ah e tal é um estado de graça e o coiso. Mas graça onde? Graça para quem nos vê, observa e tal, certo? Com andar de pato, ganso, ou uma ave patareca qualquer e mobilidade reduzida. Qual é  a real graça de não dormir, não ter posição, nem deitada, nem sentada, nem de pé, arrastar um cansaço horroroso durante o dia, e aguentar sem café, sentir as pernas uns verdadeiros trambolhos, depois de anos e anos de ginástica, e as dores nas costas, mais anos de exercícios em prol de uma estrutura óssea e muscular, e ainda ficar à mercê dos comentários das put@s das velhas do Pingo Doce, a cada passagem, porque já não se aguenta cinco minutos em pé,  gravidez não é doença e quem corre por gosto não cansa, e ai que estou aqui porque sofro de calos no cérebro e vou daqui vou para a cama, e ai que sofro da cervical, e os enlatados de 500 gr com tanta vontade de ganhar asinhas direitos aquelas trombas, e os iogurtes e a melancia, ainda as burgessas que se dizem médicas para atestarem a sua anormalidade, com esse aspecto, filha? E eu sou a Grace Kelly, pois, e eu com vontade de ter uma traquitana histérica e ficar ali esparramada no meio do chão, de lado, claro, porque de barriga para baixo não dá e de frente o bebé não gosta, e abandonar-me ao puro prazer de ver a put@ da velha a aplicar a sua imaginária passagem por medicina na minha pessoa grávida, put@ que as pariu a todas e aqueles ventres secos geradores de gatos, raio de país este, e os homens que não nos viram, claro, uma barriga de nove meses confunde-se com subnutrição. E ser picada pela glicemia e por isto e aquilo e bebe este chichi que sabe a limão e pica mais outra vez, até ter braços de agarrada. E a azia, a africa e o camandro e não comer isto e aquilo,  e a ciática, e as cãibras.

 

E eu sou uma sortuda, não me incham as mãos, pés e pernas, não enjoo quase nada, não tenho desejos, nem manias, pronto, só sou acometida de períodos mais ou menos frequentes de mau humor. Coisa pouca.

 

Não, gravidez não é doença, eu sei-o, mas o nono mês é uma droga. Deve ser a natureza a defender-se para nós não lhe tomarmos o gosto e super povoarmos o mundo.

 

 

Graça onde, muito especificamente?

28
Set11

13 - COISAS QUE EU DETESTO E ME FAZEM PENSAR QUE AINDA POSSO VIR A SER UMA INTELECTUAL DE GRANDE CALIBRE


Mac

 

 

 

  

 

Uma das coisas que irrita o meu ser belo, vá, incomoda, é já me andarem a matraquear com as colecções Primavera/Verão 2012, e as cores e as flores e o coiso, quando ainda nem tive tempo de reter o que se vai usar neste Inverno. Acho isto muito stressante. Isto e não ter cintura para apertar com cintos giros. Isto e as mulheres que se referem, chamam e usam a horribilis palavra gaja, para se referirem às outras mulheres. E os homens. Gaja é a tia, pah. Isto e o corrector do iPhone, que ainda não percebi em que se inspira para me trocar adoro com adiroparte por parvo e coisas assim muito a ver umas com as outras. Horribilis aparelho.

 

Ele há dias em que não acordo muito feminina. Isto também me incomoda.

 

 

Acho que vou até uma perfumaria, só para ver as meninas dos frascos em riste de aromas de fugir, a dirigirem-se à minha pessoa e a soltarem um ai está grávida, então se calhar nem quer cheirar. Pois não, não quero, nem grávida, nem sem estar grávida.

 

 

[acho que já me vi de melhores humores, também]

26
Set11

15 - MAC E A CALÇADA PORTUGUESA


Mac

 

 

 

 

 

Já estas sabrinas a imitar Tareco, convenceram-me tanto, que até as trouxe agarradas à minha pessoa. Ainda ficaram lá umas iguais, mas a imitar zebra, tadinhas, a guinchar desesperadas me leva, vai, e eu estou quase a tirar-lhes aquele sofrimento de cima.

26
Set11

21 - COISAS QUE ELAS VESTEM E QUE EU NÃO GOSTO NADINHA


Mac

 

 

 

 

 

Diz que este género de sapatos, em prateado flashante, é o must have da estação. E eu cá olho para aquilo e no me gusta nada.

 

Acho que é porque me fazem lembrar os sapatos do cicerone do circo e não sou lá muito chegada a circos, palhaços e acrobatas, apesar de ter umas sabrinas forradas a lantejoulas, sim, pequenos resquícios de uma infância em que a minha noção de bom gosto andava ali entre as lantejoulas, tules e cetins. Adiante.

 

A coisa com atacadores, não me convence, aos meus olhos não passam de sapatos masculinos pintados com spray para carros, um contra-senso, portanto.

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D