Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

a vida em azul cueca

11
Mar13

94 - COISINHA MAI LINDA, RIQUEZAS DE SUA MÃE


Mac

 

É mesmo diferente ser mãe de um, ou de dois. Acho que essencialmente o que muda é a nossa forma de encarar a maternidade. Se ao meu primeiro filho era qualquer coisa de ansiosa e de tudo fazia um cavalo de batalha, agora ao segundo, sou muito mais relaxada. E até em coisas simples como fazer uma sopa. As do meu primeiro filho eram calculadas, pesadas, media os ingredientes, fazia proporções e era uma canseira. As do segundo são igualmente boas, mas só me canso a descascar legumes, de resto calculo ali mais ou menos os que me parece razoável para a capacidade daquela panela. Viajar com o primeiro era uma dor de cabeça. Não simplificava, tinha que levar tudo quanto achava necessário para o conforto do bebé e nem me passava pela cabeça que havia coisas absolutamente dispensáveis em férias, outras que poderiam ser substituídas, sem que o bem-estar do bebé ficasse comprometido. Cheguei a comprar uma banheira por destino, ou na falta de uma banheira, um alguidar, que depois ficava, porque se não o podia levar, também não o podia trazer. Uma complicação. Nas roupas e calçado foi outro desnorteio. Comprei muitas coisas que ele nunca chegou a usar, porque tinha a mania de comprar por antecipação e depois ou não lhe serviam, ou não eram minimamente práticas. Até uns All Star com atacadores quando tinha um ano, só que os pés são gordinhos e enfiar umas coisas daquelas em que é preciso abrir completamente o sapato, para depois o ajustar, não é prático.

 

O banho era outro cavalo de batalha, aquecia a água e duas toalhas, secava o bebé com uma, depois passava-o para outra, besuntava-o de cremes, um para a cara, outro para o corpo, ainda a colónia, vestia um body, umas meias, mais o babygrow, penteava. Não é que o banho do mais novo seja muito diferente, mas já não estou com mariquices de dois lençóis e água medida a termómetro, vai mesmo de cotovelo, nem dois cremes, um chega perfeitamente e isso. Ora se nós sabemos que vamos ter de dar banho pelo menos durante três anos, é bom que seja um momento agradável para ambos e há coisas que nada acrescentam ao bem-estar do bebé, mas seguramente acrescentam ao nosso cansaço e falta de gozo nisto tudo.

 

É diferente em tudo, só não é no amor desmesuradamente doido que temos por todos. Não embarcamos em conselhos que não pedimos, experiências que não são as nossas e vivências que nada nos dizem. E principalmente já sabemos ao que vamos. E sim, muitas vezes ao primeiro, sentimos a nossa liberdade comprometida, a vida a dar voltas que não ponderámos e tudo isso, ao segundo nada disso existe, até porque isso dessa tal de liberdade condicionada, já foi digerido, interiorizado e resolvido.

 

 

Disse-me uma das minhas amigas olha quando o primeiro cai, vais a correr com ele para o hospital. Ao segundo, telefonas ao pediatra. Ao o terceiro lavas a ferida. Ao quarto, mandas o mais velho ver o que tem o irmão. E descartando a forma exagerada deste conteúdo, é mesmo isto.

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D