Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a vida em azul cueca

22
Set17

81 - Andei na net [e por aí] e trouxe comigo


Mac

 

 . para a transição do verão para o outono, mistura de peças ainda frescas com algumas mais quentes, quase sempre em branco, preto e cinzento .

  

 

 

 

 

 

 

 

. duas paixões à primeira vista. da zara uma saia azul com folho, que sai muito do meu género, mas que me apeteceu muito, da mango uns botins em licra, que além de serem muito o meu género, são mega confortáveis, apesar do salto . 

 

 

 

 

 

 

 . o street style da semana . 

 

 

 

 

  

 

 

 .  o calçado habitual de inverno da pisamonas, para a criança mais pequena, já há alguns invernos .

 

[gosto imenso da qualidade e do serviço deles. já me aconteceu errar no número e ter de trocar. além de muito rápido, não tem qualquer custo. a partir do momento em que pedimos a troca online, no dia seguinte trazem-nos os sapatos para trocar e recolhem os que não servem] 

 

 

 

 

 

 

 

 

  . da matéria-prima edições, histórias desconhecidas da II guerra mundial, jesús hernandéz [250 relatos de protagonistas que não tiveram lugar na história]; doutor finanças, joão morais barbosa e joão raposo [aprenda a reduzir gastos, a poupar e a investir]; e correr para emagrecer, pedro almeida [com planos de treino e alimentação]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

. um presente giro [e muito útil], a nova geração de sprays sonasol com uma cabeça que facilita a mudança de funções de on/off e de espuma/spray. testei os 3 sprays e adorei. o desengordurante é fantástico, apenas com uma descarga deixa tudo brilhante; o limpa vidros é muito bom e o multiusos foi aplicado nas casas-de-banho, além de deixar tudo perfeitamente limpo, tem um cheiro que adorei. gostei muito da função de espuma ou spray, que facilita a descarga de produto. aprovadíssimos e a juntar ao já muito habitual aqui em casa, sonasol amoniacal . 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

. e a frase da semana .

 

 

22
Set17

105 - Já fui feliz aqui


Mac

 

 

 

 

 

 

Dietas à parte, do que tenho mesmo saudades é das coisas que comia quando era criança, sem pensar se isto ou aquilo engordava. Nem sabia que isso existia, isso de a pessoa comer e engordar, quanto mais. Chocolates com bolachas de água e sal; Bananas com Tulicreme; Pão com batatas acabadas de fritar; Leite em pó e chocolate em pó (e simular dentes podres) e leite condensado. Tudo às colheradas; Gemadas; Salame de chocolate; e croquetes acabados de fritar tirados do tabuleiro da cozinha. Era tão bom.

 

 

#JáFuiFelizAqui

21
Set17

176 - A vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

 

Estou um bocadinho mais longe dos 60 kg (ipipiurra para mim), cheguei aos 58,700 e estou quase na minha meta. Não tem sido fácil, mas também não tem sido assim tão difícil.

 

Quando fiz o caminho para lá não me custou nada, nem dei pela passagem dos 58, acho que ia embalada na gulodice, por outro lado, dei muito bem com os 65. Agora no caminho para cá, dou por todos os milímetros e todos os gramas. E sim, peso-me todos os dias, mesmo que me digam que desmotiva, não é verdade, não desmotiva, controlo muito o que como, bebo muita água e faço exercício. E resisto, resisto e resisto a tudo. A chocolates, pão branco, manteiga, gomas, refrigerantes e ao sofá também.

 

Resisto a mim. Tornei-me menos má e exigente comigo, deixei de ser a minha pior inimiga e a mais crítica. Também aprendi a traçar objectivos realistas e a não misturar coisas, e percebi que perder peso nunca significará ficar com o corpo da Gisele B, isso é genética, perder peso é outra coisa. Perder peso é só ficar mais magra e com o meu corpo. O que vendo bem as coisas, nem é assim tão mau, afinal já estamos feitos um ao outro. Dei-me tempo e paciência e ajudei-me sempre que tropecei. Agora até chego a gostar desta pessoa e tudo.

 

 

#UmIpIpiUrraParaMim

 
19
Set17

207 - A dona de casa perfeita(mente desesperada)


Mac

 

 

 

 

 

 

Estou que não me aguento das cruzes, andei a arrumar o anexo, porque um destes dias vai ser deitado abaixo e estava cheio que nem um ovo. Deitei fora, arrumei e reconverti. Tenho uma capacidade brutal para juntar inutilidades.

 

Sabem aqueles terrenos baldios onde toda a gente se lembra de ali abandonar todos os tarecos que não quer em casa e que rapidamente se torna numa lixeira, porque se dá aquele fenómeno muito latino do “se o vizinho despejou ali os sofás com os braços partidos, eu posso deixar lá o bidé rachado?". Cada vez que vejo um terreno desses, acho aquilo horroroso, primitivo e pouco cívico. Mas a verdade é que tenho sempre um terreno baldio em casa, por mais que tente ser super organizada, com a diferença que em vez de ser um terreno, é uma divisão e não lhe chamamos baldio, aterro de tarecos (tudo quanto já não serve; tudo quanto tinha a certeza que seria super útil, mas afinal não serve para nada; tudo quanto temos vontade de deitar fora, mas não temos coragem; tudo quanto afinal fica para um dia arrumar), aterro de inutilidades, antecâmara do lixo, que é o que é, mas chamamos carinhosamente de divisão da barafunda, que um dia vamos arrumar. E até se dá o caso de um dia arrumar, o problema é que parece que a divisão dos tarecos se tornou uma coisa imprescindível e assim que arrumo uma, trato de desenvolver uma outra. Devagar, devagarinho, uma coisa lá, depois outra e mais outra e quando dou por mim, está instalado o novo aterro de inutilidades.

 

Mas isto requer alguma ciência, não é qualquer parte da casa que serve para estes fins, logo a começar pelo sótão. O sótão não presta para atirar com coisas para lá, porque dá trabalho. Dá trabalho puxar as escadas, levar com carradas de pó, aranhas e cenas na cabeça e subir carregada de coisas. Portanto não serve. Para o sótão só vão as coisas bem pensadas, acomodadas e bem envoltas em plásticos, que um dia vão servir aos netos e bisnetos. Portanto para aterro de porcarias só servem divisões que estejam à mão de semear. Olha esta tábua de engomar partida, deixa cá largar aqui, pode ser que em repouso ela se regenere. Ah e esta camisa toda desbotada, espera, há ali um saco com roupas para fazer panos de limpeza, que nunca vou fazer, mas que me fica tão bem nas intenções.

 

Por aqui começámos logo no dia em que nos mudámos para esta casa. Todos os caixotes que continham coisas chatas de arrumar, coisas que não nos apetecia ter, coisas que tínhamos vontade de nos ter esquecido e coisas que não nos faziam falta, ficaram logo nos caixotes, naquele que iria ser o quarto dos brinquedos. Depois juntei-lhe estendais partidos, uma aparelhagem avariada, colchões insufláveis que não tinha pachorra de esvaziar. Em minha defesa, estava grávida e mais vocacionada para o quarto do bebé.

 

Quando resolvi fazer o quarto dos brinquedos (2 anos depois), jurei que jamais teria uma situação idêntica. Arrumei tudo quando estava encaixotado, deitei coisas fora e passei o que achei que ainda poderia ser útil para o anexo do jardim. Há que entender que os colchões insufláveis não são fáceis de esvaziar, que uma máquina de café avariada precisa dos ares do campo para se recompor e que utensílios de jardinagem partidos têm de ter uma segunda oportunidade. Pois.

 

Passados 4 anos, cá estamos nós. Passei o que se aproveita para a arrecadação da cave, esvaziei os colchões insufláveis, as bóias, os coletes e o golfinho, deitei fora o que não interessa e o coiso.

 

Daqui a 4 anos falamos. Adeus.

18
Set17

175 - As nossas refeições, a vida, o nirvana e eu


Mac

 

 

 

 

Desta vez venho falar de legumes e da forma que arranjei para os miúdos os comerem sem simularem que vão sufocar e deitar tudo fora. Cheguei à conclusão que os meus filhos só os comem crus se forem triturados em sopas frias, como o Gaspacho e a sopa fria de pepino, mas não os comem crus em saladas. Também os comem quentes em qualquer sopa em creme, ou então assados no forno.

 

Como gosto que os pratos principais, além do acompanhamento, também tenham qualquer coisa verde, acabo por assar os legumes, porque foi a forma que arranjei para os miúdos comerem tudo.

 

 

 

 

 

 

 

 

Este fim-de-semana para acompanhar o rolo de carne (que fiz de modo a chegar para duas refeições), fiz um tabuleiro de legumes, que além de muito saboroso, fica muito bonito.

 

 

Ingredientes:

. 1 beringela

. mini pimentos encarnados, amarelos e laranja (podem ser dos normais)

. 1 courgette

. 1 pepino

. 3 tomates

. alecrim, manjericão e tomilho secos

. azeite q. b.

. sal q. b. 

 

 

Depois de lavar e sem descascar, corte em rodelas todos os legumes, excepto os mini pimentos, que se cortam ao meio pelo comprimento. Coloque-os em filas no prato de ir ao forno. Regue com azeite e polvilhe com alecrim, manjericão e tomilho. Tempere com sal. Cubra o prato com uma folha de alumínio e leve ao forno a 130º C, durante 30 mn. Nos últimos 5 mn, tire a folha e deixe tostar um pouco.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O segundo prato de legumes para acompanhar a segunda ronda de rolo de carne, é a coisa mais fácil do mundo, mas que aqui em casa todos adoram.

 

Ingredientes:

. corações de alface

 . azeite q. b.

 

Tire um pouco do pé das alfaces, que normalmente já está escuro e corte os corações de alface ao meio. Passe-os por água corrente e escorra bem. Deite um pouco de azeite numa frigideira e toste cada lado das metades durante uns minutos (poucos). Já está.

 

 

 

 

 

 


   


 

 

 

E já agora, deixo a receita do rolo de carne, que aqui em casa é conhecido como A Carne da Mãe, enfim, podia ser pior.

 

Ingredientes:

. 1 kg de carne picada (pode ser 500 gr de porco + 500 gr de vaca, mas prefiro fazer só com vaca)

 . 2 ovos

. 140 gr de bolachas de água e sal

. 1 pacote de sopa de cebola instantânea

. pão ralado

. vinho branco

. margarina para untar

. Papel vegetal

 

 

Desfaça as bolachas de água e sal (na Bimby: 5s, vel 4). Numa taça deite a carne, junte os ovos, as bolachas desfeitas e a sopa de cebola e amasse tudo (na Bimby: junte a carne, os ovos e a sopa de cebola às bolachas, programe 2 mn, v 4).  Numa folha de papel vegetal espalhe um pouco de pão ralado, deite a carne e forme um rolo. Unte um tabuleiro de forno com margarina, ponha o rolo e preencha o tabuleiro até meio com vinho branco. Cubra o tabuleiro com uma folha de alumínio e leve-o ao forno a 180º C, durante 1 hora.

 

 

 

 

 

18
Set17

01 - Por estes dias


Mac

 

 

 

 

 

 

  

 

  

 

 

 

 

 

 

o ar já me cheira a outono e por acaso não estava preparada para isto . quer dizer, calculava que ele andaria para chegar, mas esperava-o lá mais para meados de outubro . ainda estava embalada nos jantares lá fora, dias de praia, mergulhos na piscina e assim sem aviso, descem-me as temperaturas e instala-se este frio de norte ao final da tarde . e com o outono no ar, faz-se vida de outono . café de sábado de manhã com o mar pela frente na esplanada do hotel baía  (é tão bom) . as voltas do costume, a vida do costume, almoços nos sítios do costume, as festas infantis, as idas ao shopping para completar materiais escolares, uma mochila nova para a criança pequena, e isso . e no outro dia, numa das minhas caminhadas pelo paredão dei-me conta de muitas coisas . percebi por exemplo, que perdi a paciência para os ginásios, pelo menos para já . venha então o outono, já que tem de ser . com sapatos cor-de-rosa, tem de ser .

15
Set17

80 - Andei na net [e por aí] e trouxe comigo


Mac

 

   

. os blazers em xadrez, príncipe de gales e pied-de-poule .

 

 

 

 

 . para começar com o frio que vai fazer este fim-de-semana, sempre os mil tons de cinza que adoro com branco .

 

 

 

 •

 

 

 

 

 

. street style que gostei esta semana e dezenas de ideias a reter .

 

 

 

 •

 

 

 

 

 

 

 . da mango, estes loafers em rosa .

 

[tenho uma enorme inclinação para sapatos em rosa claro. gosto imenso de os ver com cinzento, castanho, preto e gangas]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

. e por estes dias a maquilhagem tem-se baseado só nos de sempre, a terracota da guerlain, o lápis para os olhos da chanel e o infalível hypnôse, aos meus olhos (e para os meus olhos), os jamais destronáveis, a eau de beauté da caudalie (mega fã) e claro, o idéaliste .

 

[também estou a testar uns cremes que em breve vão estar no mercado, mas para já não posso dizer nada. só digo que estou a adorar e estou em pulgas para contar tudo]

 

 

 

 

 

 

 

. a base da lego para os legos de crescido da criança pequena . 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

. a reedição do primeiro romance da minha muito muito querida amiga margarida .

 

[esta edição comemorativa pelos 10 anos, não está à venda nas livrarias. para encomendas, contactar por aqui]

 

 

 

 •

 

 

 

 

  . e a frase da semana .

14
Set17

01 - Experimentei e gostei


Mac

 

 

  

 

Gosto imenso destes ferros a carvão, mas a maior parte está carregada de ferrugem e é uma pena. Andei a ver o que seria possível fazer para acabar ou até só minimizar a ferrugem, e cheguei à conclusão que o melhor seria usar um produto específico. Então resolvi experimentar um deles sem qualquer critério, porque desconhecia todos. Fui a uma grande superfície e tirei um ao acaso muito naquela do mal não faz, pior não fica, e ainda bem que experimentei.

 

 

 

 

 

 

 

Segui à risca as instruções que vêm na embalagem (cuidado, é muito tóxico) e além de uma fácil aplicação, vemos os resultados num par de horas.

 

 

 

 

 

 

 

 

A ferrugem saiu e, dentro daquilo que é possível considerar neste tipo de objectos, acho que o ferro ficou impecável. 

 

 

Conclusão: o produto é excelente, mas as instruções e advertências são praticamente ilegíveis, devido ao tamanho das letras que é minúsculo, o que de certa forma é grave, tratando-se de produtos que requerem uma boa informação antes de serem utilizados.

13
Set17

206 - A dona de casa perfeita(mente desesperada)


Mac

Estou a ler as instruções de um anti ferrugem, que estão escritas com umas letras tão pequenas, que fui buscar os óculos. E depois a lupa. Mesmo assim tive de fechar o olho esquerdo e li-as mal e porcamente com o direito.

 

Consegui perceber que tenho de usar luvas, óculos e que aquilo é altamente tóxico e corrosivo. Coisa que não percebi na loja, porque tinha os óculos à mão, mas não a lupa. Calculei, porque sou esperta e a intuição diz-me que se tira a ferrugem aos metais, é capaz de me tirar a pele a mim.

 

Mas como os cuidados a ter com os produtos muito tóxicos não se calculam, deduzem, imaginam, eu cá acho que o tamanho das letras devia estar regulado para um mínimo legível por olhos sem dioptrias, ou nãaaaaaooooooo? Mas pronto, parece que é normal escrever coisas importantes para a saúde das pessoas com letras ilegíveis.

 

Passarei a ter uma lupa na mala. Ainda se admiram com o peso das malas das mulheres.

 

 

#ADonaDeCasaPerfeita(mente desesperada)

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D